(Tempo de leitura: 16 - 31 minutos)

Resumo: O presente estudo tem como objetivo discutir a interface entre a psicologia e a religião, destacando essa relação nas estratégias de enfrentamento em ex-dependentes químicos a partir da perspectiva Fenomenológica. Para realização desse estudo, foram entrevistados seis indivíduos do sexo masculino com idade de 20 a 40 anos, buscando compreender a religiosidade utilizada como estratégia de enfrentamento em ex- dependentes químicos. Pretendeu-se, com essa pesquisa, investigar o comportamento religioso atrelado à estratégia de enfrentamento, com a intenção de identificar e discutir suas funções na recuperação de usuários de substâncias ilícitas a partir de relatos dos participantes. Sendo possível constatar que a religiosidade pode ser utilizada como rede de apoio e reabilitação social no processo de recuperação de dependência química. Os benefícios da pesquisa realizada são significativos devido à religiosidade permitir ao dependente químico a satisfação pessoal, lançando mão de comportamentos como: maior tolerância nos relacionamentos interpessoais, a inserção em grupos sociais, o autoconhecimento e a empatia, na busca por significação e alívio do sofrimento.

Palavras-Chave: Religião, Psicologia, Estratégia de Enfrentamento, Dependentes Químicos.

(Tempo de leitura: 22 - 44 minutos)

Resumo: Este artigo teve como objetivo compreender o impacto das vivências no sistema prisional diante da subjetividade dos detentos, assim como identificar as estratégias utilizadas pelos detentos para manter sua subjetividade no sistema prisional e entender de que forma ocorre o processo de institucionalização. Nesse contexto, também conhecido como prisionização, foram entrevistados detentos da Cadeia Pública de Maravilha, localizada no oeste de Santa Catarina, e o critério previamente estabelecido foi que estes estivessem a mais de seis meses no sistema prisional e que fossem reincidentes. Metodologicamente, foi utilizada uma pesquisa qualitativa com análise de conteúdo de Bardin (2011), tendo como instrumento para coleta de dados uma entrevista semiestruturada. A partir da análise dos relatos dos participantes, pode-se perceber como o cotidiano prisional e seu funcionamento impactam negativamente a subjetividade dos detentos, porém, percebe-se que todas as estratégias possíveis são utilizadas para que o impacto seja menor tanto na subjetividade quanto no processo de institucionalização/prisionização, enfatizando a importância das relações com os demais detentos e o bom convívio. Eles exaltam também a importância que a família possui quando se deparam sem nenhum tipo de relação com o mundo externo.

Palavras-chave: Sistema prisional, Institucionalização, Subjetividade.

(Tempo de leitura: 12 - 23 minutos)

Resumo: O presente artigo visa analisar a representatividade dos idosos junto à mídia, baseando-se nas denominações que cercam seu universo, bem como fomentar a reflexão em torno dessa relação que pode produzir um tanto um perfil positivo quanto negativo nesta população. A relevância deste trabalho deve-se por sinalizar que os idosos eram desconsiderados como nicho de consumo e passaram a atrair a atenção do mercado consumidor. Os idosos ganharam visibilidade na mídia e uma nova representação social explicitamente diferente daquela elaborada anteriormente, gerando uma reformulação imaginária que os associa à juventude e o surgimento de um consumidor que adere ao capitalismo buscando através do consumo atingir essa plenitude.

Palavras-chave: Idoso, Representação Social, Capitalismo, Mídia.

(Tempo de leitura: 10 - 19 minutos)

Resumo: O presente artigo visa compartilhar as experiências com o grupo de usuários com transtornos mentais severos e persistentes do CAPS II da região de São Mateus, Espírito Santo. Com a proposta de, através de um dispositivo grupal, auxiliar esses usuários nessas experiências dentro do CAPS, bem como promover melhor relacionamento interpessoal entre eles, para que possam utilizarem essas experiências como modelo nas relações externas à instituição. Foram realizados quatro encontros, uma vez por semana, onde em cada dia realizou-se dinâmicas diferentes. Verificou-se uma evolução em cada encontro, tanto no sentido de interação como também de participação da parte dos usuários, bem como o fortalecimento do grupo.

Palavras-chave: Dispositivo Grupal, Transtornos Mentais, CAPS, Grupo de Apoio.

