Recompensas Organizacionais

(Tempo de leitura: 3 - 6 minutos)

1. Introdução

Após admitir um funcionário e treiná-lo, as empresas precisam se preocupar em mantê-los. Diante disso se dá a importância das recompensas organizacionais, que é um fator muito importante para manutenção das pessoas dentro de uma empresa.

As pessoas ao trabalharem contribuem com seus conhecimentos, capacidades e habilidades executando tarefas diversas, mas em contrapartida esperam o retorno do trabalho realizado. As recompensas oferecidas pela organização influenciam a satisfação dos seus parceiros, visto que estes estão dispostos a investir com os seus recursos individuais na medida em que obtém retornos e resultados dos seus investimentos (CHIAVENATO, 2008).

Segundo Dutra (2002), uma organização possui várias formas de concretizar recompensas, desde o reconhecimento formal por uma contribuição da pessoa por meio de um elogio público ou não, de uma carta pessoal ou de um prêmio com viagens, até um aumento salarial ou uma promoção para posições organizacionais com desafios maiores.

A forma de recompensar os funcionários depende de empresa para empresa, no entanto, todas devem estar cientes do duplo objetivo que a recompensa proporciona: ao mesmo tempo, trazer benefícios para os funcionários, que se sentem recompensado pelo trabalho realizado, e para a própria empresa que ao recompensar o empregado visa à obtenção de lucro.

2. Recompensas Organizacionais

Os sistemas de recompensa de uma empresa além de incentivar os funcionários a colaborar com o crescimento da organização proporcionam um maior grau de comprometimento dos funcionários com ela. Um dos aspectos mais importantes de uma organização é o que se relaciona com a política de retribuição e recompensas dos seus parceiros. As recompensas representam um custo para a organização, logo é preciso analisar a relação entre custos e benefícios de seus sistemas de recompensas, pois devem trazer retorno à organização, além de incentivar as pessoas a fazer contribuições à ela (CHIAVENATO, 2008).

3. Remuneração Total

A remuneração é o processo que envolve todas as formas de pagamento ou de recompensas que um funcionário recebe em decorrência de seu trabalho. Inclui retornos financeiros e serviços tangíveis, além de benefícios aos empregados como parte das relações de emprego. É importante destacar que as recompensas oferecidas pela organização influenciam diretamente a satisfação dos seus parceiros.

A remuneração total de um trabalhador é constituída de três elementos principais: a remuneração básica, os incentivos salariais, e os benefícios. A remuneração básica é representada pelo salário, mensal ou honorário. É o valor em dinheiro, recebido pelo funcionário pelo seu trabalho, ou seja, é o montante em dinheiro ou em espécie, que o empregado recebe, de forma regular e periódica, como contrapartida do seu trabalho (CAMARA, 2000).

Os incentivos salariais têm como objetivo recompensar funcionários com bons desempenhos, como, por exemplo, os bônus e participação em resultados. Eles são componentes variáveis de salário que pretendem recompensar elevados desempenhos, ou seja, o alcançar ou superar um conjunto de objetivos previamente fixados, por acordo entre a empresa e o empregado, estimular comportamentos alinhados com os objetivos da empresa e reter e motivar pessoas. Para serem eficazes têm que assentar num contrato psicológico de desempenho, estabelecido entre a empresa e o trabalhador, podendo tornar-se ineficazes e atingir os resultados contrários (CAMARA, 2000).

Uma das maneiras de facilitar a vida dos funcionários é oferecer-lhes benefícios e serviços que, não sendo proporcionados pela organização, teriam de ser comprados no mercado com o salário recebido. Os benefícios e serviços aos funcionários são formas indiretas da compensação total. O salário pago em relação ao cargo ocupado representa apenas uma parcela do pacote de recompensas que as organizações oferecem ao seu pessoal. Considerável parte da remuneração é feita através da oferta de benefícios e serviços sociais aos funcionários. Os benefícios, também denominado remuneração indireta são concedidos através de férias, seguro de vida, transporte subsidiados (CHIAVENATO, 2008).

A remuneração não visa apenas recompensar os funcionários pelo seu trabalho e dedicação, mas tornar a sua vida mais fácil e agradável, pois uma vez que realiza o trabalho, ele quer igualmente ser reconhecido, e a remuneração é uma das formas de reconhecimento que a pessoa pode obter.

4. Recompensas Financeiras e Não Financeiras

Os sistemas de recompensas devem trazer algum retorno à organização, além de incentivar as pessoas a fazer contribuições à organização. Elas podem ser financeiras ou não financeiras.

Segundo Chiavenato (2008), as recompensas financeiras se subdividem em diretas e indiretas. As diretas correspondem ao salário direto, prêmios e comissões. O salário consiste no elemento mais importante das recompensas financeiras. Ele é a retribuição em dinheiro paga ao empregado em função do cargo que este exerce e dos serviços que presta durante determinado período de tempo. A recompensa indireta é o salário indireto decorrente de acordos de trabalho e do plano de benefícios e serviços sociais oferecido pela organização. São as férias, gratificações, gorgetas, horas extras, décimo terceiro salário, adicionais e decorrências financeiras dos serviços concedidos.

As recompensas financeiras são dessa forma muito importantes para a manutenção do empregado em uma empresa, pois estão relacionadas a dinheiro, benefícios e serviços que este recebe pelo seu trabalho e desempenho. No entanto elas não são as únicas maneiras de motivar os funcionários dentro de uma empresa, pois somente uma recompensa financeira não é o suficiente. Araujo e Garcia (2009) alegam que a recompensa apenas de natureza financeira tem um efeito limitado, ou seja, seu efeito será por um espaço de tempo não muito interessante.

As recompensas não financeiras dizem respeito a oportunidade de desenvolvimento, reconhecimento e auto-estima, qualidade de vida no trabalho, orgulho da empresa e do trabalho, promoções e liberdade e autonomia no trabalho (CHIAVENATO, 2008). Afetam, portanto, diretamente o desempenho do funcionário.

 5. Considerações Finais

As recompensas organizacionais incidem diretamente no desempenho do funcionário dentro de uma empresa, na forma como ele percebe e executa suas tarefas. Pode ser motivadora ou desmotivadora para o empregado dependendo da forma como é colada para ele.

É interessante perceber que não apenas o dinheiro, que é representado pelo salário, possui implicações na motivação do funcionário. É óbvio que ele é um componente importante, até por que é por meio dele que as pessoas adquirem os produtos básicos à sua subsistência. Os incentivos, os benefícios, e também as recompensas não financeiras funcionam como motivação para que o empregado continue na empresa.

As recompensas organizacionais estão atreladas não apenas ao poder de compra que ela pode oferecer ao empregado, nem ao estilo de vida que ele pode ter em decorrência do que ganha. Elas possuem um valor simbólico para o funcionário, pois representa o seu valor para a empresa.

Sobre o Autor:

Kelly Mayana Pacheco de Sousa - Departamento de Psicologia. Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Teresina, PI, Brasil, email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Referências:

ARAUJO, Luis Cesar G. de; GARCIA, Adriana Amadeu. Gestão de Pessoas: Estratégias e Integração Organizacional. 2ed. São Paulo: Atlas, 2009;

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas. 3. Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

DUTRA, Joel Souza. Gestão de pessoas: modelo, processos, tendências e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2002.

CAMARA, P. Os Sistemas de Recompensas e a Gestão Estratégica de Recursos Humanos. Lisboa, Publicações D. Quixote, 2000.