Descrição dos tipos Junguianos introvertido e extrovertido

1 1 1 1 1 Avaliações 0.00 (0 Avaliações)
(Tempo de leitura: 4 - 8 minutos)

Carl Gustav Jung criou e aprimorou o conceito de reflexivo e ativo para Introvertido e Extrovertido. Primeiro os tipos gerais de atitude, que se distinguem pela direção de seu interesse, pelo movimento de sua libido; os outros, tipos funcionais. Os tipos gerias de atitude diferencia-se por seu comportamento em relação ao objeto. Entende-se para esses termos que o Introvertido dá enfoque ao objeto e, a Introversão, refere seu enfoque ao sujeito.

Então, em sua proposta teórica, ele nos diz que temos duas tendências básicas de personalidade: ou sendo do tipo introvertido ou extrovertido. Podemos perceber que temos, naturalmente, dois mundos o interior e o exterior e elegemos qual preferir e desenvolver mais.

Pode-se dizer que o tipo introvertido seria aquela pessoa que precisa voltar-se para seu mundo interior e explorá-lo, pois os seus referenciais lá se encontram.
Enquanto que o tipo extrovertido experimenta em seu mundo exterior os elementos referenciais dos quais precisa.

Os dois tipos são tão diversos e sua oposição é tão evidente que sua existência é plausível ate para o leigo nas coisas psicológicas, se alguma vez for alertado para isso.todos conhecemos aquelas naturezas fechadas, difíceis de penetrar, muitas vezes ariscadas que contrastam violentamente com os caracteres abertos, sociáveis ou, ao menos, amigáveis, que se entendem ou brigam com todo mundo, mas sempre relacionando, influenciando e sendo influenciados.

Biologicamente a situação entre sujeito e objeto é sempre uma relação de adaptação. Cada relação dessas pressupõe efeitos modificativos de um sobre o outro. Essas modificações constituem a adaptação.

O extrovertido se caracteriza por ter constante doação e intromissão em tudo; a tendência do introvertido é defender-se contra as solicitações externas e precaver-se de qualquer dispêndio de energia que se refira diretamente ao objeto, mas criar si uma posição e fortificada ao Maximo. Quando ocorre uma falsificação do tipo, devido a influências externas, o individuo se torna, na maioria dos casos, neurótico e a cura só é possível restabelecendo-se a atitude que naturalmente correspondência ao individuo.

O introvertido volta-se para si mesmo, absorve-se em seu mundo interior, ao passo que o extrovertido volta-se para fora, para o mundo, estando muito mais interessado no que aí ocorre do que em suas próprias experiências particulares. Jung subdivide ambos os tipos em tipos pensamento, sentimento, intuição e sensação. Assim, poderá haver um tipo pensamento introvertido, um tipo pensamento extrovertido, um tipo sentimento introvertido ou extrovertido e assim por diante.

Tipo extrovertido

Tipo sensação extrovertida

O tipo sensação extrovertida refere-se na apreciação sensorial das coisas. Se vai a uma reunião social saberá descrever como estavam vestidas as pessoas e imediatamente reconhecerá a qualidade dos móveis, dos tapetes. Relaciona-se de modo concreto e prático aos objetos exteriores. Adapta-se facilmente às circunstâncias possuindo seguro sentido da realidade. Pertencem a este tipo aqueles de quem se diz correntemente que "sabem viver. O importante para ele é a descrição minuciosa, exata, dos objetos. E a atenção às manifestações da vida subjetiva se lhe afigura sintoma de doença ou, pelo menos, coisa inútil.

É eficiente e prático, mas, como a intuição é a sua função inferior, acontece freqüentemente que não percebe o desdobramento de possibilidades novas. Isso tem sido o motivo do fracasso surpreendente de muito industrial ou comerciante como o texto nos mostra. A intuição pouco desenvolvida não somente falha, mas também muitas vezes segue pistas erradas ou apreende de preferência as possibilidades negativas dos objetos. Sendo a função inferior de um extrovertido, será necessariamente introvertida e por isso desenvolvem-se fobias de toda espécie e sintomas de obsessão que possam cair sobre o individuo.

Tipo intuição extrovertida.

Este tipo está sempre farejando novas possibilidades, coisas que ainda não assumiram formas definidas no mundo real Empreende várias iniciativas ao mesmo tempo, pois como deixará de agarrar probabilidades tão vantajosas que por assim dizer oferecem-se a ele, enquanto os outros em torno nem sequer as percebem. Se facilmente dá início a atividades novas, também do mesmo modo as abandona a meio caminho para começar outra coisa que de repente o fascinou. Não lhe agradam as situações estáveis, dentro das quais se sente como um prisioneiro. Pode4mos dizer que, sendo este tipo extrovertido, sua função inferior, a sensação, é introvertida e, como tal, tende a recuar do mundo exterior e seus problemas. Está ainda aderida ao inconsciente. Por isso, quando circunstâncias especiais lhe permitem entrar em cena, fará o indivíduo subitamente descobrir nas coisas que o cercam aspectos não pragmáticos que o deslumbram e o emocionam fora das medidas comuns.