(Tempo de leitura: 21 - 42 minutos)

Resumo: Este trabalho busca analisar e refletir a respeito da influência da mídia na subjetividade feminina em específico das leitoras da revista Nova Cosmopolitan. Para uma melhor compreensão do imaginário social dessas mulheres. Objetivo Geral: Analisar as características presentes nas revistas femininas atuais compreendendo que a mídia impressa produz subjetividades e interfere no comportamento feminino. Objetivo específico: Analisar as representações femininas, suas características e modos de se referir ao gênero feminino presentes na revista NOVA e relacionar com a subjetividade feminina das leitoras na contemporaneidade. Método: O estudo será realizado através de revisões bibliográficas como artigos acadêmicos, livros dissertações dentre outros e análise da revista feminina NOVA de março de 2010 a março de 2011.

Palavras-chave: Representação social, Subjetividade, Mulher, Mídia.

(Tempo de leitura: 6 - 12 minutos)

Resumo: A sociedade, em que o ser humano está inserido, está em constante mudança, onde os valores as normas, as leis e costumes se alteram. Essas transformações, na ordem social, que ocorrem hoje, podem alterar radicalmente o amanhã, podendo trazer efeitos e consequências positivas e negativas. Nesse sentido, o papel do pensamento filosófico é de compreender a construção da sociedade contemporânea e assim traçar um prognóstico de sua evolução. Dentre os vários filósofos contemporâneos, Michel Foucault é destacado nesse trabalho na obra “Vigia e Punir” onde é abordada a questão histórica do poder exercida numa sociedade disciplinar numa sociedade de controle.

(Tempo de leitura: 5 - 10 minutos)

Resumo: Esse breve trabalho é resultado de um levantamento inicial que ocorreu por meio de pesquisa bibliográfica sobre o tema subjetividade na perspectiva da Psicologia Social. Inicialmente foram selecionados 11 artigos na Biblioteca eletrônica Scielo pela palavra chave “Subjetividade” e utilizado como base o livro Histórias da Psicologia do Brasil - Subjetividade: um objeto para uma psicologia comprometida com o Social de Lúcia Helena Garcia Bernardes e o livro Psicologia Social de Aroldo Rodrigues e colaboradores, além de outras publicações (conforme Bibliografia citada.). A definição inicial do tema se deu pelo fato de tentar entender de como a subjetividade passa a ser objeto de estudo da Psicologia na perspectiva social.

Palavras-chave: Psicologia Social, Sociedade, Subjetividade, Sujeito.

(Tempo de leitura: 14 - 27 minutos)

Resumo: O presente estudo teve como objetivo analisar a percepção de dependentes de substâncias psicoativas em recuperação sobre o tratamento oferecido em uma clínica de reabilitação. Foram entrevistadas quatro pessoas, sendo três do gênero masculino e uma do gênero feminino. Trata-se de um estudo qualitativo, na modalidade de uma pesquisa de campo, tendo como principal instrumento um roteiro de perguntas semi-estruturadas, utilizadas nas entrevistas realizadas com cada participante na clínica onde estão para tratamento. Foi possível observar que todos iniciaram o uso das substâncias psicoativas desde muito cedo, sendo ainda na infância e adolescência. Os motivos pelos quais eles fizeram o início do uso são vários, mas é perceptível a influência de alguns fatores como precipitantes potenciais: os diversos problemas familiares, a grande influência exercida pelos amigos, e problemas quanto a autoestima. Pode-se concluir que o tratamento oferecido na clínica de reabilitação tem tanto os seus pontos positivos quanto seus pontos negativos, podendo ser um tratamento positivo, na questão da escuta, apoio e compreensão dos mesmos, uma vez que muitos mencionam não ter isso em seu dia-a-dia e principalmente em casa, de suas famílias, porém como ponto negativo pode-se mencionar a desvinculação social, que eles são acometidos, principalmente de suas famílias, e a primazia pela medicalização no tratamento, as vezes em dosagens altas, deixando a pessoa que esta em busca de tratamento, desorientada, não podendo reagir de forma positiva para com o mesmo.  

Palavras-chave: Dependentes, Substâncias Psicoativas, Clínica de Reabilitação, Tratamento.

Curso online de

Reintegração Social

 Reintegração Social

Aprofunde seus conhecimentos e melhore seu currículo

Carga horária:  60 Horas

Recém Revisados