Recrutamento de Pessoas

Recrutamento de Pessoas
5           Avaliação 5.00 (1 Avaliação)
(Tempo de leitura: 4 - 8 minutos)

1. Considerações Iniciais

O momento atual designa uma forte concorrência entre as organizações do trabalho o que acaba por gerar uma crescente busca por pessoas competentes, capazes de fazer o diferencial dentro das empresas.

Quando uma empresa está com uma vaga em aberto dentro do seu quadro de pessoal é necessário que ela admita um novo funcionário. O processo de admissão de novas pessoas deve ser bem administrado para que o novo componente seja o que a empresa necessite para o desenvolvimento das atribuições do cargo em questão.

Dessa forma, no processo de admissão de um novo funcionário, o recrutamento é entendido como a fase inicial. É nessa etapa que acontece a procura por pessoas que possuam o perfil da vaga em aberto.

Quando surge a necessidade de realizar recrutamento de pessoas, é necessário verificar qual a maneiram mais viável de desempenhar esse processo, ou seja, quais os meios mais apropriados para alcançar tal objetivo. Assim o responsável pela condução do recrutamento pode optar por realizá-lo com as pessoas que já fazem parte da empresa, o que configura um recrutamento interno, ou procurá-las no mercado de trabalho ou em fontes específicas para o preenchimento do cargo, configurando assim o recrutamento externo.

2. O Que é Recrutamento de Pessoas

O recrutamento é a primeira etapa do processo de admissão de pessoas para uma organização. Este é o momento em que as empresas buscam atrair candidatos e obter o máximo de informações sobre eles, para no futuro decidir se vão ou não admiti-los.

Segundo Ribeiro (2005), o recrutamento é um sistema de informações que visa atrair candidatos potencialmente qualificados, dos quais serão selecionados futuros funcionários da organização. É uma atividade de divulgação, de chamada, de atenção, uma atividade positiva e convidativa (SILVA, 2002)

É o momento de pesquisa, de coleta de informações. Mas por ser um processo de vital importância para organização, ele precisa de critérios, pois o objetivo não é atrair qualquer tipo de candidato, mas sim aqueles com as características exigidas para a vaga.

Daí resulta a necessidade de determinar o conteúdo do cargo ou função que se deseja preencher. Ribeiro (2005) destaca a importância de se ter informações claras e registradas do que se faz no cargo em questão e os requisitos pessoais necessários para o seu bom desempenho.

Ainda quanto ao conteúdo do cargo, Gil (2009) acrescenta que devem ser mantidos em quantidade mínima os requisitos considerados indispensáveis ao cargo, de modo que não sejam afastados os candidatos com potencial, pois na maioria dos casos, não é a qualidade atual do candidato o mais importante, mas seu potencial para a função, aliado a sua disposição para trabalhar e aprender.

O recrutamento é diretamente influenciado pelo mercado de trabalho. Se o período é de recessão, de crise econômica, o mercado de trabalho possui maior oferta de mão de obra. Do contrário, se o período é de crescimento econômico, ocorre uma maior disputa pelos candidatos (LIMONGI-FRANÇA; ARELLANO, 2002).

Trabalhar com recrutamento é estar atento aos fatores que tal processo envolve. Segundo Gil (2005), existe quatro pontos a serem observados: a quantidade de funcionários, pois quanto maior o número de candidatos que atendam aos requisitos, maior será a probabilidade de você escolher um bom profissional; a qualidade dos candidatos, visto que devem ser atraídos candidatos com as qualificações exigidas; a permanência dos candidatos no processo de seleção, o que demonstra se houve um bom recrutamento; e o custo de recrutamento, que deve ser moderado para a empresa.

O processo de recrutamento antecede a seleção de pessoas, logo se não existirem candidatos com potencial para o preenchimento da vaga, não há como efetuar a seleção.

3. Formas de Recrutamento

O objetivo principal do recrutamento é buscar pessoas para abastecer o processo de seleção, dessa forma existem várias maneiras e meios para a realização desse processo, que se dá de duas formas básicas: atraindo-se pessoas que já fazem parte da empresa, mas que trabalham em outros cargos; e buscando candidatos que não tenham vínculo direto com a empresa e que estão disponíveis no mercado de trabalho (LIMONGI-FRANÇA; ARELLANO, 2002).

O primeiro caso refere-se ao recrutamento interno, enquanto o segundo ao recrutamento externo. Ambos apresentam vantagens e desvantagens no decorrer do processo, o que deve ser avaliado conforme a vaga em questão.

3.1 Recrutamento Interno

O recrutamento interno se baseia na busca por pessoas, dentro da própria empresa, para ocupar uma vaga em aberto, e pode servir de meio para a valorização das pessoas que trabalham na organização.

3.1.1 Vantagens do recrutamento interno

O recrutamento interno, segundo Ribeiro (2005) apresenta como vantagens o fato de ser mais barato, rápido, oferecer vantagens de crescimento para os funcionários já existentes e por motivar o funcionário aproveitado, e também os demais.

