RESUMO

Esse artigo procura transpor a fundamentação teórica da fenomenologia para o contexto do profundo encontro Eu-Tu, ou seja, do amor, embasado nos conceitos dos filósofos que servem como fundamentação teórica para a fenomenologia e também pelos psicólogos que tem essa abordagem como sua visão de homem, tentando, assim, buscar uma aproximação do conceito real do mesmo.

A Teoria da Gestalt, em suas análises estruturais, encontrou determinadas leis que regem a percepção humana das formas, facilitando a compreensão das imagens e idéias. Essas leis seriam conclusões sobre o comportamento natural do cérebro, no que concerne ao processo de percepção. Os elementos constitutivos são agrupados de acordo com as características que possuem entre si, como semelhança, proximidade e outras que veremos a seguir. 

Veja mais em: Exemplos gráficos das leis da Gestalt.

Max Wertheimer era um psicólogo de origem tcheca. Era músico. Inicialmente estudou Direito, mas optou pela Psicologia. Passou a parte inicial de sua vida acadêmica entre Praga, Berlim e Viena. Estudou Fenomenologia com Carl Stumpf, principal discípulo de Franz Brentano. No que foi acompanhado por W. Köhler e por Kurt Koffka. Juntos eles desenvolveram a Escola de Berlin de Psicologia da Gestalt, inspirada na Fenomenologia da tradição de Brentano, e que buscava desenvolver uma Psicologia de cunho fenomenológico.

Quase simultaneamente à revolução behaviorista, que juntava forças nos Estados Unidos, outra revolução começava a se manifestar na Alemanha, a revolução da Gestalt. Esta revolução ia, ainda, contra as idéias de Wundt.

Abraham Harold Maslow nasceu no Brooklin, Nova Iorque em Primeiro de Abril de 1908. Foi o primeiro de um total de 7 filhos de pais imigrantes russos. Os pais de Maslow não tinham nenhum estudo, o que não impediu que insistissem que os filhos tivessem a melhor educação. A família gostaria que Abraham fosse advogado, e, para atender os desejos dos pais se matriculou na faculdade de direito em Nova Iorque. Estudou, no entanto, apenas um ano e meio e se transferiu para a Universidade de Cornell.

Abraham Maslow acreditava que as pessoas se desenvolviam por vários níveis para alcançar o seu pleno potencial. E os poucos que conseguiam chegar a este nível são denominados de auto-realizadas. Os estudos de Maslow se voltavam para esse pequeno grupo de pessoas auto-realizadas, pois, segundo ele, elas seriam o farol que guiaria a humanidade rumo ao seu pleno potencial.

Página 2 de 3