Habilidades Sociais de Professores Universitários da Área de Exatas e Humanas: um estudo comparativo

Habilidades Sociais de Professores Universitários da Área de Exatas e Humanas: um estudo comparativo
(Tempo de leitura: 11 - 22 minutos)

1. Introdução

Sabe-se que o papel do professor transcende às metas de aprendizagem tradicionais e desta forma, demanda comportamentos pertinentes ao contexto social no qual o mesmo está inserido para a facilitação do processo de ensino-aprendizagem.  No meio educacional, há muitos estudos envolvendo estudantes e professores.

Segundo Coll e Colomina:

O professor é uma figura essencial para a construção dos saberes e um facilitador das potencialidades humanas. É ele que insere o indivíduo no universo intelectual e é capaz de despertar a ânsia pelo conhecimento e pelo aprimoramento do indivíduo. (1996)

Esse profissional é de suma importância no desenvolvimento social dos alunos. Bandura (2008) afirma que os membros de uma organização aprendem a comportar-se por observação das condutas dos que os rodeiam. Pode-se considerar que a relação docente-discente diz respeito ao próprio papel que o docente desempenha.

Del Prette e Del Prette (2001) expõem em dados coletados em uma pesquisa realizada com 57 professores de primeira a quarta série em escolas públicas e particulares de três cidades do interior de São Paulo que os relatos verbais de alguns professores relacionados às habilidades sociais, podem contrastar com a prática do professor em sala de aula. Uma possível razão para isso pode ser a falta de conhecimento dos professores no que concerne a propor atividades que promovam desenvolvimento interpessoal em seus alunos.

É possível perceber a importância de programas de treinamento para esses professores que estão inseridos em múltiplos contextos (desde o ensino pré-escolar até o ensino superior), afinal são nesses espaços que o professor desenvolve as suas próprias habilidades sociais e constrói o seu desempenho social, e por sua vez contribui no desenvolvimento das habilidades e desempenhos sociais de seus alunos.

Del Prette e Del Prette (2007) mencionam que a competência interpessoal raramente é relacionada como objetivo de formação profissional ocorrendo, de forma assistemática como um subproduto desejável do processo educativo, por vezes referido como currículo oculto.

Segundo Del Prette et al (1998) na literatura nacional são praticamente inexistentes relatos de intervenções especificamente voltadas para as habilidades interpessoais do professor associadas à implementação das interações educativas em sala de aula.

A partir dessa realidade, criou-se o Programa de Desenvolvimento Interpessoal Profissional (PRODIP). Esse programa objetivou treinar e auxiliar professores, no que concerne às habilidades e estratégias de ensino, baseado nas interações sociais com e entre alunos, buscando o desenvolvimento e a aprendizagem destes, bem como, o aprimoramento das habilidades sociais necessárias para o seu ambiente profissional. (DEL PRETTE et al,1998).

Para Soares et al (2009), o conhecimento e domínio do docente são importantes para um aproveitamento real dos alunos, porém há a necessidade de uma terceira força integrante para que haja a promoção efetiva desse aprendizado, que são as habilidades sociais.

Para compreender essas habilidades sociais é necessário compreender que:

O conceito atual de um comportamento socialmente habilidoso envolve a capacidade de o indivíduo atingir satisfação pessoal, simultaneamente, ao desenvolvimento e a manutenção de relacionamentos benéficos e sustentadores reciprocamente. (MEIRELES, 2008, p.9)

Segundo Soares et al (2011) o repertório social pode ser caracterizado por um grupo de comportamentos sociais que auxiliam o convívio adequado em ocasiões e oportunidades diversas, tornando as relações interpessoais profícuas e satisfatórias.

Considerando o mundo do trabalho, é importante compreender a partir de profissões específicas, como se dá o desenvolvimento das habilidades sociais. Os professores universitários são exemplos notórios de profissionais que necessitam dessas ferramentas no seu dia-a-dia profissional, todavia sabe-se que muitas vezes estes não são treinados em nenhum momento de sua trajetória, para lidar com questões interpessoais.

