Darllav: um Jeito Divertido de Estimular a Atenção

Resumo: O presente artigo tem como objetivo a construção do jogo Darllav no qual se trabalha a Atenção na idade adulta. Podemos definir a Atenção como sendo a nossa capacidade de responder aos estímulos mais expressivos do ambiente. Assim sendo, o sistema nervoso central seleciona as informações captadas através dos órgãos sensoriais dando ênfase aquilo de maior relevância para nós a partir da nossa interação com meio externo. Portanto, a Atenção está intimamente relacionada à maneira como percebemos o mundo a nossa volta (LIMA, 2005). É importante trabalhar a atenção em adultos visto que, hoje em dia, a grande maioria das pessoas vive um cotidiano corrido onde, na maior parte das vezes, muitas responsabilidades que acabam por sobrecarregar, seja no trabalho, na faculdade, na família, dentre outras, fazendo com que muitos sujeitos diminuam sua atenção. O presente artigo classifica-se como Revisão de Literatura ou Pesquisa Bibliográfica que consiste em uma maneira de investigação frequentemente usada por todas as áreas do conhecimento (Ludwig, 2009). jogo Darllav espera atrair o interesse de adultos utilizando pontos que envolvem competição, vitória, valores financeiros, e uma parcela de sorte; juntos, esses pontos pedem do jogador uma atenção contínua ao jogo. A partir das pesquisas conclui-se que a atenção no adulto necessita ser trabalhada um pouco mais, pois tem questões no cotidiano do mesmo que se passa despercebida e o jogo Darllav é um instrumento que pode ser utilizado para estimular a atenção e trabalhar ainda mais o desenvolvimento da mente.

Palavras-chave: Atenção, Jogo Darllav, Atenção no Adulto, Tipos de Atenção.

1. Introdução

Aquilo que damos atenção é resultado de um processo seletivo no qual nosso cérebro diminui o fluxo de informações que chegam até nós numa tentativa de compreender o que se passa no ambiente. Quando estamos diante de um estímulo novo, buscamos detalhamentos visuais informativos, seja através dos sons, dos cheiros, das cores, tudo aquilo que puder nos fornecer informações a fim de entender o que se passa no ambiente.

Darllav é um jogo a moda antiga, é um daqueles jogos no qual toda a família se reúne em volta da mesa por horas para divertir-se, mas na contemporaneidade idealizamos e/ou criamos um novo jogo, que de forma inovadora busca atender ao público adulto trabalhando a atenção, já que nos dias atuais o homem vive em um mundo dinâmico tendo uma vasta gama de tarefas a desempenhar. Partindo desse princípio buscamos a partir do jogo Darllav unir diversão enquanto se trabalha a atenção de forma lúdica.

O jogo Darllav busca trabalhar, não apenas aquela atenção de “Prestar atenção em algo”, mas outros tipos de atenção, tais como: Atenção Concentrada e Atenção Seletiva, ambas embasam e ditam como o jogo irá se desenvolver. À medida que o adulto vai jogando, cada vez mais cria-se estratégias mentais que lhe permitirão ganhar o jogo, dessa forma a atenção é cada vez mais estimulada sem que se torne algo cansativo, isso fará com que você se vicie em Darllav.

2. Referêncial Teórico

2.1 Conceituando Atenção

Para entender como funciona a Atenção faz-se necessário compreender como percebemos as coisas a nossa volta, fenômeno esse que chamamos de Processamento Perceptual. Nossos órgãos sensoriais captam informações do meio externo, essas informações são levadas até o nosso sistema nervoso central onde são processadas pelo nosso cérebro e percebidas a partir da consciência, na qual são acrescentadas representações internas da estimulação sensorial que o ambiente oferece. O processo de percepção acontece a partir de dois procedimentos básicos distintos, o Bottom-Up – processos dirigidos por dados consistem na combinação de elementos básicos que entram no sistema sensorial, acontece de forma involuntária; e o Top-Down – processos dirigidos conceitualmente, que por sua vez consiste na análise voluntária dando ênfase ao conhecimento, a experiência e o significado na formação da percepção (SCHIFFMAN, 2005).

