Resumo: A questão da doença mental, sob um enfoque psicológico, significa considerá-la como produto da interação das condições de vida social com a trajetória específica do indivíduo e sua estrutura psíquica.  Essa idéia passa por diferentes abordagens desde as primeiras percepções até os dias atuais, destacando a relevância de contribuições de nomes importantes, a exemplo de Freud e a psicanálise. A normalidade individual pode ser considerada como um produto social, à medida que o diagnostico é feito dentro de uma cultura imposta, além da relevância que os fatores sociais detêm sobre esta.
Palavras – chave: doença mental, abordagens; reforma fator social.

A Psicologia fora regulamentada enquanto profissão no Brasil em 1962. A ditadura militar, instalada a partir de 1964, interferiu no processo de formação de tais profissionais despolitizando sua formação e impedindo que a temática social fosse inserida nos currículos. Pode-se dizer que despolitização, alienação e elitismo marcaram a organização da profissão originando a impressão de que o psicólogo só faz psicoterapia. (CFSS e CFP, 2007).

Dependência Química é um padrão de uso geralmente intenso que envolve um descontrole sobre a quantidade e a frequência com que se consome álcool ou outras drogas, geralmente a um desejo forte de se utilizar a substância. Existem critérios bem definidos para se caracterizar essa condição. Diferentes mecanismos levam as pessoas a se tornarem dependentes. Assim, dependência é uma relação alterada entre um individuo e o seu modo de consumir uma substancia, sendo capaz de trazer problemas para seu usuário. (MEYER et al, 2004).

Integraçaõ CAPS-PSFNa rotina dos agentes comunitários, atender casos de saúde mental é mais freqüente do que as pessoas imaginam. De acordo com uma pesquisa nacional 56% das equipes de Saúde da Família disseram realizar alguma ação de saúde mental durante seu trabalho, por isso a articulação entre saúde mental e atenção básica é fundamental.

CAPS Os Centros de Atenção Psicossocial fazem parta da nova política em saúde mental no Brasil, essa política em saúde mental é uma luta que começou há cerca de 30 anos com a reforma psiquiátrica, que, por sua vez, é responsável pela transição do modelo centrado nos hospitais psiquiátricos para um modelo de atenção comunitária.

O trabalho sempre ocupou lugar na vida da humanidade. Nós nos organizamos e nos estruturamos em função do trabalho. Baró apud Fonseca (2001), afirma que o trabalho constitui a atividade fundamental para o desenvolvimento do ser humano. As sociedades se organizam em função do trabalho e as pessoas estruturam suas vidas de acordo com as atividades de seu trabalho e a organização onde o exercem.

Página 7 de 7