Os professores universitários por serem modelos profissionais que ultrapassam as barreiras educativas tradicionais, demandam também comportamentos próprios de seu campo de sua atuação, que servem de experiência para os alunos e para o futuro êxito destes.

 É possível perceber que no âmbito profissional o conceito de habilidades sociais se faz muito pertinente, afinal o mercado de trabalho exige atualmente não apenas a qualificação profissional, mas também preconiza a importância das habilidades sociais para que se tornem melhores nos ambientes de trabalho e na inserção de instituições que ofereçam salários mais altos, afinal esses tipos de profissionais precisam se adaptar as diversas mudanças do contexto trabalhista.

Dessa forma, é possível perceber que:

As inovações constantes e o desenvolvimento organizacional no mundo do trabalho requerem, ainda, competência para falar em público, argumentar e convencer na exposição de ideias, planos e estratégias e exigem competência em requisitos como observar, ouvir, dar feedback, descrever, pedir mudança de comportamento, perguntar e responder perguntas entre outras. (Del Prette ;Del Prette,2007, p. 57)

Os autores acima ainda corroboram que: nenhum trabalho ocorre no isolamento social total. No entanto, existem profissões em que estas relações são bem mais próximas, exemplos desses profissionais são os: professores, vendedores, médicos, psicólogos, assistentes sociais, recepcionistas.

Voltando-se para os professores, podem haver variações entre esse mesmo grupo  no que concerne a determinado campos de atuação. Em pesquisa feita Soares et al (2011) para verificar os efeitos de uma intervenção sobre a topografia das habilidades sociais de professores identificaram as características interpessoais do professor como associadas às demandas próprias das disciplinas por ele ministradas. Pode-se pensar que essas características impactam a escolha das áreas e carreiras profissionais.

Soares et al (2011) afirma que: “o exercício profissional de cada grupo demanda habilidades diferentes e as consequências de seus comportamentos vão de encontro com as demandas sociais adequadas a seus exercícios profissionais.” 

Os autores acima ainda ratificam que: “essa prática possibilita ao professor desenvolver novas habilidades sociais, agregá-las ao repertório adquirido durante a sua formação profissional e utilizá-las em sua atuação pedagógica.”

Os conhecimentos se dão a partir das experiências e elas variam de forma discrepante. É possível através dessa realidade, mensurar parâmetros dessas práticas e especular, por exemplo, que há alguma diferenciação entre as habilidades sociais dos professores inseridos do campo das ciências exatas e das ciências humanas.

2. Método

2.1 Participantes

Participaram deste estudo 30 professores universitários. A tabela 1 informa a frequência e o percentil de participantes do sexo feminino e masculino. Enquanto a tabela 2 informa a frequência e o percentil da área de atuação desses professores.                    

Tabela 1- Sexo dos participantes, Alagoinhas- 2012

CARACTERÍSTICA

%

Feminino

15

50

Masculino

15

50

Tabela 2- Área de atuação dos participantes, Alagoinhas- 2012

CARACTERÍSTICA

Nº   

%

Humanas   

16

53,3

Exatas

14

46,7

Esses professores são de duas faculdades particulares da cidade de Alagoinhas – Bahia. Estes foram escolhidos pela acessibilidade. Em uma dessas faculdades aplicou-se a escala com 16 professores, e na outra instituição em 14.

Todos possuem nível superior com titulações que variam desde lato sensu até o stricto sensu.  De modo geral esses professores ensinavam nos cursos de Engenharia, Matemática, Pedagogia e Psicologia. Alguns deles se recusaram a informar quais cursos lecionavam, bem como o nome exato da área de atuação, identificando apenas se eram da área de humanas ou exatas.

2.2 Instrumentos

O instrumento utilizado foi constituído por uma Escala Likert [01] impressa e auto-explicativa com 32 itens sobre os comportamentos classificados como um  repertório  de habilidades sociais.

Segundo Alexandre, J. et al (2003)  um dos pontos centrais em pesquisas empíricas, é a elaboração de  um instrumento de medição (questionário) a ser utilizado para a coleta de informações. Questionários objetivos baseados na Escala Likert são bastantes utilizados nesses tipos de pesquisa.