Podemos definir a Atenção como sendo a nossa capacidade de responder aos estímulos mais expressivos do ambiente. Assim sendo, o sistema nervoso central seleciona as informações captadas através dos órgãos sensoriais dando ênfase aquilo de maior relevância para nós a partir da nossa interação com meio externo. Portanto, a Atenção está intimamente relacionada à maneira como percebemos o mundo a nossa volta (LIMA, 2005).

Aquilo que damos atenção é resultado de um processo seletivo no qual nosso cérebro diminui o fluxo de informações que chegam até nós numa tentativa de compreender o que se passa no ambiente. Quando estamos diante de um estímulo novo, buscamos detalhamentos visuais informativos, seja através dos sons, dos cheiros, das cores, tudo aquilo que puder nos fornecer informações a fim de entender o que se passa no ambiente (SCHIFFMAN, 2005).

A Atenção também envolve processos não-sensoriais que estão relacionados à nossa motivação, emoções, intenções, expectativas e memórias. Esses processos nos permitem focar naquilo que é mais significativo no ambiente, assim a atenção pode ser mudada intencionalmente. Nosso cérebro realiza esses processos rapidamente e de forma eficaz, processa informações múltiplas através da seleção, possuímos um mecanismo central que amplia os estímulos relevantes e enfraquece os irrelevantes. De acordo com Kastner citado por Schiffman (2005):

“Quando a imagem retiniana contém estímulos múltiplos a atividade de sua representação cortical correspondente depende do grau de atenção a eles concedida. Especificamente, quando a atenção é dirigida a um estímulo especifico ou importante na imagem retiniana, aumenta a atividade de sua representação cortical correspondente, enquanto diminui a resposta neural aos estímulos renascentes e sem importância.”

Assim pode-se afirmar a existência de um mecanismo córtico-atencional que filtra os estímulos relevantes do meio. Isso nos ajuda a “prestar atenção” nas coisas, focamos em algo porque nosso cérebro nos ajuda a selecionar as informações mais relevantes para nós de acordo com o momento e com o ambiente em que estamos.

2.2 Porque trabalhar a atenção em adultos?

É importante trabalhar a atenção em adultos visto que, hoje em dia, a grande maioria das pessoas vive um cotidiano corrido onde, na maior parte das vezes, muitas responsabilidades que acabam por sobrecarregar, seja no trabalho, na faculdade, na família, dentre outras, fazendo com que muitos sujeitos diminuam sua atenção.

Compreendendo que a atenção não é o simples ato de focar a mente em alguma coisa, mas é ter consciência interior sobre si mesmo, algo que deve ser percebido tanto no meio externo como no meio esterno, processo esse que chamamos de Atenção Interna e Atenção Externa.

Diante do fato de muitas situações cotidianas passarem despercebidas, observa-se a necessidade de se trabalhar a atenção nos adultos, já que os mesmos, acabam não dando a devida importância necessária a esses pequenos detalhes rotineiros, de certa forma isso acaba prejudicando diretamente os mesmos de diferentes formas.

O jogo traz um momento lúdico, mas com uma estimulação da atenção. Durante as rodadas o jogador fica mais atento ao jogo, assim trabalhando sua concentração, formulação de estratégias, como também a atenção.

2.3 O que é o jogo Darllav e como a atenção é trabalhada no jogo?

O jogo Darllav visa estimular a atenção, onde o participante tem que utilizar suas habilidades para que execute o jogo com êxito.

A atenção seletiva é a forma de selecionar coisas ou algo que está no ambiente. É de suma importância a atenção seletiva, pois o cérebro organiza as informações que foram obtidas. A seleção é fundamental para o ser humano onde as informações são executadas e transmitidas, através de selecionar (LURIA, 1979).

