Motivação nas Organizações: a Valorização do Capital Humano

Motivação nas Organizações: a Valorização do Capital Humano
5           Avaliação 5.00 (2 Avaliações)
(Tempo de leitura: 5 - 10 minutos)

Resumo: No presente cenário econômico altamente competitivo e em constante mudança, as empresas têm procurado estratégias como forma de alavancar a produtividade em suas organizações. Elas começaram a perceber que não é apenas um bom salário que motiva as pessoas, mas também um bom treinamento e a formação do colaborador são capazes de maximizar todo o seu potencial de uma forma mais eficaz tornando-o um profissional de destaque, resultando na conquista de suas metas e transformando-as em um objetivo pessoal. O primeiro passo para entender o conceito de motivação é atentar para as mudanças que ocorreram de uma forma geral no mundo e que causaram relevante impacto no mundo corporativo.

Palavras-chave: Satisfação no Trabalho, Motivação, Pessoa, Ambiente, Psicologia Organizacional.

1. Introdução

No presente cenário econômico altamente competitivo e em constante mudança, as empresas têm procurado estratégias como forma de alavancar a produtividade em suas organizações. Elas começaram a perceber que não é apenas um bom salário que motiva as pessoas, mas também um bom treinamento e a formação do colaborador são capazes de maximizar todo o seu potencial de uma forma mais eficaz tornando-o um profissional de destaque, resultando na conquista de suas metas e transformando-as em um objetivo pessoal. O primeiro passo para entender o conceito de motivação é atentar para as mudanças que ocorreram de uma forma geral no mundo e que causaram relevante impacto no mundo corporativo.

Essas mudanças contribuem para o entendimento do papel que a motivação nas organizações exerce dentro do contexto empresarial do século XXI. Na época da revolução industrial, por exemplo, Bergamini (2006) afirma que o tratamento entre patrão e funcionário ocorria basicamente por meio de coerção. No século passado, o ambiente econômico apresentava uma estabilidade que não ocorre no presente século, onde as constantes mudanças são um marco representativo que direciona o mercado competitivo. Neste cenário de mudanças, os serviços padronizados acabam perdendo espaço para os serviços personalizados, onde o foco está na satisfação do cliente.  Todas as organizações diferem em seus objetivos, em seus propósitos, mas são semelhantes quando se trata de alcançar os resultados com eficácia. Para isso, necessitam desenvolver mecanismos para alcançar seus objetivos e esses dependem diretamente do comprometimento dos colaboradores.

A atividade profissional constitui fonte de satisfação especial, se for livremente escolhida, isto é, se, por meio de sublimação, tornar possível o uso de inclinações existentes, de impulsos instintivos persistentes ou constitucionalmente reforçados. No entanto, como caminho para a felicidade, o trabalho não é altamente prezado pelos homens. Não se esforçam em relação a ele como o fazem em relação a outras possibilidades de satisfação. A grande maioria das pessoas só trabalha sob a pressão da necessidade, e essa natural aversão humana ao trabalho suscita problemas sociais extremamente difíceis. (Freud 1996). Dessa forma, as organizações devem locar pessoas para desenvolver a liderança e gerar motivação, uma vez que, colaboradores motivados no âmbito organizacional lidam melhor com os clientes internos e externos, obtêm resultados satisfatórios e mantém um ambiente de trabalho agradável. Assim, é importante que as organizações ofereçam condições satisfatórias para que o ambiente de trabalho seja motivador. 

Hoje vivemos em uma sociedade a qual se traduz em uma sociedade de organizações, com sistemas complexos, que dependem da força motivacional de seus colaboradores para que o sucesso aconteça. Segundo Maslow o ser humano como eternamente insatisfeito e possuidor de uma série de necessidades, que se relacionam entre si por uma escala hierárquica na qual uma necessidade deve estar razoavelmente satisfeita, antes que outra se manifeste como prioritária. Nesta hierarquia, o indivíduo procura satisfazer suas necessidades fisiológicas, fundamentais à existência, e necessidades de segurança, antes de procurar satisfazer as necessidades sociais, as necessidades de estima e auto realização. A motivação dos colaboradores se torna um fator determinante para a sobrevivência da organização e é um desafio enfrentado diariamente pelos gestores. Os colaboradores são motivados acima de tudo pela exaltação da qualidade de seu trabalho e pelas relações da equipe que dão o suporte necessário.

