Resumo: Este artigo é fruto de uma revisão bibliográfica acerca do apanhado de vida de Sabina Spierlrein, simultaneamente representando o seu percurso inicial e final em sua relação com a psicanálise. O assunto tema explanado foi possível ser articulado através de recortes históricos, pesquisas bibliográficas e do filme "Jornada da Alma’’, com o intuito de primeiramente resgatar fases e desdobramentos de seu histórico de vida, assim como dados relevantes registrados por autores como David Cronenberg, John Kerr, Aldo Carotenuto, entre outros, que correlatam influências e evidências acerca da trajetória existencial de Spielrein, fazendo com que o seu nome seja imortalizado na história psicanalítica. Outro ponto importante, juntamente com a homenagem dedicada a Sabina Nikolajevna Spielrein, é o destaque de como a histeria apresenta-se na atualidade, no século XXI.

Palavras-chave: Trajetória, Sabina Spierlrein, Psicanálise

Resumo: Segundo artigo “Psicanálise: A mente segundo a teoria de Sigmund Freud” (Noções básicas de Psicanálise - Charles Brenner - Editora Imago 5ª Edição), o método se popularizou de tal forma que suas teorias são, muitas vezes, veiculadas de modo errôneo, como tudo que passa por um processo de grande divulgação, em especial numa sociedade de massas como a nossa. Assim, é preciso esclarecer o significado dessa expressão. O que é psicanálise? Em primeiro lugar, uma teoria que pretende explicar o funcionamento da mente humana. Além disso, a partir dessa explicação, ela se transforma num método de tratamento de diversos transtornos mentais. Há uma dificuldade do público leigo em diferenciar os profissionais psi. A princípio, mesmo que outros utilizem teoricamente o termo, o psicanalista é o único terapeuta que trabalha considerando a presença e ação do Inconsciente. E para fazer um curso de formação, na maioria das escolas, bem como ser membro Pesquisador ou Profissional, o candidato tem que ter nível superior, além da formação em Psicanálise, que dura cerca de dois anos. Porém, a Psicanálise não se resume ao consultório. Pretendo, nesta tese, apresentar situações em que a Teoria Psicanalítica pode ser utilizada e adequada a cada situação, inclusive, que foge às quatro paredes da clínica.A vida diária é tão complexa quanto o inconsciente, portanto, para cada ato encontramos respostas na Psicanálise, obtendo assim um diálogo com a Filosofia. Pensar e agir conforme a Teoria Psicanalítica pode ser a chave para grandes questões e paradigmas que afligem o ser humano nos tempos atuais. O problema com a drogadicção é amplamente dissertado na tese e ainda pontuo situações onde o poder público não se faz eficaz e o que deveria fazer com relação à dependência química. A internação de curta duração é um caminho viável.

Palavras-chave: Teoria, Psicanálise, Terapia, Toxicomania, Educação.

Resumo: Acerca da religião temos inúmeras compreensões. Ela gera inquietudes, envolve aspectos, processos e fenômenos de diferentes ordens: social, cultural, histórica, subjetiva, política, no que refere ao saber oriundo da mesma. Mas os questionamentos datam longínquos, tendo como gênese a “Reforma Protestante”, movimento alemão do século XVI, caracterizado pela fatídica ruptura com a igreja católica. A partir de então, o movimento protestante só tem aumentado cada vez mais. No Brasil, até os anos 1970 era um país de maioria católica, e que quase monopolizava crenças e atitudes religiosas. Este trabalho procura compreender as práticas religiosas, assim como o conjunto doutrinário do recorte protestante definido como neopentecostal especificamente a Igreja Universal do Reino de Deus. Sendo assim, temos a Teologia da Prosperidade como o conjunto doutrinário que fundamenta as práticas dos membros da (IURD). Que elementos teóricos e também psíquicos agregando valor simbólico influenciam os processos de adesão e permanência de ex-católicos à crença protestante? Partindo do pressuposto de que a psicanálise tem o aparato teórico capaz de abarcar os preceitos hipoteticamente levantados, percebeu-se que as correspondências entre adesão e discurso do Outro, permanência e medo, a mídia e seu valor simbólico, fizeram a ponte entre psicanálise e religião. Confirma-se que o paralelo proposto evidencia-se no momento em que a análise do discurso da amostra, pontua que os conflitos, são sim, o principal meio de acesso à adesão à IURD, que esta se dá através do discurso do Outro, representando imaginariamente a figura paterna.

Palavras-chave: visão psicanalítica, adesão, crença protestante.

