Resumo: Essa pesquisa descreve sobre a importância da Língua Brasileira de Sinais (Libras), como um veículo apropriado para o desenvolvimento psicossocial, linguístico e cognitivo do individuo surdo, sendo amplamente estudada, praticada e valorizada por esses sujeitos. Alem de proporcionar ao surdo um processo de inclusão, que possa ocorrer maiores adaptações a esse uso linguístico, respeitando as suas diferenças, potencialidades e limitações, na qual ele possa não só produzir e auferir rendimentos, mas antes de tudo sentir-se útil, capaz e parte integrante da comunidade. Dessa forma, objetiva-se conscientizar o psicólogo do grau de relevância do aprendizado e uso da Libras como instrumento indispensável no atendimento ao surdo, já que a não utilização do mesmo implica na não comunicação com esse individuo, uma vez que o diálogo se da através da interação gestual-visual e não oral-auditiva. Descartando a possibilidade da mediação do interprete nesse âmbito, por acarretar responsabilidades no sigilo profissional e no desenvolvimento terapêutico do paciente. Participaram do estudo, 06 psicólogos com áreas de atuação distinta, com idade variando de 28 a 37 anos, todos integrantes do corpo docente da Instituição de Ensino Superior da cidade de Alagoinhas-BA. Os resultados apontam um perfil de profissionais que não fazem uso da Libras como instrumento de trabalho, mas que em sua maioria demonstram interesse no aprendizado da mesma para favorecer o atendimento a esse grupo minoritário da população.

Palavras-Chave: Surdo. Deficiente Auditivo. Libras. Psicólogo. Humanização.

Resumo: Compreender e lidar com as emoções é um desafio para todos, a Linguagem Corporal é um dos caminhos pelo qual pode-se atingir o objetivo de aprender a lidar e assim melhorar a capacidade de compreensão entre a sociedade.  Aprofundar-se na interpretação da Linguagem Corporal é fundamental para exercer a Psicologia com mais profundidade, a partir desse conhecimento temos acesso a uma quantidade maior de indicadores que nos informam sobre o estado emocional dos interlocutores. O objetivo da pesquisa é mostrar como pode ser útil a observação da Linguagem Corporal para o psicólogo e conceituar essa comunicação.

Palavras-chave: Emoções. Linguagem Corporal. Psicologia.

Na contemporaneidade nós engendramos o ideário da felicidade a curto prazo. A decorrência desta nova maneira de valorar e viver a vida foi reduzir a extremos nossa tolerância face ao infortúnio, ao padecimento, ao desconforto. Cada cultura fornece as chaves para a interpretação do que são, para o ser humano, as ameaças de padecimento, enfermidade e morte. Mesmo nos grupos humanos primitivos o estado de ser saudável estava alicerçado em aspectos sociais, técnicos (mesmo que precários) e simbólicos. Nas sociedades modernas, pós-industriais, ocorreu uma radical transformação da experiência do sofrimento, com hipertrofia do aspecto técnico. Do sofrimento foi enfraquecida a conotação subjetiva. É o que Illich denomina “expropriação da dor” (ILLITCH, 1975). Confiscado pela tecnologia o padecimento, de qualquer ordem, tornou-se abominável.

Resumo: O presente trabalho pretende de uma forma resumida, contribuir com conhecimento atualizado sobre o sono: suas fases, características, tipos e ainda apresentar uma breve análise comparativa entre as visões da Psicanálise e da Neurociência sobre o assunto, com o objetivo de identificar possíveis pontos de contato e de divergência entre elas.
Palavras-Chave: Sono, Neurociência, Sonho, Psicanálise

Introdução

Este estudo é importante por abordar o sono, pois o ser humano passa cerca de um terço de sua vida dormindo e esta é a maior prova de que o sono é realmente importante em nossas existências. Uma boa noite de sono pode implicar em uma vida mais saudável e alguns anos vividos a mais. O desempenho das funções do nosso cérebro e do nosso corpo este diretamente ligado ao descanso obtido durante a noite. Uma noite mal dormida pode nos causar danos como falta de coordenação motora e a lentidão no raciocínio. Sabemos que a nossa saúde depende de diversos fatores, mas o sono é primordial, pois não é apenas uma necessidade de descanso mental e físico. É durante o sono que ocorrem vários processos metabólicos e se alterados, podem afetar o equilíbrio de todo o organismo.

Resumo: Pretendemos investigar a teoria de Hans Jonas para compreendermos as equivocadas concepções do conceito de natureza bifurcada e a recusa do homem em aceitar que a natureza possui unidade que permeia o próprio pensamento. O que o homem observa pela percepção sensível, perpassa o pensamento? É algo contido em si mesmo com relação ao próprio pensamento? Essa prioridade de ser contido ao pensamento significa que a natureza pode ser concebida como sistema fechado, cujas relações mútuas precedem a expressão do dado com relação ao que se pensa? A natureza independe do pensamento? O homem pensa a natureza sem pensar a origem do pensamento? O homem, ao filtrar a ideia animista da natureza, como um todo atuante e inteligível dos seus elementos, nega o inteligível do corpo? A oposição ao antropomorfismo, ontologicamente, impede que apareçam as causas finais, objeto do problema epistemológico?
Palavras chaves: percepção, pensamento, causalidade, conhecimento.

Resumo: O presente artigo incidiu sobre o estudo das Emoções, descrevendo de forma breve, os principais tópicos sobre o tema. A elaboração desse trabalho tem como objetivo, uma breve abordagem sobre algumas teorias das Emoções, a descrição de algumas definições e classificações das emoções, bem como alguma de suas funções.
Palavras-Chave: Emoções, Definições, Classificação, Teorias das emoções.

Página 2 de 3