A Escala Likert aplicada apresentava as respectivas categorias: 1- totalmente falsa a meu respeito e 5- totalmente verdadeira a meu respeito. Dessa forma, 2, 3 e 4 representavam respectivamente: parcialmente falsa ao meu respeito, nem falsa, nem verdadeira e parcialmente verdadeira.

A escala likert foi construída baseada em uma revisão de estudos de Del Prette (1997); Del Prette ; Del Prette(1998); Vila (2005) e Zanotto (2000), envolvendo a identificação dos componentes sociais ideais de um professor em sala de aula, nos quais foram identificados os comportamentos relacionados a um bom desempenho social dos professores.

Os dados demográficos utilizados foram: o sexo dos professores e a área de atuação dos mesmos, esses dados foram colhidos a partir da escala citada acima. Esses dados foram necessários para atingir o objetivo desse trabalho, que  foi comparar o repertório de habilidades sociais de professores universitários da área de humanas e exatas.

Uma carta de apresentação [02] foi anexa a essa escala, esta apresentou o objetivo e os procedimentos da pesquisa, dessa forma não foi utilizado o termo de consentimento livre e esclarecido. Essa carta visava um esclarecimento e um convite à participação dessa pesquisa de forma clara e concisa, garantindo o sigilo total e a possibilidade de desistência a qualquer momento durante a pesquisa.

2.3 Procedimentos de coleta de dados

Para a coleta de dados foi necessário selecionar alguns professores da área de humanas e exatas, após identificar esses docentes, esses foram convidados para participar na sala dos professores e nos corredores, a maioria deles levaram as escalas com eles e marcaram um dia para a entrega, essa entrega, de maneira geral, teve o prazo de uma semana.

O instrumento foi aplicado, individualmente, aos professores e antes de responder a escala, foi solicitado que estes lessem a carta de apresentação anexa a Escala Likert para contribuição da pesquisa. Dessa forma, foram dadas as consignas para responder, na qual esclarecia - se as categorias de resposta estilo Likert, para melhor compreensão do participante.

2.4 Procedimentos de análise de dados

Após os dados serem coletados da forma descrita acima, foi - se utilizado um programa de análise estatística denominado SPSS 11.5. Segundo Mundstock et al (2006) o pacote estatístico Statistical Package  for Social Science for Windows (SPSS) é uma ferramenta para análise de dados utilizando técnicas estatísticas básicas e avançadas. É um software estatístico de fácil manuseio, internacionalmente utilizado há muitas décadas, desde suas versões para computadores de grande porte.

Esse programa facilitou o processo de criação de categorias em habilidades sociais segundo Del Prette e Del Prette (2007)em: habilidades sociais de comunicação, habilidades sociais de civilidade, habilidades sociais assertivas de enfrentamento: direi to e cidadania, habilidades sociais empáticas, habilidades socais de trabalho e habilidades sociais de expressão de sentimento positivo.

Segue abaixo uma tabela que descreve os itens de cada categoria, esses itens referem-se a comportamentos ligados as habilidades sociais necessários aos professores. (Del Prette (1997); Del Prette ; Del Prette(1998); Vila (2005) e Zanotto (2000)

Tabela 3- Itens das categorias de Habilidades sociais dos professores universitários - Alagoinhas, 2012.

Habilidades Sociais de comunicação

Habilidades Sociais de civilidade

Habilidades Sociais assertivas de enfrentamento: direito e cidadania

Habilidades Sociais empáticas

Habilidades Sociais de trabalho

Habilidades Sociais de expressão de sentimento positivo

Itens 06, 10, 12, 22e 31.

Itens 25 e 29.

Itens 05, 19 e 23.

Itens 13 e 20.

Itens 01, 02,03,04,07, 08,09,11,16, 17, 18, 24,26,27, 28, 30 e 32.

 

 

Itens 14,15 e 21.

