Resumo: O presente trabalho surgiu da preocupação existente com as dificuldades de aprendizagem apresentadas por educandos nas instituições escolares e pretende provocar reflexões teóricas acerca da atuação da Psicopedagogia nestas instituições, sua competência e a busca permanente pelo reconhecimento e regulamentação da Psicopedagogia como profissão. Para isso desenvolveu-se um estudo bibliográfico em material de renomados estudiosos da área psicopedagógica em que se buscou um aprofundamento teórico da história da Psicopedagogia no Brasil, a influência da Pedagogia e da Psicologia em sua área de atuação, sua contribuição no processo de aprendizagem dos sujeitos que apresentam dificuldades no seu processo de aprender e o trabalho psicopedagógico na instituição escolar, tendo como enfoque o caráter preventivo e terapêutico relacionado a solução de problemas de aprendizagem. No contexto da educação escolar, vê-se a necessidade significativa da atuação do psicopedagogo como profissional habilitado que tem como objeto de estudo o processo de aprendizagem dos sujeitos e assim busca atuar nas dificuldades encontradas na efetivação da aprendizagem. Conclui-se que a atuação psicopedagógica em instituições escolares contribui de forma significativa no sucesso de todos os sujeitos aprendentes que se encontram nos ambientes escolares.

Palavras-chave: Aprendizagem, Instituições Escolares, Atuação Psicopedagógica.

Resumo: A atuação do psicólogo no contexto escolar vem sendo motivo de discussão desde as últimas décadas, na tentativa de construir novas perspectivas teóricas e práticas para a profissão, que até então, esteve pautada no modelo clínico de intervenção. Logo, o presente estudo tem por objetivo compreender da perspectiva da equipe técnico-pedagógica de uma escola da rede pública do interior do Estado de Rondônia como é a percepção do trabalho do psicólogo escolar e educacional. Participaram dessa pesquisa, seis pedagogos, sendo este um estudo qualitativo-descritivo, na qual através dos dados obtidos, constatou-se por meio da análise de conteúdo, que ainda há desconhecimento e equívocos sobre as expectativas em torno do papel do psicólogo escolar e educacional, mas também possibilita novas discussões sobre uma prática crítico-reflexiva que considere o processo educacional como um todo.

Palavras-chave: Psicólogo Escolar e Educacional, Equipe técnico-pedagógica, Psicologia Escolar e Educacional.

Resumo: Uma condição básica é que haja escolarização real e efetiva da população, pois o letramento surgiu quando o acesso à escolaridade se ampliou e para isso, houve mais pessoas sabendo ler e escrever, passando a aspirar há um pouco mais do que simplesmente aprender a ler e a escrever. Torna-se necessário o desenvolvimento de um aluno independente no processo do letramento, pois há evidências científicas que as atividades que estimulam de forma mais sistemática o desenvolvimento da consciência fonológica afetam positivamente a aprendizagem da leitura e da escrita. A psicopedagogia pode auxiliar o aluno neste processo, pois diante de muitos avanços, a criança que não está conseguindo aprender é entendida e trabalhada, não como alguém que possui um déficit ou um problema, mas como um aprendiz que possui um estilo de aprender diferente, que está diretamente relacionado ao estilo de família e da comunidade a que pertence. Através da Psicopedagogia encontram-se subsídios e alternativas para uma realidade encontrada nos alunos atualmente.

Palavras-chave: Escolarização, Desenvolvimento, Psicopedagogia.

Resumo: Este trabalho tem como objetivo apresentar, de forma sintetizada, o amplo leque de possibilidades de atuação do psicólogo na instituição escolar. Baseado em pesquisas bibliográficas e em breve pesquisa de campo com psicólogos atuantes em uma escola privada da cidade do Natal, efetua sucintas considerações sobre o papel do psicólogo escolar bem como menciona algumas teorias que tem sido referenciadas pelos profissionais da área.

Palavras-chave: Psicologia escolar, instituição escolar, escola, atuação do psicólogo

Resumo: Na busca de saber a importância do afeto na relação entre aluno-professor, descobriu-se que a afetividade já foi bastante estudada e considerada como  um dos fatores a ser desenvolvido nessa relação, pois é através das interações sociais que se constrói a aprendizagem. O professor pode ter uma postura de facilitador, estimulando o processo de aprendizagem ou bloquear o desenvolvimento desse sujeito em construção. Os sentimentos são um dos elementos que constituem o ser humano, de forma que não podem ser negligenciados e sim desenvolvidos, pois fazem parte de suas habilidades e competências altamente valorizadas na atualidade. Nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) ( Brasil,  1997), consta que uma educação de qualidade deve desenvolver as capacidades interrelacionais, cognitivas, afetivas, éticas e estéticas, visando a construção do cidadão em todos os seus direitos e deveres. Verificou-se a necessidade de desenvolvimento de projetos escolares que contemple o trabalho das emoções.

Palavras-chave: afetividade, aprendizagem, autoestima, relação aluno-professor.

Resumo: Este relato de experiência foi elaborado tendo como base a experiência de estágio em uma escola privada da cidade de Teresina. A finalidade do trabalho foi proporcionar as crianças à ampliação do repertório referente a habilidades de organização tempo, tornando-as sujeitos mais autônomos, contribuindo para o melhor desenvolvimento das atividades em sala de aula e assim favorecendo o autocontrole e a organização do tempo. Foram desenvolvidas atividades nas turmas de Infantil II (crianças com a média de idade de 5 a 6 anos). As atividades foram realizadas inicialmente em uma sala especialmente preparada para os encontros, pois, em função da quantidade de alunos por sala, mais de 30 alunos, e para que houvesse mais oportunidade de poderem se posicionar, as turmas foram divididas. A leitura e a reflexão de um livro e um momento posterior de relaxamento foram algumas das atividades desenvolvidas, porém, elas não conseguiram atingir os resultados esperados, pois não houve um momento reservado especialmente para que estas orientações fossem dadas as professoras e para que assim houvesse um encadeamento de ações e que nenhuma ação fosse feita isoladamente.

Palavras-chave: Psicologia Escolar, atividades em grupo, organização do tempo.

1. Introdução

Este trabalho teve como objetivo compreender o processo de ensino-aprendizagem dos deficientes auditivos na escola inclusiva, para isso foi necessário levantar as etapas desse processo, pesquisar os métodos utilizados, identificar as expectativas do deficiente auditivo e por fim observar o papel do tradutor no processo de aprendizagem.

Resumo: O presente artigo se propõe a  fazer uma análise do filme “A cor do Paraíso” de Majid Majid, tomando como base pressupostos teóricos da Psicologia do Excepcional referentes à concepção de deficiência, especificamente a visual, dinâmica familiar do portador de necessidades especiais e aspectos relacionados à escolarização e profissionalização.

Palavras-chave: Deficiência visual, Dinâmica familiar, Educação.