Resumo: Tendo em vista a considerável evolução ocorrida na sociedade e mais especificamente no que tange as relações familiares durante o passar dos tempos e a fim de contemplar um tema bastante atual e porque não dizer polêmico, este artigo tem por objetivo discorrer sobre algumas questões que envolvem a família homoafetiva, enfocando a adoção por pares do mesmo sexo. Numa perspectiva psicanalítica é possível questionar: “Desejo e Identificação: a identidade de gênero e a sexualidade dos pais e das mães são fundantes na identidade dos/as filhos/as?” A ciência inicialmente dá sua contribuição com alguns pontos negativos para a homossexualidade, estabelecendo estigmas, como por exemplo, afirmando que estes seriam perversos. Diante de tantas vitórias judiciais conseguidas pelos casais homoafetivos, identifica-se que os impedimentos acerca deste tema são totalmente reflexos de uma sociedade que muda, muito lentamente, seus conceitos morais, apresentando uma dificuldade em aceitar “o novo” mesmo estando em pleno século XXI.

Palavras-chave: Família, Parentalidade, Adoção, Homoafetividade, Psicanálise.

Resumo: O objetivo deste trabalho foi abrir um debate sobre o papel das relações familiares como um provável sintoma trazido pela contemporaneidade. Este artigo traz uma revisão literária numa perspectiva psicanalítica onde se articulam conceitos tais como sintoma, recalque, complexo de Édipo e acting out com intuito de explicar o processo de recalque e suas implicações da falha da internalização da lei e suas formas de satisfação. Para tanto, a instituição família é contextualizada historicamente até chegar à contemporânea, onde se discute a dificuldade da transmissão da autoridade. Neste contexto, esse trabalho transporta a experiência clínica para as relações do sujeito em sociedade. Onde o sujeito de desejo, levado pelas descargas pulsionais, não consegue em algumas situações simbolizar algo que foi recalcado, como por exemplo, a falha da internalização da lei, do limite. Na tentativa de recuperação da falha da internalização da lei, o sujeito busca através da ação propriamente dita, ou seja, pela via da agressão física regular o sofrimento sentido pela falha da internalização da lei.

Palavras-chave: Família, Sintoma, Contemporaneidade.

1. Introdução

O presente trabalho discorre acerca de uma manifestação religiosa denominada penitência que teve seus pressupostos históricos derivados de crenças sustentadas por fiéis religiosos na idade medieval – Sobre este aspecto, os cristãos da idade média acreditavam no sofrimento físico como uma forma de autopunição pelos seus pecados, e utilizavam-se da flagelação como forma de firmação a obediência aos mandamentos das sagradas escrituras. Em detrimento dos poucos postulados históricos registrados através da escrita, a sustentação e o conhecimento que se faz presente nos dias atuais sobre o grupo de penitentes, é possível através de história contada oralmente que permeia entre os povos praticantes. Atrelado a este fator, entre os motivos que faz da penitência uma prática de exposição limitada e anônima, é justificável em decorrência de um acordo entre eles quanto manter sigilo sobre as ações que realizam e as experiências que vivenciam.

Resumo: A “loucura”, termo clássico, pode ser apreendida por diferentes olhares, tempos, espaços e perspectivas. A loucura é o avesso da razão, ela faz frente a toda e qualquer ideia de sistematização que busque representar os fatos experienciais, assim, um trabalho que se proponha ético, um norte seria os efeitos de nossas ações e a não sustentação de ideais. Jurandir Freire Costa em “As éticas da psiquiatria”articula a noção de que no hospital psiquiátrico, a ética utilizada é a da tutela, pautada no modelo da ética instrumental; a ética da interlocução pautada no modelo da ética da moral privada, onde a referência ao que foi instituído é desfeita em prol de uma capacidade criativa permanente; a ética da ação social é pautada no modelo da ética pública, que define sujeito e agente terapêutico, acima de tudo, como iguais. A psicanálise, como um saber que pode contribuir para o campo da saúde mental, traz em seu bojo uma ética que leva em consideração a transferência como mecanismo básico para o desenrolar do processo de trabalho. As situações que se apresentam são singulares porque, sendo ou não previsíveis, lançam todos e cada um ao trabalho de dar um novo sentido, modificar ou simplesmente suportar seus efeitos.

Palavras-chave: Ética, equipe, saúde mental, psicanálise.

Resumo: este artigo trata dos mecanismos de defesa do ego e como estes podem se tornar bloqueadores do processo ensino-aprendizagem. Em um processo de defesa da personalidade do ego, a psique humana desenvolve uma série de mecanismos internos capazes de manter a integração da personalidade. Existem processos de defesas que são bem sucedidos, outros não. Quando as defesas impedem o bom desenvolvimento do self dizemos que são patogênicas, nas quais se estabelecem as neuroses. Esses processos patogênicos podem ocorrer em crianças de qualquer classe social, porém, em meio a uma pobreza ambiental econômica generalizada as suas manifestações são mais agudas, podendo até mesmo determinar a fixação eterna da criança no seu estrato social.

Palavras-chave: Mecanismos, Psíquicos, Aprendizagem.