Resumo: Decorrente da reflexão e indagação sobre as mazelas históricas que assolam as escolas publicas brasileiras e considerando o papel de mediação do professor entre o conhecimento historicamente produzido e o aluno, o presente trabalho teve por objetivo investigar as concepções de professores em relação ao fracasso escolar. Para a realização de tal pesquisa foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com 06 professores do ensino fundamental de uma escola situada em uma cidade de médio porte do estado do Paraná cujos dados do IDEB (Índice de desenvolvimento da educação básica) apontavam dificuldades sobre a escolarização. O conteúdo das entrevistas foi analisado mediante o método de análise de conteúdo proposto por Campos (2004), e concomitantemente observado sobre a luz da teoria das representações sociais, respeitando por fim a rede complexa que constitui o fracasso escolar. Os resultados apontam um discurso contraditório por parte dos professores, visto atribuírem como principais elementos constituintes do fracasso escolar a família e o aluno, e ao que consiste o sucesso escolar apontarem o método pedagógico, ou seja, o próprio professor como gestor do processo. Por fim constatou-se durante análise forte sentimento de desamparo do professores para o enfrentamento do fracasso escolar, desamparo este que perpassa as facetas do desamparo teórico, relacional e do próprio sistema de ensino.

Palavras-chave: Fracasso escolar, Professores, Psicologia Escolar.

Resumo: A Educação Infantil é muito importante para o desenvolvimento global da criança e, os aspectos que envolvem a Psicomotricidade favorecem o processo ensino-aprendizagem já que compreendem a educação como algo mais amplo do que a simples transmissão de conhecimentos. Sendo assim, através deste artigo fazer algumas considerações sobre a importância da Psicomotricidade na Educação Infantil, visando o equilíbrio e o desenvolvimento motor e intelectual da criança; sendo realizado através de procedimentos metodológicos da pesquisa bibliográfica e exploratória. Finalizando percebeu-se a importância da Psicomotricidade para a educação infantil como instrumento do fortalecimento da criança enquanto sujeito, e servindo como ferramenta para todas as áreas de estudo voltadas para a organização afetiva, motora, social e intelectual do aluno. Pois ela contribui para o processo educativo, no intuito de desenvolver nos alunos um desenvolvimento psicomotor satisfatório e, ao mesmo tempo, contribuir para uma evolução psicossocial e o sucesso escolar da mesma. Sendo importante o educador ter conhecimentos sobreacontribuição da psicomotricidade para o crescimento infantil.

Resumo: O homem está contínuo e constantemente em contato com uma vasta gama de estímulos que o cerca, advindos tanto do seu meio ambiente externo, como de seu meio interno, ou seja, o organismo. Um mecanismo auxiliar de consciência realiza o processo de seleção desses estímulos permitindo ao organismo humano empreender e manter programas de ação sobre o meio, esse processo depende de uma função psicológica superior, é a atenção. Para o empreendimento do estudo deste mecanismo complexo da atividade humana fez-se necessário a realização de estudo teórico profícuo sobre o tema. Assim objetiva-se realizar uma análise dos fatores constituintes de atenção destacando as crianças, principalmente pré-escolares, a partir de diversas teorias disponíveis, realizando conexões da atenção com as demais funções psíquicas superiores, com questões educacionais e a aprendizagem.

Palavras-chave: estímulos, atenção, aprendizagem.