Segundo Del Prette e Del Prette (2007) as habilidades sociais de comunicação interpessoal podem ser classificadas como verbais e não verbais, essas habilidades apresentam os comportamentos de: fazer e responder perguntas; pedir feedback; gratificar/ elogiar; dar feedback; iniciar, manter e encerrar conversação. Dessa forma alguns dos itens dessas categorias foram: “inicio e mantenho conversação com os alunos (item 6) , levo os alunos a fazerem perguntas e darem feedbacks (item 10) e faço perguntas de formas hierarquizadas (das mais simples às mais complexas) (item 12)”.

Já as habilidades sociais de civilidade referem-se a desempenhos comuns a encontros sociais ocasionais, no qual as pessoas não utilizam muito das emoções, mas sim da cordialidade, um dos itens relacionados a essa categoria foi:  aproximo-me quando solicitado pelo aluno (item 29)”.

No que concernem às habilidades sociais assertivas de enfrentamento: direitos e cidadania é possível perceber que estas referem-se a comportamentos como: estabelecer relacionamento afetivo , um exemplo é o item 05 do questionário: “mantenho com o aluno um relacionamento amistoso”, lidar com críticas (item 23: “aceito críticas e altero o próprio comportamento quando julgo necessário”) e pedir mudança de comportamento (item 19: “ coloco limite no comportamento inadequado do aluno”).

Ao se tratar das habilidades sociais empáticas é necessário saber que  estas são exercidas como reações à demandas que se caracterizam por uma necessidade afetiva do outro.  Tais demandas ocorrem quando o interlocutor experiência sentimentos negativos (perdas, vergonha, raiva e outros) ou positivos (boas-novas, sucesso, felicidade), exemplos desses comportamentos foram descritos no questionário: “expresso sentimento em relação à classe ou à alunos específicos”(item 13) e “ apoio o aluno apesar de seu erro”(item 20).

Já as habilidades sociais de trabalho são aquelas que atendem às diferentes demandas interpessoais do ambiente de trabalho objetivando o cumprimento de metas, a preservação do bem-estar da equipe e o respeito aos direitos de cada um, uma subclasse dessa categoria é a habilidade social educativa na qual no caso da educação escolar divide-se em: habilidades de apresentação das atividades, habilidades de transmissão de conteúdos, habilidades de mediação de interação entre os alunos e habilidades de avaliação da atividade.

Nesse tipo específico de habilidades ocorrem comportamentos como: “exploro o humor e o lúdico na sala de aula”( item 7), “estimulo e crio condições para os alunos expressarem suas ideias”( item 17)  e “obtenho participação e envolvimento com a maioria dos alunos”(item 32).

Por fim, as habilidades sociais de expressão de sentimento positivo caracterizam-se por comportamentos similares aos itens (14,15e 21) respectivamente: “sorrio para eles no decorrer da aula”, “reconheço e elogio o desempenho positivo do aluno na sala de aula” e “ relato o meu contentamento diante de um acerto”.

3. Resultados e Discussões

Os resultados obtidos com a aplicação do questionário em formato de Escala Likert nos 30 professores foram descritos na Tabela 3, e basearam no escores de 1 a 5, nos quais o 1 significava totalmente falso e o 5 totalmente verdadeiro à respeito ao professor.

Observa-se, tal como apresentado na tabela abaixo que os professores da área de exatas alcançaram de modo geral, resultados superiores aos professores da área de humanas.  Podemos verificar na Tabela 4 as médias das duas áreas de atuação em relação a cada categoria utilizada nessa pesquisa.

Tabela 4- Categorias de Habilidades sociais dos professores universitários, Alagoinhas - 2012

 

Itens

N

MÉDIA

DESVIO PADRÃO

Humanas

Exatas

Humanas

Exatas

Humanas

Exatas

1- Habilidades sociais de Comunicação

16

14

4,19

4,30

0,438

0,454

2- Habilidades sociais de civilidade

16

14

4,47

4,32

0,618

0,575

3- Habilidades sociais assertivas de enfrentamento: direito e cidadania

16

14

4,56

4,36

0,602

0,745

4- Habilidades sociais empáticas

16

14

3,72

4,07

1,095

0,874

5- Habilidades sociais de trabalho

16

14

4,45

4,21

0,353

470

6- Habilidades sociais de expressão de sentimento positivo

16

14

4,16

4,46

0,926

0,692

Com relação às Habilidades sociais de comunicação, a área de humanas obteve uma média menor do que a área de exatas. Essas habilidades devem se enquadrar de modo geral na classe de professores, todavia o elemento da comunicação é primordial na área de humanas.