Falar em atenção abrange vários aspectos, dentre eles irão ser especificado cinco. Os tipos de atenção são: Concentrada, sustentada, seletiva, alternada e dividida. A atenção concentrada é quando foca é uma única coisa, embora tenha várias situações acontecendo; Sustentada é caracterizada por manter a atenção por um longo tempo; A seletiva foi citada anteriormente; alternada é quando escala de forma a aprender em níveis de acordo com as etapas; Dividida é quando respondemos a vários estímulos simultaneamente (CROISILE, 2010).

A atenção concentrada inicia no momento do jogo, onde o participante tem que focar para prosseguir na sua jogada, sustentada mantendo a atenção do jogo também possibilita a vitória. A seletiva seleciona o jogo que faz parte de um objeto de atenção. Alternada prosseguindo na condução de alternar os níveis e a dividida que embora tudo esteja acontecendo no ambiente, mas responde a atenção simultaneamente. Os tipos de atenção são de suma importância para o desenvolvimento do jogo.

2.4 Regras do jogo Darllav

O jogo pode ser jogado de 3 a 7 pessoas. Uma pessoa no banco, e as outras pessoas podem ficar individual ou dividido em duplas, cada equipe fica com um dado de uma cor diferente. O jogo se inicia assim: cada equipe pega uma carta, as cartas são viradas de cabeça para baixo, são três castas: 1,2,3. Quem pegar a carta (um) 1 começa jogando e assim sucessivamente.

O participante que ficar no banco ele vai controlar o jogo, fazendo as somas, e falando as regras quando os participantes tiverem dúvidas, mais só pode falar sobre as regres se mais de um participante pedir.

O objetivo do jogo é terminar a rodada com mais dinheiro que seus oponentes.

  1. Quem terminar primeiro espera os outros oponentes chegarem.
  2. Se caso o que terminar primeiro, tiver a frente dos outros oponentes 10 casas ele volta ao jogo, para a mesma casa do oponente que ele escolher e ganhara 50% do valor que ele tem em mão.

Os participantes podem emprestar seu dinheiro ao banco e ganhara 10% de juro do dinheiro a cada duas rodadas, e só podem pegar o dinheiro de volta junto com o juro duas rodadas, só podem emprestar no máximo 30% de seu dinheiro ao banco.

  1.  Caso o participante pare na casa preta onde ele perde todo o dinheiro que tem em mão, se ele tiver dinheiro no banco ele não sai do jogo, ele espera duas rodadas contando da rodada que ele parou na casa preta para poder recuperar o seu dinheiro do banco para prosseguir no jogo.
  2. Caso o jogador caia na casa preta e só tenha 2 jogadores ou duas duplas o competidor que caiu na casa preta terá a oportunidade de consultar as cartas, se ele tirar o coringa, ele voltar para o jogo para a casa 1 e com apenas 50% do valor que ele iniciou a partida.

Caso o participante não tenha a quantia exata para pagar uma porcentagem, sempre será a arredonda para mais. Ou seja, se for 3% e ele não tem como pagar esse valor exatamente, será arredondado para 5%, e assim sucessivamente.

3. Metodologia

O presente artigo classifica-se como Revisão de Literatura ou Pesquisa Bibliográfica que consiste em uma maneira de investigação frequentemente usada por todas as áreas do conhecimento (LUDWING, 2009). A finalidade da pesquisa bibliográfica, como relata Marconi e Lakatos (2010, p. 57): “É colocar o pesquisador em contato direto com tudo o que foi escrito, dito ou filmado sobre determinado assunto”.

Na pesquisa bibliográfica, considera-se a possibilidade do pesquisador explorar novos pontos de vista a partir da análise do conteúdo já publicado. Assim sendo, a pesquisa bibliográfica não consiste, meramente, em repetir aquilo que já foi dito sobre o assunto proposto, mas viabiliza a averiguação do tema sob uma nova perspectiva ou enfoque, podendo levar a novas conclusões (MARCONI e LAKATOS, 2010).

Sendo assim, faz-se uso do Jogo Darllav como método para alcançar os resultados esperados comprovando assim a eficácia do Jogo como instrumento de intervenção em adultos, tendo como objetivo principal trabalhar a atenção a partir das estimulações presentes no Jogo.