Tipo pensamento extrovertido.

A personalidade consciente é extrovertida e o pensamento, função principal, está dirigido para o exterior. Sua atitude tende constantemente a estabelecer ordem lógica, clara, entre coisas concretas. O raciocínio abstrato não atrai o tipo pensamento extrovertido.  O ponto fraco deste tipo é o sentimento (função inferior). Embora capaz de afeições profundas, tem grande dificuldade em expressá-las. Por isso é sempre mais apreciado no seu meio profissional e social que entre os membros da própria família. A esposa e os filhos de um tipo pensamento extrovertido não se acreditam amados tanto quanto o são na realidade, pois ele nunca sabe encontrar maneiras adequadas de exprimir seus íntimos sentimentos. De outra parte, não são raras súbitas e violentas explosões de afeto que até poderão atingir graus perigosamente destrutivos. Estes fenômenos são decorrentes de uma função sentimento indiferenciada e inconsciente.

Tipo sentimento extrovertido.

Este tipo mantém adequada relação com os objetos exteriores, vivendo nos melhores termos com o seu mundo. Irradia calor comunicativo que torna o indivíduo deste tipo o centro de amigos numerosos. Mas ele sabe fazer a correta estimativa desses amigos, facilmente pesa suas qualidades positivas e negativas, e assim não forma ilusões sobre as pessoas com quem convive. As manifestações de sua afetuosidade são exuberantes e, não raro, parecem excessivas aos olhos de outros tipos.

Quando o tipo sentimento extrovertido entrega-se à vida pública pode tornar-se um grande líder, fascinando pelo apelo emocional de sua personalidade mais que pela originalidade de seu pensamento.  Essa pessoa tão transbordante de calor humano surpreende muitas vezes seus íntimos quando formula julgamentos críticos extremamente duros e frios, com o caráter de sanções definitivas. Se o controle da função superior falha (desgaste, cansaço, doença), os pensamentos negativos emergem. E, por serem produzidos pela função inferior de um extrovertido, têm as marcas da introversão, voltando-se principalmente contra o próprio indivíduo que se vê, sem motivos objetivos, destituído de todo valor, incapaz para quaisquer realizações.

Conclusão

Jung desenvolveu e introduziu os conceitos de extroversão e introversão o estudo dos tipos de personalidade. Jung via a atividade de uma personalidade extrovertida direcionada ao mundo externo e a de pessoas introvertidas, segundo o tipo de personalidade de Jung, é a pessoa ativa que fica mais satisfeita quando esta cercada por pessoas. Quando esta característica é levada ao extremo, o comportamento é uma fuga irracional para a sociedade. Quando tal característica é levada a um extremo, o mundo de fantasia e intimidade do introvertido torna-se mais importante para o individuo do que a verdadeira realidade.

Sendo assim Jung subdivide ambos os tipos, em tipos pensamento, sentimento, intuição e sensação. Assim, poderá haver um tipo pensamento introvertido, um tipo pensamento extrovertido, um tipo sentimento introvertido ou extrovertido e assim por sucessivamente.

Podemos perceber a entre o extrovertido e o introvertido, onde a extroversão relaciona-se com o ambiente e a sociedade e a introversão faz com que o individuo volte para fatores subjetivos ou mundo da imaginação.

Portanto, o nosso tipo básico de personalidade, seja o introvertido ou o extrovertido, nos diz sobre o foco no qual direcionou nossa atenção e buscamos ali elementos para a compreensão e exploração de nossas potencialidades inatas.

Quando ficamos por demais voltados para nosso mundo interior, deixamos de manifestar de forma concreta - como a vida aqui no planeta Terra nos permite e exige - tudo o que desenvolvemos em nosso íntimo.

Quando muito nos envolvemos com as exigências do mundo exterior e negligenciamos determinadas facetas internas nossas que precisam ser exploradas e desenvolvidas.

Portanto, seja a qual tipo pertencemos - introvertido ou extrovertido - sempre precisaremos harmonizar os dois mundos - o interior e o exterior. Precisaremos sempre encontrar o ponto de equilíbrio entre o nosso mundo interior e o nosso mundo exterior.

Curso online de

TCC - Terapia Cognitivo-Comportamental: Principais Fundamentos

 TCC - Terapia Cognitivo-Comportamental: Principais Fundamentos

Aprofunde seus conhecimentos e melhore seu currículo

Carga horária:  20 Horas

Recém Revisados