As Contribuições da Terapia Cognitivo-Comportamental na Inserção Social do Adolescente Portador de Deficiência Auditiva

As Contribuições da Terapia Cognitivo-Comportamental na Inserção Social do Adolescente Portador de Deficiência Auditiva
5           Avaliação 5.00 (3 Avaliações)
(Tempo de leitura: 11 - 22 minutos)

Resumo: Este estudo objetivou compreender os desafios encontrados pelo adolescente deficiente auditivo. Visou, também, refletir e analisar seu processo de inserção social. O indivíduo com deficiência auditiva pode ser acometido por essa limitação em qualquer fase da vida, o que pode dificultar seu cotidiano e, também, as atividades sociais. Para que haja sua inclusão são necessários vários tipos de recursos, e uma das sugestões levantadas no presente artigo é a terapia cognitivo-comportamental. Mendonça (2007) afirma que a inclusão de uma pessoa surda na sociedade é uma reivindicação do direito de qualquer pessoa, para que possam conviver em sociedade, sem nenhum obstáculo. Por isso é necessário refletir sobre como se processam esses direitos, entre eles a educação, profissão, saúde e qualidade de vida. Para este trabalho foi realizada uma pesquisa de natureza qualitativa e bibliográfica, a partir da leitura de diferentes autores que descrevem esse tema. Além de Mendonça foram consultados autores como: Corde, Solé, Quadros, Ribeiro, Almeida entre outros. Sendo assim, podemos pensar que os processos de construção do psiquismo nas crianças e adolescentes deficientes auditivos como algo que pode sofrer interferências, pela impossibilidade de percepção da sonoridade do mundo a sua volta.

Palavras-chave: Deficiência Auditiva, Inserção, Terapia Cognitivo-Comportamental.

 

Informar um Erro Assinar o Psicologado