Quanto as Habilidades sociais assertivas de enfrentamento: direito e cidadania verificou-se que os professores da área de humanas obtiveram uma média maior do que a área de humanas. Dessa forma a assertividade é um componente que deve ser considerada nesse contexto. Afinal, a assertividade tem sido definida na literatura clássica como “a afirmação dos próprios direitos e expressão de pensamentos, sentimentos e crenças de maneira direta, honesta e apropriada que não viole o direito das outras pessoas”. (Del Prette e Del Prette, 2007, p. 75)

Ao se considerar as Habilidades sociais de civilidade nota - se que a área de humanas obteve uma média maior do que a da área de exatas. Essa classe concerne, portanto, a comportamentos padrões característicos de encontros sociais ocasionais, nas quais não há muito uso das emoções.

Ao se tratar das Habilidades sociais empáticas, notou-se que área de exatas teve uma maior pontuação média em relação a outra área. Segundo Meireles (2008) qualquer pessoa que aprenda a se comportar de maneira empática, poderá generalizar essa habilidade para suas relações pessoais e profissionais.

Concernente as Habilidades sociais do trabalho foi possível verificar que os professores de humanas obtiveram uma média maior em relação aos de exatas. É importante destacar que essa é uma classe de habilidades que atendem às diferentes demandas interpessoais o ambiente de trabalho objetivando o cumprimento de metas, a preservação de bem-estar da equipe e o respeito aos direitos de cada um (DEL PRETTE ; DEL PRETTE, 2007).

Por fim, as Habilidades de expressão de sentimento positivo destacaram - se no grupo de exatas. Essas habilidades ligam-se mais aos comportamentos verbais do que os não-verbais e caracterizam-se pelos seguintes subitens: fazer amizade, expressar solidariedade e cultivar o amor.

Dessa forma as categorias que se destacaram no grupo de exatas foram: Habilidades sociais de comunicação, Habilidades sociais empáticas e Habilidades sociais de expressão de sentimento positivo. Quanto ao grupo de humanas foram:,      Habilidades sociais de civilidade, Habilidades sociais assertivas de enfrentamento: direito e cidadania e Habilidades sociais de trabalho.  

A categoria de Habilidades sociais de comunicação foi a categoria que obteve a menor diferenciação de média em relação às áreas. Todavia as Habilidades Sociais de Expressão de sentimento negativo foi a que obteve um maior distanciamento em relação às médias.

Analisando os resultados do conjunto composto pelas seis categorias estudadas, foi possível perceber que ambas áreas de atuação apresentaram níveis altos de habilidades sociais.

Esse resultado corrobora a literatura de Soares et al (2009) que afirma que:

É no ensino superior que o professor encontra mais situações de autoexposição a desconhecidos e situações novas. Dele é muitas vezes exigido tratar com e com  grandes contingentes de alunos, de diferentes instituições e com diferentes conteúdos a serem ensinados, e isso leva a desenvolver uma habilidade para manejar com desenvoltura a frequente adaptação que esta em jogo.

Soares et al (2011)traz outra contribuição relevante a essa pesquisa, pois relata que “cada grupo de profissionais desenvolve e utiliza os repertórios de habilidades sociais mais voltados para sua área de atuação”. Dessa forma é importante refletir acerca da relação das categorias citadas acima com as áreas de atuação e perceber que algumas características variam de acordo com os diversos contextos.

4. Considerações Finais

Diante dos resultados, foi possível verificar que os professores da área de exatas obtiveram uma média mais elevada em relação aos professores de humanas. O embasamento teórico utilizado nesse artigo norteou esse processo metodológico e corroborou para atingir o objetivo proposto.

A partir dessa realidade, fica evidente a demanda referente à necessidade de outras pesquisas relacionadas a esse tema, para que haja uma maior compreensão acerca das habilidades sociais, e do uso correto destas em diversas profissões, não só da área de humanas e exatas,como de diversas outras áreas.