4. Resultados Esperados

O jogo Darllav espera atrair o interesse de adultos utilizando pontos que envolve competição, vitória, valores financeiros, e uma parcela de sorte; juntos, esses pontos pedem do jogador uma atenção contínua ao jogo. Busca-se a percepção de que forma a atenção é dada ao decorrer de cada jogada, buscando entender quais momentos do jogo pedem maior atenção dos participantes e quais momentos do jogo os participantes tem a atenção mais dispersa. Também, perceber a relação entre a atenção ao ponto de partida e chegada e aos valores financeiros, avaliando qual dos dois os jogadores terão mais atenção e melhores estratégias, se no inicio ou no fim da partida.

Espera-se que o jogo possa melhorar a atenção do adulto de forma lúdica ao passo em que jogando os jogadores vão focando sua atenção e utilizando de estratégias cada vez mais elaboradas. O jogo exige uma percepção apurada em que ocorrem vários processos neuronais, ou seja, ocorrem diversas trocas de informações entre o meio interno e externo do participante.

5. Conclusão

A partir das pesquisas conclui-se que a atenção no adulto necessita ser trabalhada um pouco mais, pois tem questões no cotidiano do mesmo que se passa despercebida e o jogo Darllav é um instrumento que pode ser utilizado para estimular a atenção e trabalhar ainda mais o desenvolvimento da mente.

O Darllav é uma nova versão de jogo de tabuleiro, com o objetivo de conseguir conquistar a maior fortuna sendo o único jogador a não ir à falência, podendo levar essa experiência para ser utilizada em seu dia a dia.

Apesar de no dia a dia nos depararmos com o imponderável, no mundo real muitas vezes os resultados de atitudes tomadas em relação á vida financeira pode ser muito mais determinantes que os golpes de sorte ou azar. Por isso, grandes investidores não negam que o acaso possa lhes ter ajudado a alcançar o sucesso, mas costumam dizer que o conhecimento sobre o mercado é fator crucial para qualquer um alcançar seus objetivos financeiros. O jogo Darllav veio para estimular cada vez mais nossa atenção. Afinal, na vida todos jogam Darllav! 

Sobre os Autores:

Antônia Adriana Pinheiro Ferreira - Graduanda do Curso de Psicologia da Faculdade Vale do Salgado – FVS.

Alan da Silva Rolim - Graduando do Curso de Psicologia da Faculdade Vale do Salgado – FVS.

Dalvelina de Ferreira Melo - Graduanda do Curso de Psicologia da Faculdade Vale do Salgado – FVS.

Leidiana Lima de Oliveira - Graduanda do Curso de Psicologia da Faculdade Vale do Salgado – FVS.

Luana Alves Silva - Graduanda do Curso de Psicologia da Faculdade Vale do Salgado – FVS.

Luienni Victória Lima Guimarães - Graduanda do Curso de Psicologia da Faculdade Vale do Salgado – FVS.

Robson Caetano Germano - Graduando do Curso de Psicologia da Faculdade Vale do Salgado – FVS.

Apêndice: tabuleiro do jogo

Darllav: tabuleiro do jogo

Referências:

LURIA, Alexander. Curso de Psicologia geral. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979 (4 vols.)

CROISILE, Bernard. Como funciona nossa atenção. Disponível em: <https://www.superaonline.com.br/blog/template_permalink.asp?id=119>. Acessado em 29 de novembro de 2015.

LIMA, Ricardo Franco de. Compreendendo os Mecanismos Atencionais. Disponível em:< http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S1806-58212005000200013&script=sci_arttext >. Acessado em 28 de Nov de 2015.

MARCONI, Marina de Andrade. LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de Metodologia Científica: Técnicas de Pesquisa. 7 ed - São Paulo: Atlas, 2010.

SCHIFFMAN, Harvey Richarrd. Sensação e Percepção. Tradução: Luiz Antônio Fajardo Pontes, Stella Machado; revisão técnica: Marurício Canton Bastos, Denise Rodrigues. Rio de Janeiro: LTC, 2005.