(Tempo de leitura: 5 - 9 minutos)

Resumo: O conceito de narcisismo se estabelece a partir da psicanálise como a ideia de um sujeito que admira exacerbadamente sua própria imagem e nutre uma paixão por si mesmo. Este artigo visa promover discussões sobre o conceito de narcisismo e identificar como ele se constitui na formação do sujeito. Para tanto, realizou-se um levantamento bibliográfico na perspectiva de alguns autores, como: Freud, Heinz Kohut e Alexander Lowen. Nessa perspectiva, é possível construir um embasamento teórico que explique esse processo. 

Palavras-chave: Psicanálise, Freud, Heinz Kohut, Narcisismo, Alexander Lowen.

(Tempo de leitura: 38 - 75 minutos)

Resumo: A busca da Felicidade torna-se quase um dever no mundo pós-moderno e obtê-la é um desejo comum a quase todas as pessoas. Ao analisar o conceito de felicidade, focando o papel da sociedade e da cultura, a psicanálise reflete como a vida em sociedade exige sacrifícios pulsionais da ordem do desejo, causando no sujeito certo mal-estar. Com isso tem-se como objetivo desenvolver uma análise sobre o tema felicidade, evidenciando as perspectivas de Sigmund Freud, correlacionando suas ideias com as de outros autores da psicologia sócio-histórica A questão norteadora indaga em que aspectos a literatura psicanalítica dos conceitos de Freud pode contribuir na compreensão sobre as perspectivas de felicidade no mundo pós-moderno. Para tanto se utiliza como método a revisão bibliográfica com leitura e análise de obras científicas (livros, artigos e revistas), obras resultantes de videoconferências e seminários. O mundo pós-moderno perpetua um ideal ilusório de completude que leva pessoas infelizes a se portarem como se fossem felizes, por meio da busca de objetos transitórios ofertados como promotores de felicidade, mascarando o desprazer. No entanto, vivenciar ou alcançar a felicidade parece ser um desejo comum a todos os seres humanos, em todas as épocas da história, sendo que cada um escolhe o meio que interpreta como sendo o mais adequado para alcançá-la. Conclui-se que a temática da felicidade, como objeto de desejo, é pouco estudada cientificamente e não existe como um conceito já pronto e acabado, abrindo espaços para novas pesquisas acerca do tema.

Palavras-chave: Consumo, Felicidade, Psicanálise, Pós-modernidade.

(Tempo de leitura: 6 - 12 minutos)

Objetivos: Meu objetivo com este trabalho foi de apresentar algumas contribuições de diversos autores acerca da concepção de sintoma e diagnóstico, tanto em psicanálise como em psiquiatria, discutindo as implicações de cada perspectiva. Apresentei algumas definições de sintoma em medicina e psicanálise, retomando o caminho percorrido pela psiquiatria até ser tragada pelo ideal científico da sociedade moderna, e discutindo suas implicações no campo da subjetividade.

(Tempo de leitura: 17 - 33 minutos)

Resumo: O estudo deste artigo aborda o processo de comunicação e relacionamentos amorosos no ambiente virtual que hoje faz parte do cotidiano da sociedade, possibilitando maior interação entre as pessoas, uma vez que rompeu com o padrão presencial. Nessa pesquisa participaram quatro usuárias da Internet, que responderam a um questionário sobre suas opiniões e comportamentos relacionados à afetividade e relacionamento virtual. A amostra foi composta por mulheres adultas, solteiras, com e sem filhos, com níveis socioeconômico médio a alto. Para esse estudo, utilizou-se o método qualitativo onde foram realizadas entrevistas abertas, gravadas e posteriormente transcritas e analisadas conforme o método de Bardin, onde visou identificar quais as razões que levam as mulheres a estabelecer relacionamentos afetivos através de chats, comunidades, sites como Par Perfeito, Facebook, MSN e outros meios eletrônicos. Verificou-se que as participantes acreditam na possibilidade de relacionamentos virtuais duradouros, no entanto relataram necessidade de confiar para depois ter um contato face a face.

Palavras-Chave: Afetividade. Facebook. Internet. Relacionamento Virtual. Par Perfeito.

(Tempo de leitura: 4 - 8 minutos)

Resumo: A perversão é um fenômeno sexual, político, social, físico, trans-histórico, estrutural, presente em todas as sociedades humanas. O construto da perversão percorre um caminho complexo, passou por várias etapas, de modo que existiram pré-conceitos; juízos de valor e idéias moralistas frente à sua principal função. Nesse enfoque, esse estudo tem o objetivo de caracterizar a perversão sob a ótica da psicanálise. Desse modo, pôde-se estudar o conceito de perversão antes e depois de Freud, entender o conceito de estrutura perversa e discutir a perversão à luz da teoria psicanalítica.

Palavras-chave: Psicanálise, perversão, Freud

(Tempo de leitura: 4 - 8 minutos)

Resumo: O presente artigo visa apresentar e discutir algumas visões diferentes no entendimento da formação da neurose. Nesse aspecto, o trabalho objetivou compreender o olhar da psiquiatria frente à neurose, bem como os seus subtipos e ainda sistematizar a compreensão da psicanálise sobre esse fenômeno. Desse modo, foi possível examinar as principais características, além de verificar o processo de formação da neurose no sujeito.

Palavras-chave: neurose, formação, sujeito

(Tempo de leitura: 5 - 9 minutos)

Resumo: O presente trabalho destina-se a comunicar algumas considerações acerca do complexo de Édipo. O fundador da psicanálise, Sigmund Freud, instituiu o Complexo de Édipo como uma fase universal na infância do sujeito em que há uma triangulação na constituição familiar que poderá definir a estrutura psíquica do indivíduo. Assim, o artigo objetivou entender o complexo de Édipo a partir da teoria freudiana, bem como compreender o processo de dissolução do Complexo de Édipo. O trabalho torna-se essencial para a construção do entendimento em psicanálise, bem como esclarecer ou desmistificar esse processo.

Palavras-Chave: Complexo de Édipo, Sigmund Freud, Psicanálise

(Tempo de leitura: 7 - 14 minutos)

Resumo: Este trabalho pretende apresentar algumas contribuições psicanalíticas sobre a religião enquanto instituição e enquanto experiência do sujeito. A psicanálise, concebendo o sujeito enquanto faltoso, nos convoca a pensar na religião enquanto aquilo que oferece o complemento desta falta constitutiva do sujeito. Concebendo o desejo como impossível de ser satisfeito completa e permanentemente, a religião, seria um convite à ilusão da consistência, da completude. A psicanálise vem, então, para denunciar a retirada da responsabilidade e autonomia do sujeito religioso e sua alienação na figura do Outro, enquanto portador de um suposto saber do qual o próprio sujeito desconhece.

Palavras-chave: Psicanálise, Religião, Sigmund Freud

Leia mais com Kindle

Tenha a melhor experiência de leitura com seus livros em um Kindle.

Curso online de

Psicossomática

 Psicossomática

Curso 100% online e com certificado de 60 Horas

Boletim por e-mail

Junte-se aos mais de 98.210 leitores que recebem nosso boletim eletrônico:


Parceiros

Portal Psicologia