Resumo: Este artigo é resultante de uma investigação teórica sobre o tema do brincar, pensada a partir de um caso atendido na Clínica Escola da UFMG. O brincar é aqui discutido abordado a parti do texto de Freud: Além do princípio do prazer (1920), acrescido de algumas contribuições da teoria de Lacan. A partir da discussão de fragmentos de um caso clínico, este artigo discute a importância do brincar na estrutura e na direção do tratamento das crianças.

Palavras-chaves: Criança, Brincar, Simbolização

Resumo: Este artigo buscou apresentar como o narcisismo se expressa nas redes sociais na contemporaneidade, bem como realizou uma integração teórico-prática a respeito dos conceitos de narcisismo e de virtualidade. Além disso, visou discutir as influências do virtual no comportamento narcísico, tendo em vista que as imagens propagadas nas redes sociais refletem a imagem que o sujeito deseja ter de si próprio e a busca por imagens que segue como modelo. A partir da análise de autores clássicos e atuais. Foi possível refletir sobre as novas configurações do narcisismo a partir do advento da internet, em especial, do Facebook.

Palavras-chave: Narcisismo, Virtual, Identidade. Redes sociais, Comportamento narcísico.

1. Introdução

Alguns analistas se prestaram a articular a Teoria Psicanalítica com a Clínica. Contudo, foi possível perceber que houve um diálogo com outros campos de saber, com outros autores, o que possibilitou um maior aprofundamento sobre o tema proposto.

Resumo: A problemática da ética sob o olhar da psicanálise exige uma ampliação de conceitos que descreva as diferenças entre ética e moral, focando a relação do psicanalista com ele mesmo e com o paciente, dentro e fora do setting. Acreditamos que a psicanálise é um processo psicoterapêutico e educativo do sujeito e que a ética é o lugar de sua legitimidade. Por isso, este artigo tem como objetivo descrever a relação entre a ética e a psicanálise e as implicações do sujeito ético.  

Palavras-chave: Psicanálise, Ética, Implicação.

Resumo: O presente artigo consiste em uma revisão teórica acerca do tema o dinheiro na psicanálise, que já vem presente desde o estabelecimento do contrato terapêutico. Foram contrastadas as visões de Freud, Lacan e outros autores contemporâneos referentes ao pagamento das sessões, a importância que o dinheiro assume no setting, bem como as questões libidinais nele envolvidas. Foram consultados também alguns artigos referentes ao tema.

Palavras-chave: Dinheiro, psicanálise, pagamento.

Resumo: A hipnose é um estado de alerta psicológica especial com características específicas como sugestibilidade, transe e baixo teor de defesas psíquicas, caracterizando um relacionamento mútuo entre hipnotizador e hipnotizado. Porém, em uma era autômata e a luz das descobertas da neurociência, grandes corporações, nacionais e internacionais, se utilizam de ferramentas poderosas geradas por essas novas conquistas científicas, do lado primitivo dos seres humanos (que nunca muda) e de seus condicionamentos automáticos evolutivos, para lançar uma "rede global" de mensagens persuasivas, subliminares ou não, com a intenção de criarem necessidades inexistentes ou implantadas nas vidas das pessoas e assim, exacerbando o consumo. Essa hipnose não consentida resulta em distúrbios patogênicos em massa, escravizando indivíduos a uma vida frenética, consumindo a maior parte de sua existência para suprirem padrões sociais atrelados às necessidades fictícias, construindo necessariamente versões de famílias neuróticas, relações socias patogênicas e um meio socioambiental desequilibrado.

Palavras Chave: Hipnose, Global, Obscura, Psicanálise.

Resumo: Este trabalho tem a pretensão de discutir algumas problemáticas decorrentes do rompimento do vínculo conjugal. Pais e filhos terão que elaborar inúmeras perdas e sentimentos que emergem, encontrando-se diante de um enigma que os convoca a inventar uma saída possível.

Palavras-chave: Separação conjugal, Enigma, Psicanálise, Relação pais e filhos.

Resumo: A Sexualidade é considerada um tema complexo, controverso e de conceituação difícil. Continua sendo alvo de tabus, repressões, distorções e reduções, acabando usualmente por se tornar sinônimo de genitalidade.  Dessa forma, o presente artigo tem como proposta investigar e refletir, sob um viés psicanalítico, acerca do que é sexualidade, qual sua importância na constituição do psiquismo e o porquê de “tudo é sexo para psicanálise”.

Palavras-chave: Sexualidade, Psicanálise, Constituição do Psiquismo.