Resumo: O artigo aborta a temática do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade – TDAH no contexto escolar. Considerado o transtorno de desenvolvimento infantil mais diagnosticado na contemporaneidade. Visto que existem profissionais da área da educação e os próprios pais de crianças portadoras do transtorno que desconhecem o seu real significado, dificultando assim no convívio escolar e familiar desta criança. Para que não haja distorção, acreditando que toda criança “agitada”, “desorganizada” e “inquieta” também tenham o transtorno, é importante que os profissionais da área da educação tenham conhecimento acerca do tema, ajudando assim essas crianças no processo ensino-aprendizagem. Este estudo trouxe como objetivo verificar o grau de informação dos professores das escolas públicas e privadas do ensino fundamental I sobre o TDAH. A metodologia usada foi baseada em pesquisa qualitativa. Participaram 12 professores (6 professores de escola pública e 6 de escola particular). A coleta de dados constituiu numa entrevista semiestruturada com 5 questões gravadas com consentimento dos entrevistados, dividida em dois momentos: a primeira composta por itens relativos a dados sócio-demográficos e a segunda verificando as informações do conteúdo qualitativo. Os professores demonstraram uma carência de informações a respeito do transtorno, em especial os atuantes das escolas públicas e particular (verde), devido à falta de subsídios da própria instituição, em contrapartida a escola particular (amarela) disponibiliza um acompanhamento contínuo com a família, professores e todos os envolvidos no crescimento educacional da criança com TDA/H, o que fica evidente ser a única escola entrevistada com método de ensino favorável ao portador do transtorno. Conclui-se assim que é necessário proporcionar ao ambiente escolar mais conhecimentos sobre o TDA/H, oferecendo palestras, cursos, reuniões pedagógicas com o grupo escolar visando qualificar o quadro docente da instituição.

Palavras-chave: Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), Professores do ensino fundamental,  Psicologia escolar.

Resumo: O presente trabalho propõe uma reflexão a partir de uma experiência de estágio supervisionado em Psicologia Escolar realizado pelas autoras em diferentes escolas, localizadas em município da região norte do estado do Rio Grande do Sul. O estágio foi realizado no período letivo do ano de 2012, envolvendo atividades junto a séries iniciais, aos representantes de turma e junto aos professores e pais. A metodologia de análise das relações dentro da escola, espaço dinâmico onde se dá a prática do psicólogo escolar, foi a partir dos institucionalistas Bleger e Lapassade, visto que seus conceitos teóricos se aplicam dentro desta realidade. Com base nessas perspectivas, acredita-se que a escola deveria ser um lugar para o pensar, para a reflexão, para o saber. No entanto, constatou-se na experiência realizada, que o instituído acaba tolhendo a liberdade de expressão de seus integrantes impondo suas verdades, como verdades absolutas, ou seja, temos uma instituição conservadora, hierarquizada, onde práticas instituintes, na maioria das vezes, acabam sendo instituídas. Ao vivenciar esta experiência, conclui-se que os objetivos alcançados nem sempre são o que a escola espera, encontramos uma instituição muito burocrática, amarrada e presa a velhos conceitos, crenças e mitos que fazem parte daquela comunidade que está inserida, bem como os valores da cultura de uma população, uma equipe diretiva subordinada a uma Coordenadoria Regional de Educação.

Palavras-chaves: Análise Institucional, Instituição Escola, Bleger, Lapassade.

Resumo: este trabalho trata-se de uma pesquisa bibliográfica que pretende se aprofundar em conteúdos relacionados às influências oriundas da falta de investimento emocional da função materna e como esta falta prejudica o aprendizado da criança. O interesse desta pesquisa bibliográfica se deu devido a observação clínica de que a falta deste investimento prejudica o aprendizado da criança. Na clínica, depara-se com crianças que apresentam dificuldades de aprendizagem, sendo este tema a principal queixa dos pais; no entanto, ao dar continuidade ao acompanhamento, observam-se deficiências e às vezes até mesmo a falta da função materna desde os primórdios da vida, levando-se a considerar que em alguns casos, crianças que não tiveram este investimento de forma adequada apresentam dificuldades em aprender. Com isso, surge então, o seguinte questionamento: a falta do investimento emocional da função materna prejudica ou não o processo de aprendizagem infantil? Assim,  esse trabalho tem como principal objetivo analisar quais as dificuldades no aprendizado da criança quando falta o investimento emocional da função materna, sendo abordados ainda os conceitos de função materna e de aprendizagem humana e as relações entre ambos e quais as influências desta falta de investimento no aprendizado, tendo como principal suporte teórico o aporte psicanalítico em Freud, Winnicott e Lacan e em relação à aprendizagem autora como Alicia Fernandez será revisitada.

Palavras-chave: Influências, Função materna, dificuldade de aprendizagem, contexto familiar.

1. Introdução

O autismo é considerado um distúrbio do desenvolvimento e faz parte de um grupo de condições denominadas transtornos globais do desenvolvimento. Pessoas com esse distúrbio possuem dificuldades qualitativas na comunicação, interação social e a imaginação e consequentemente problemas comportamentais.