No processo de motivação no ambiente de trabalho é importante identificar quais são funcionários exercem melhor desempenho em suas atividades. É estratégico dialogar com os líderes de cada equipe, buscando impedir que os profissionais que merecem motivação passem despercebidos. Estabelecendo as estratégias e checando seus resultados, os líderes reconhecem as oportunidades para promover a motivação no ambiente de trabalho, obtendo mais segurança e habilidades na prática das ações. Seja o reconhecimento feito por feedbacks, premiações, dentre outras formas de estimular a equipe. Vale ressaltar que um liderado motivado entrega bons resultados e trabalha com mais vivacidade. As empresas perceberam que, para se manter no mercado tão competitivo e acirrado nos dias atuais, é necessário conhecer as necessidades humanas, e assim manter uma relação sucedida com seus colaboradores.

 Segundo Chiavenato (2003), “as necessidades humanas ou motivos são forças internas que impulsionam e influenciam cada pessoa, determinando seus pensamentos e direcionando o seu comportamento frente às diversas situações da vida”. Essa  Motivação na organização por parte do colaborador nada mais é do que, um impulso ou sentimento. ou seja, um motivo para determinada ação. Esse impulso faz com que as pessoas tenham atitude e assim, alcancem seus objetivos.

De acordo com a teoria de Maslow, o homem se motiva quando suas necessidades são supridas, como a auto realização, autoestima, necessidades sociais, segurança e necessidades fisiológicas. Ainda hoje em dia algumas organizações não usam essa ferramenta que é tão importante, motivar cada colaborador é essencial. É algo imprescindível no desenvolvimento humano, cada pessoa tem a sua capacidade de se motivar ou desmotivar. Sabemos que a motivação e a liderança andam de mãos dadas, ter líderes e liderados motivados na organização, faz com que os resultados finais sejam positivos. A pessoa motivada fica mais fácil e prazeroso realizar atividades na empresa, estudar, fazer exercício físico e etc. Motivação nada mas é do que, um impulso ou sentimento. ou seja, um motivo para determinada ação. Esse impulso faz com que as pessoas tenham atitude e assim, alcancem seus objetivos.

Se os autores citados nessa pesquisa concordam que a motivação  pode ser bem aplicada diretamente nos negócios, os empresários devem relevar esse fator. A opinião é unânime entre os gestores de Recursos Humanos das empresas. Por exemplo Ana Paula Falcão, gerente de RH do Mercadinhos São Luiz, explica que é de fundamental importância o investimento na qualidade de vida e bem-estar do colaborador. "Mais do que isso, é um direcionamento da empresa. Esse bem-estar e qualidade de vida é estruturante e é dessa forma que é concebido o nosso negócio. É o colaborador que passa para o cliente o maior bem da empresa, que é a excelência no atendimento e o bom relacionamento. Se ele é bem cuidado, valorizado, ele externa esse sentimento aos clientes dentro da empresa", afirma ela.

Premiada como uma das melhores empresas para se trabalhar no Ceará e no Brasil, para o Beach Park é muito valioso que os colaboradores estejam bem em todos os âmbitos. Cecília Vieira, gerente de RH da empresa, afirma que os projetos desenvolvidos surgiram a partir das necessidades dos próprios colaboradores. "Necessidades que muitas vezes não são solucionadas a partir do trabalho propriamente dito, o objetivo é ir além, para fora do contexto organizacional, atingindo a vida de uma maneira geral", diz ela.

Na maioria das vezes, os resultados percebidos levam tempo, pois devem estar atrelados à cultura das empresas. No caso do Mercadinho São Luiz, há mais de 20 anos é oferecido uma Colônia de Férias para os filhos de funcionários. Entre as práticas mais recentes, estão grupos voltados ao desenvolvimento e crescimento, capacitação, formação de sucessores e equipes voltadas para qualidade de vida. Solicitar novas ideias para solucionar problemas e para melhorar o trabalho dentro da empresa é uma maneira eficiente de conseguir um ambiente mais harmônico e motivador. Todas essas atitudes contribuem para o melhor desempenho de cada profissional e para o crescimento da empresa como um todo. Além disso, essa convivência mais próxima não é benéfica apenas para os colaboradores.

