Análise da Máscara e Sombra Junguianas na Sociedade Chinesa Contemporânea

1 1 1 1 1 Avaliações 0.00 (0 Avaliações)
(Tempo de leitura: 2 - 4 minutos)

Pretende-se, neste artigo, relacionar o evoluir mais recente da sociedade chinesa no que diz respeito à Máscara e Sombra.

Tenha-se em conta, baseando-nos, por exemplo, no meu artigo Máscara ( Persona ) e Sombra de Jung: suas relações com o Capitalismo e o Comunismo ( Resende, 2007 ), que o Comunismo estará mais associado à Sombra enquanto que o Capitalismo estará mais associado à Máscara. Deste modo, se pode associar o comunismo presente na União Soviética com a predominância da Sombra podendo-se relacionar o capitalismo presente nos Estados Unidos da América com a predominância da Máscara.

Tendo isto dito, como se pode caracterizar a sociedade chinesa contemporânea, ao nível dos arquétipos Máscara e Sombra, em que havendo uma governação comunista, de modo relativamente permanente, tem um sistema capitalista instaurado, com as suas Zonas Económicas Especiais, com a respectiva economia de mercado? De facto, é costume dizer-se em relação à China: “ Um país, dois sistemas! “.

É de reparar que naquele artigo, já citado, indico consequências quando se aumenta a Sombra no Capitalismo e a Máscara no Comunismo. Este último aumento, da Máscara no Comunismo, que adveio das reformas económicas iniciadas na China em 1979, traria então uma menor eficácia a lidar com o desconhecido, com aquilo de que se tem medo e uma maior eficácia na lide pública, nas relações públicas a nível global. De facto, parece ser isso que sucede, com, por exemplo, a entrada da China na Organização Mundial do Comércio, e o aumento notório da influência chinesa no mundo enquanto jogador global. Em relação a essa influência, vários analistas consideram a chegada da China ao estatuto de superpotência, ultrapassando, nesse aspecto, os Estados Unidos da América, que tem sido contemporaneamente a única superpotência existente.

Quanto a este embate de superpotências, e caracterizando mais especificamente a Máscara e a Sombra da China, dir-se-à que a China caracteriza-se pela Sombra a nível interno e pela Máscara a nível externo enquanto que os Estados Unidos da América caracterizam-se mais pela Máscara a nível interno e pela Sombra a nível externo.

Apoiando estas ideias, e para além das razões já aduzidas da Máscara a nível externo da China, estão os factos: da grande influência global, no Capitalismo global actual, dos Estados Unidos, porquanto vários analistas indicam que na suposta economia de mercado Estado-Unidense, o mercado é manipulado para atingir valores fixos pré-determinados, o que aproxima este sistema da economia planificada do comunismo soviético, que, como já vimos, está mais relacionado com a Sombra; da consideração do desconhecido e do medo do desconhecido na Sombra e o facto de os Estado-Unidenses terem tido como inimigos externos predominantes os comunistas, e, posteriormente, o terrorismo global; e finalmente, quanto à Sombra interna chinesa, o grande avanço recente da cosmonáutica chinesa, tendo os mesmos indicado que querem ser os primeiros a chegar a Marte, e o quanto isso relaciona a República Popular da China com a Sombra a nível interno, pelos motivos já indicados no artigo acima referenciado, do avanço dos Soviéticos na Corrida Espacial relacionar mais a Sombra e o Comunismo, considerando a escuridão do Espaço, do Universo à nossa volta, como tendo sido sentido com temor pelos humanos pré-históricos, havendo, pois, medos e sentimentos negativos na Humanidade.

Reiterando, temos, então, especificamente em relação à China: uma predominância da Sombra a nível interno e uma predominância da Máscara a nível externo.

Referência:

Resende, S. ( 2007 ). Máscara ( Persona ) e Sombra de Jung: suas relações com o Capitalismo e o Comunismo in www.redepsi.com.br, na secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 09/10/2007

Curso online de

Neurobiologia da Ansiedade

 Neurobiologia da Ansiedade

Aprofunde seus conhecimentos e melhore seu currículo

Carga horária:  60 Horas