Em relação aos limites da pesquisa é pertinente destacar que houve algumas recusas para escrever as disciplinas que lecionavam. Alguns deles mencionaram que essa seria uma forma de identificação e preferiam ocultar esse dado.  Houve um professor do sexo masculino e da área de exatas que relatou que esse questionário favorecia aos professores da área de exatas.

Uma das vantagens de aplicar esse questionário foi abarcar um número maior de participantes e a fácil operacionalização, entretanto não houve de modo geral um bom feedback, no que concerniu a entrega desses, afinal, foi difícil motivar os participantes a responderem aos questionários.

Isto posto, investigar a temática proposta na realização dessas pesquisas é ultrapassar as contribuições do presente artigo, enriquece o campo de estudos e pesquisas das habilidades sociaise representa um grande ganho na área de educação refletindo não apenas no processo de  ensino-aprendizagem, bem como nas relações interpessoais inseridas nesse contexto.

Referências:

ALEXANDRE, J. et al. Análise do número de categorias da escala de Likert aplicada à gestão pela qualidade total através da teoria da re

sposta ao item. XXIII Encontro Nac. de Eng. de Produção - Ouro Preto, MG, Brasil. Out.2003.

BANDURA, A. et al. Teoria social cognitiva: conceitos básicos. Porto Alegre: Artmed, 2008.

COLL, C.; COLOMINA, R. Interação entre alunos e aprendizagem escolar In: COLL, C.; PALACIOS, J.; MARCHESI, A. (Org.) Desenvolvimento psicológico: psicologia da educação (p. 298-314). Porto Alegre: Editora Artes Médicas. 1996.

DEL PRETTE, A.; DEL PRETTE, Z. A. P. Psicologia das relações interpessoais: vivências para o trabalho em grupo. 5º ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

DEL PRETTE, Z. A. P.; DEL PRETTE, A. Psicologia das habilidades sociais: terapia e educação. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2001a.

DEL PRETTE, Z.A.P; Del; PRETTE, A.P.; GARCIA, Fabíola Alvores; SILVA, Alessandra Turine Bolsoni; PUNTEL, Ludmila Palucci. Habilidades sociais do professor em sala de aula: um estudo de caso. Psicologia: Reflexão e Crítica. Porto Alegre.

MEIRELES, Regina Maria. As relações entre as medidas de habilidades sociais do profesor do ensino fundamental II e seu desempenho social em sala de aula. UERJ. Programa de Pós-graduação em Psicologia Social. Curso de Mestrado. Rio de Janeiro. Jun. 2008.

MUNDSTOCK, Elsa; FACHEL, Jandyra Maria Guimarães; CAMEY, Suzi Alves; AGRANONIK, Marilyn. Introdução à análise estatística utilizando SPSS 13.0. Cadernos de Matemática e Estatística. Série B: Trabalho de Apoio Didático. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. Mai. 2006.

SOARES, Adriana Benevides; GOMES, Gil; PRATA, Mary Anne Rodrigues. Habilidades sociais de professores e não professores: comparando áreas de atuação. Universidade Salgado de Oliveira. Revista Colombiana de Psicologia. Set. 2011.

SOARES, Adriana Benevides; NAIFF, Luciene Alves Miguez; FONSECA, Leonora Berrini da; CARDOZO, Alcides; BALDEZ, Moniques de Oliveira. Estudo comparativo de habilidades sociais e variáveis sociodemográficas de professores.Universidade Oliveira Salgado. Revista Psicologia: Teoria e Prática. 2009.

ANEXO: Escala Likert - Carta de Apresentação:

Por favor informe:

Gênero: (   ) Masculino
               (   ) Feminino                                           

Àrea de Atuação: (   ) Exatas
                              (   ) Humanas                                         

Disciplinas que leciona:

A seguir você encontrará uma série de frases que abordam aspectos da sua vida profissional. Use a chave abaixo para informar o seu grau de concordância com cada frase. O valor 1 indica que você não concorda com a frase, e o valor 5 indica que você concorda totalmente com a frase. Os valores 2, 3, e 4 indicam graus intermediários de concordância.

chave de respostas - escala likert

 

01)

.Olho para os alunos quando explica algo.

