Considerações Acerca do Psiquismo

1 1 1 1 1 Avaliações 0.00 (0 Avaliações)
(Tempo de leitura: 2 - 3 minutos)

Em seus aportes teóricos Freud foi levado a elaborar um modelo de funcionamento mental. Desde cedo ele forjou o termo metapsicologia mental para designar os aspetos teóricos da Psicanálise. Essa metapsicologia busca dar conta dos fatos psíquicos em seu conjunto, principalmente de sua vertente inconsciente. Ai você vai encontrar os princípios, os modelos teóricos e os conceitos fundamentais da clínica psicanalítica.

Psiquismo: Estrutura e Funcionamento

Em Conferência Introdutória Sobre Psicanálise, Freud (1916) diz que a Psicanálise define o que é mental, enquanto processos como o sentir, o pensar e o querer, e é obrigada a sustentar que existe o pensar inconsciente e o desejar não apreendido.

Este texto fará uma introdução sintetizada a fim de familiarizar o leitor com as concepções de Freud que embasam sua metapsicologia: suas teorizações sobre o inconsciente; as pulsões; o narcisismo; recalque, o princípio do prazer e da realidade; o sadismo; o masoquismo. E claro seu modelo de funcionamento mental com o ponto de vista dinâmico, econômico e tópico.

A dinâmica Psíquica

A Psicanálise explica os fenômenos mentais como sendo o resultado da interação e de contra-ação de forças mais ou menos antagônicas. As pulsões são um tipo especial de fenômeno mental que força no sentido de descarga. Zimerman (1999) define pulsão como necessidades biológicas, com representações psicológicas que urgem em ser descarregadas. È necessário distinguir pulsão do instinto, que designa explicitamente padrões hereditários de comportamento animal, típicos de cada espécie. Na Tradução Brasileira das Obras Completas de Freud pela editora Imago pulsão foi erroneamente traduzida como instinto.

Segundo Freud (1915) as pulsões são o representante psíquico dos estímulos somáticos. As pulsões tendem a baixar o nível de tensão através da descarga de forma imediata, mas existem contra-forças que se oporão a essa descarga (satisfação da pulsão). E a luta que se cria constitui a base dos fenômenos mentais.

Em Psicopatologia da Vida Cotidiana Freud (1914) diz que os lapsos de língua, erros, atos sintomáticos, sonhos são os melhores exemplos de conflitos que se produzem entre a luta pela descarga das forças que a isso se opõem. Em Conferências Introdutórias Freud (1916) defende que o produto do lapso pode ele próprio ter o direito de ser considerado como ato psíquico inteiramente válido, que persegue um objetivo próprio. Para Freud os fenômenos lacunares – sonhos, atos falhos, parapraxias, sintomas constituem um meio – êxito e um meio – fracasso para cada uma das duas intenções.

Quando as tendências à descarga e as forças repressoras que inibem essa descarga são igualmente fortes a energia consome-se em luta interna e oculta; o que se manifesta clinicamente com sinais de exaustão sem produção de trabalho perceptível. (Fenichel, 2005).

Veja mais sobre Psiquismo em:

Psiquismo: Ponto de Vista Econômico

Psiquismo: Segunda Tópica

Curso online de

Psicoterapia Breve Dinâmica

 Psicoterapia Breve Dinâmica

Aprofunde seus conhecimentos e melhore seu currículo

Carga horária:  60 Horas

Recém Revisados