Assim, essa forma de recrutamento estimula o desenvolvimento profissional e gera perspectiva de crescimento aos funcionários dentro da empresa, além de ter como positivo, o conhecimento prévio do perfil de desempenho do candidato.

Aliado a essas vantagens, Chiavenato (1999) destaca o melhor aproveitamento do potencial das pessoas da organização, incentivo a permanência dos funcionários e fidelidade destes para com a organização, pouca mudança ambiental e ausência de necessidade de socialização da organização de novos membros.

3.1.2 Desvantagens do recrutamento interno

O processo de recrutamento interno também possui desvantagens. Muitos autores apontam para a necessidade de cuidados ao escolher essa opção. Gil (2009), diz que esse meio pode criar dificuldades com os empregados, pois quando se entrevista uma pessoa e em seguida a recusa, isso pode prejudicar o relacionamento com ela. Junto a isso, pode ocorrer de um departamento manifestar desagrado quando vê seus funcionários sendo recrutado por outros.

O recrutamento interno também impede a colocação de gente nova dentro da organização, não permitindo a renovação dos recursos humanos. Deve-se optar por esse meio apenas quando há a possibilidade de encontrar pessoas qualificadas para a vaga em questão, pois fazer o recrutamento interno somente para valorizar o pessoal já existente pode prejudicar a organização.

3.2 Recrutamento Externo

O recrutamento externo consiste na procura de candidatos fora da organização. São várias as formas de realizar um recrutamento deste tipo. Dentre a mais conhecidas estão: cadastro de currículos, anúncio de jornal, cartazes e panfletos, agência de empregos, anúncio em emissora de rádio e serviço de alto falante, contatos com outras empresas, internet, etc. (RIBEIRO, 2005).

Independente da forma de recrutamento externo escolhido, deve-se sempre avaliar as variáveis que permeiam o processo, como a demora, o preço e a segurança do serviço utilizado.

Geralmente esse meio é escolhido quando não foi possível a realização do recrutamento interno, e assim como este possui vantagens e desvantagens para a organização.

3.2.1 Vantagens do recrutamento externo

Essa forma de recrutamento possui vantagens que devem ser ponderadas levando em conta o contexto em que a empresa se insere no momento. Entre elas destacam-se: aquisição de novas personalidades e talentos; inovação para a equipe de trabalho; atualização de estilo e tendência do mercado (LIMONGI-FRANÇA; ARELLANO, 2002). Com essa forma de recrutamento há uma renovação dos recursos humanos da empresa, o que pode ser muito benéfico para ela.

3.2.2 Desvantagens do recrutamento externo

Esse meio de recrutamento traz consigo algumas desvantagens que podem afetar a organização e que devem ser levadas em consideração. Entre elas pode-se destacar o fato de ser, na maioria das vezes, um processo mais demorado e mais caro, e que apesar de logo em seguida vir o processo de seleção, os candidatos recrutados não são previamente conhecidos, como é o caso do que acontece no recrutamento interno.

4. Conclusão

O preenchimento de uma vaga em aberto é de extrema importância para uma organização. Admitir um novo funcionário exige da empresa conhecimento acerca do possível integrante de sua equipe. Dessa forma, a primeira etapa de uma nova admissão consiste no recrutamento. Através dele a empresa possui subsídios para efetuar uma seleção. Portanto, deve recrutar pessoas capazes de preencher o perfil do cargo.

Diante do apresentado sobre o recrutamento de pessoas é possível perceber a gama de meios pelo qual é possível realizá-lo. Dependendo da vaga em questão pode-se realizar o recrutamento interno, onde o ocupante da vaga já faz parte da empresa. Se essa alternativa não é a mais viável, esse novo integrante pode ser recrutado fora da empresa, o que consiste no recrutamento externo.

Ambas as formas de recrutamento possuem vantagens e desvantagens, assim a escolha do método a ser utilizado deve ser avaliado perante as condições da empresa no momento. Um processo de recrutamento bem planejado e executado faz com que a empresa disponha de gente competente para ser selecionada e, portanto, pessoas competentes para atuarem dentro da organização.

Sobre o Autor:

Kelly Mayana Pacheco de Sousa - Departamento de Psicologia. Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Teresina, PI, Brasil, email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ;

Referências:

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

GIL, A.C. Gestão de Pessoas: enfoque nos papéis profissionais. 1 ed. São Paulo: Atlas, 2009

LIMONGI-FRANÇA, A. C. ARELLANO, E.B. Os processos de recrutamento e seleção. In: LIMONGI-FRANÇA. et al. As pessoas na organização. São Paulo: Editora Gente, 2002.

RIBEIRO, A. L. Gestão de Pessoas. São Paulo: Saraiva, 2005.

SILVA, E.B. Recrutamento e Seleção. 2002. 46 f. Monografia de Conclusão de Curso (Pós-Graduação em Marketing Globalizado) – Universidade Cândido Mendes, Tijuca, 2002.

Informar um Erro Assinar o Psicologado