1       2       3       4      5

02)

Ouço e demonstro paciência com o aluno que não entendeu a matéria.

1       2       3       4      5

03)

Encorajo o aluno a novas tentativas.

1       2       3       4      5

04)

Leio o que os alunos escrevem

1       2       3       4      5

05)

Mantenho com o aluno um relacionamento amistoso.

1       2       3       4      5

06)

Inicio e mantenho conversação com os alunos.

1       2       3       4      5

07)

Exploro o humor e lúdico na sala de aula.

1       2       3       4      5

08)

Distribuo o contato visual para a classe e entre os alunos.

1       2       3       4      5

09)

Tenho fluidez e clareza na fala.

1       2       3       4      5

10)

Levo os alunos a fazerem perguntas e darem feedbacks.

1       2       3       4      5

11)

Altero o volume de voz em algum momento na aula.

1       2       3       4      5

12)

Faço perguntas de formas hierarquizadas( das mais simples às mais complexas).

1       2       3       4      5

13)

Expresso sentimentos em relação à classe ou à alunos específicos.

1       2       3       4      5

14)

Sorrio para eles no decorrer da aula.

1       2       3       4      5

15)

Reconheço e elogio o desempenho positivo do aluno na sala de aula.

1       2       3       4      5

16)

Percebo e acompanho os alunos que estão com dificuldades.

1       2       3       4      5

17)

Estimulo e crio condições para os alunos expressarem suas idéias.

1       2       3       4      5

18)

Procuro equilibrar o nível de participação dos alunos.

1       2       3       4      5

19)

Coloco limite no comportamento inadequado do aluno.

1       2       3       4      5

20)

Apoio aluno apesar do seu erro.

1       2       3       4      5

21)

Relato o meu contentamento diante de um acerto.

1       2       3       4      5

22)

Dou feedback positivo aos alunos.

1       2       3       4      5

23)

Aceito crítica e altero o próprio comportamento quando julgo necessário.

1       2       3       4      5

24)

Valorizo as interações estabelecidas entre os alunos.

1       2       3       4      5

25)

Expresso minha opinião nas aulas em determinados assuntos.

1       2       3       4      5

26)

Pronuncio corretamente as palavras, sem problema de dicção ou de inteligibilidade.

1       2       3       4      5

27)

Supervisiono a participação dos alunos de modo a garantir oportunidade para todos.

1       2       3       4      5

28)

Uso o espaço da sala de modo a manter proximidade com todos os alunos.

1       2       3       4      5

29)

Aproximo-me quando solicitado pelo aluno.

1       2       3       4      5

30)

Altero a entonação para enfatizar conteúdos das minhas verbalizações.

1       2       3       4      5

31)

Obtenho resposta á maioria das perguntas feitas á classe como um todo.

1       2       3       4      5

32)

Obtenho participação e envolvimento com a maioria dos alunos

1       2       3       4      5

 

Prezado(a) Senhor(a),

De acordo com o TGI (Trabalho de Graduação Interdisciplinar) de Psicologia, eu, Laís Aiala Santos Silva, estudante de Psicologia do VIII Semestre da Faculdade Santíssimo Sacramento, almejo atingir os objetivos da minha pesquisa que é analisar as habilidades sociais de professores universitários da área e exatas, humanas. Essa pesquisa ocorrerá através da aplicação de uma Escala Likert em 30 professores de duas Faculdades. A identidade desses professores será preservada, bem como qualquer dado que possa revelá-lo, assim como a qualquer momento poderá retirar esta autorização sem nenhum constrangimento. Este também poderá entrar em contato com o pesquisador, tendo sido informado (a) de seu telefone que é (75)99786955 e 91694350 e seu e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Essa carta de apresentação representa um esclarecimento e um convite à participação dessa pesquisa. Agradeço a atenção e coloco-me ao inteiro dispor para contato pessoal.

Cordialmente,

Orientadora:   _________________________________   

Pesquisadora: __________________________________

Informar um Erro Publique Seu Artigo