2. Metodologia

O principal objetivo deste trabalho é identificar a motivação dentro das organizações e ate que ponto os funcionários estão motivados para exercer o seu papel. O procedimento metodológico utilizado nesse trabalho será a pesquisa bibliográfica, com o objetivo de recolher, selecionar, analisar e interpretar as contribuições já existentes sobre o assunto por diversos autores. Conforme aborda Chiavenato (2005) a presente pesquisa tem por objetivo mostrar a importância de um colaborador motivado, da sua influência e o estimulo à motivação de sua equipe no ambiente organizacional, de modo a contribuir para uma melhor produtividade ao mesmo tempo compreender como o comportamento do líder podem interferir na motivação das pessoas no ambiente organizacional. Então serão adotados autores e livros que discutem sobre motivação, para que se possa analisar o que ocorre nas organizações. 

3. Considerações Finais

Atualmente o mercado de trabalho está muito competitivo, exigindo que as pessoas estejam em constante inovação as empresas têm procurado várias formas de se manter no mercado. Neste cenário altamente competitivo, as organizações começaram a estudar algumas estratégias e assim alcançarem resultados positivos dentro de suas organizações. Segundo (Chiavenato, 2001) “a motivação é a tensão persistente que leva o individuo a alguma forma de comportamento visando à satisfação de uma ou mais necessidades” Por esse motivo a busca por profissionais que saibam liderar uma equipe tem se tornado mais frequente. A liderança exerce uma forte influência no comportamento humano e na tomada de decisões. Diante do conteúdo apresentado, ficou evidente a importância do líder dentro das organizações eles são responsáveis por motivar, direcionar e coordenar as tarefas desenvolvidas por sua equipe.

 Os Colaboradores são motivados acima de tudo pela exaltação da qualidade de seu trabalho. Uma vez motivado, o colaborador é capaz de dar o melhor de si para o alcance das metas da empresa. É importante conhecer as necessidades de cada membro de sua equipe, isso fica evidente na hierarquia das necessidades de Maslow. Portanto ser comunicativo, ter atitudes positivas e criatividade são características importantes em um líder. Após a análise do conteúdo apresentado, podemos concluir que o líder tem papel fundamental dentro da organização e tem forte influência na motivação dos colaboradores. Compreende-se que a motivação no trabalho é importante porque proporciona à empresa um aumento significativo na satisfação da organização com relação ao trabalho de seus funcionários, gerando maior qualidade de vida aos colaboradores e o relacionamento com a organização se torna mais saudável.

Sobre os Autores:

 Eglaiza Sobral - Professora Substituta Curso de Bacharelado em Psicologia – Campus Garanhuns. 

 Maria Bianca Lopes Alves - Aluna do Curso de Bacharelado em Psicologia – Campus Garanhuns. 

Referências:

  1. FREUD, S. (1996b). Totem e tabu e outros trabalhos Civilização (Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, Vol. 13). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1913).
  2. FREUD, S. (1996c). Por que a guerra? (Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, Vol. 23). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1933).
  3. MACÊDO, K. B., & MENDES, A. M. (2004). Vivências de prazer e sofrimento em trabalhadores de organizações com contexto de qualidade de vida no trabalho. In K. B. Macêdo (Org.), Qualidade de vida no trabalho: o olhar da Psicologia e da Administração (pp. 61-84). Goiânia: Editora da Universidade Católica de Goiás.
  4. RODRIGUES, M. V. C. Qualidade de vida no trabalho – evolução e análise no nível gerencial. Rio de janeiro, 1994.
  5. FRANÇA, A. C. Limongi, qualidade de vida no trabalho: conceitos, abordagens, inovações e desafios nas empresas brasileiras, revista brasileira de medicina psicossomática. Rio de janeiro, vol. 1, nº2 p. 79-83, abr./mai./jun. 1997.
  6. CHIAVENATO, Idalberto. Gerenciando pessoas. São paulo: prentice hall, 2003, 4ª ed.
  7. CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos: o capital humano das organizações. 8ª ed. - São Paulo: Atlas, 2004
  8. http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/empregos/funcionario-feliz-e-mais-produtivo-empresas-investem-em-bem-estar-1.1838888
  9. https://blog.softwareavaliacao.com.br/motivacao-nas-organizacoes/

Informar um Erro Assinar o Psicologado
Livros de Psicologia na Amazon