A Era Tecnológica: Uma Questão de Avanços ou de Perdas na Essencialidade Humana?

(Tempo de leitura: 4 - 8 minutos)

Resumo: Este artigo tem o intuito de analisar de uma maneira reflexiva, as grandes mudanças e avanços tecnológicos que são influenciados em nossa sociedade e o declínio do contato humano, ocorrendo assim de uma maneira negativa, declínios de desenvolvimento biopsicossocial da essência humana.

Palavras-chave: Mudanças, sociedade, contato humano.

1. Introdução

Em pleno século XXI, tudo pode se esperar em relação aos avanços de várias tecnologias que vão sendo desenvolvidas em um piscar de olhos, não sendo a toa ser um século chamado de Era da Tecnologia.

Em cerca de 30 anos atrás aproximadamente, idade dos nossos pais, nunca se poderia imaginar que existiriam celulares, computadores, carros, smartphones, cinema 3D, tudo isso das mais últimas gerações. Há quem diga que no Japão, está sendo criado o cinema 4D!, Aonde o telespectador vive de uma maneira real o que está acontecendo dentro das telinhas. Voltando um pouco mais no tempo, há cerca de 60 anos, idade de nossos avós, pensar que existiria um ferro de passar roupas, elétrico ou que existiria uma televisão, espécie de radio em que as pessoas pudessem ver as cenas e que um dia essa mesma televisão transmitiria cenas coloridas, era algo que todos duvidariam de quem tivesse a coragem de supor de tais fatos.  

2. Aspectos Negativos do Avanço Tecnológico para o Desenvolvimento Biopsicossocial

Ao longo do avanço tecnológico, a sociedade foi se ajustando a esse novo parâmetro social, modificando seus atos, seus costumes, sua rotina e o mais importante, sua vida. Pois, através dos avanços, a urbanização tomou conta de todo território existente, diminuindo ainda mais os antigos pontos rurais que se anexavam dentro das novas áreas urbanas.

Na chamada sociedade moderna quem não se adapta ao sistema, consequentemente fica para trás das outras pessoas, pois quem não sabe usar um nootbook ou computador para o trabalho ou pra acelerar a vida no sentido de comunicação com o outro, perde seu lugar e vai sentar na ultima fileira de uma fila gigantesca de mesmos seres humanos lutando por uma vaga no mercado de trabalho.

Uma grande disputada de ideologias que podemos encontrar na dita sociedade moderna é entre os jovens de hoje e os jovens de ontem. Ou seja, os jovens e os adultos da última geração que debatem as diferenças das moralidades e da ética social.  

3. Brincadeiras Atuais x Brincadeiras Antigas

O ser humano, sempre irá defender a sua geração em que brincou, dançou, curtiu a vida e os momentos distintos. Para os jovens de hoje, brincar de esconde-esconde, cabra cega, amarelinha, jogar bola na rua, pião, pipa e entre outras brincadeiras, pode ser algo completamente ridículo e vergonhoso. Já para os adultos, a maneira de brincar dos jovens atuais, é completamente diferente e o termo “brincar” talvez, poderá se modificar dos mais famosos dicionários existentes.

Através do elevado aumento da tecnologia, a sociedade também se movimentou de uma maneira muito estrondosa, comparado com o século passado. Diversos transtornos são identificados e infelizmente de uma maneira enorme, acarretando e dificultando o bem estar da população mundial.

As brincadeiras das crianças do século passado são totalmente diferentes das desse século. O que difere essa afirmativa é que crianças do século passado possuíam uma atividade lúdica muito influente com as mais diversas brincadeiras que eram praticadas, fortalecendo a criatividade, o prazer, a interação entre outras pessoas, a cooperação, imaginação, o conhecimento do corpo humano e de maneira sadia, o melhor desenvolvimento da criança.

“Brincar é a fase mais importante da infância- do desenvolvimento humano neste período- por ser a auto-ativa representação do interno- a representação de necessidades e impulsos internos.” (FROEBEL, 1912, pp. 54-55).

As crianças do século XXI, pode se observar que, as brincadeiras estão voltadas aos jogos de computadores, vídeo games, celulares das mais últimas gerações. Crianças de 5 anos, em alguns casos, acabam ganhando como primeiro presente de aniversário um lindo Smartphone. Sendo assim, as antigas atividades lúdicas, vão se perdendo, a importância do desenvolvimento da psicomotricidade acaba não sendo reforçada e com certeza, modificações do desenvolvimento humano vá acontecer nas mais recentes gerações.  

4. A Perda do Contato Humano

Antigamente, para que um ser humano entre em contato com outro, era necessário sair de sua casa e ir ao encontro do outro. O toque, a visão do outro, o olho no olho, era algo estritamente normal e comum. Nos dias atuais, o toque e contato com nossos semelhantes estão muito distanciados. A internet tomou conta de toda globalização mundial e de fato facilita muito as pesquisas de quaisquer áreas a serem investigadas. Porém, dificulta o que poderia facilitar o desenvolvimento entre as pessoas. 

Parece ser de um grande tabu as pessoas saírem da cadeira, aonde se encontra um computador, por exemplo, e ir de encontro a algum lugar, pois o encontro é facilitado por um veículo á distância.

Na atualidade, as reuniões de grupo são feitas pela internet, com pessoas pertencentes a diferentes comunidades e que trocam informações e ideias, se mantendo no mesmo local sem se locomover.

“Até mesmo condomínios residenciais têm domínio na Internet para que os condôminos possam se comunicar” ( Angerami-Camon, 2006, p.64).

Na realidade contemporânea, é mais fácil as pessoas visitarem e criarem veículos afetivos, simplesmente, clicando em um botão de computador sem saírem de casa e estabelecerem um novo tipo de relacionamento, seguramente mais frio do que aquele vivido na relação interpessoal tradicional.

A verdadeira situação é que, as pessoas na sociedade atual por não terem o contato vivido e “tocado” de uma maneira mais influente do que antigamente, podem se tornar mais frias e nada impede dessa simples afirmativa ser um dos aspectos de diversas doenças psicossomáticas na população em geral.

Angerami-Camon(2006), ao se referir a realidade contemporânea:

“O distanciamento interpessoal vivido nas grandes metrópoles, além de dilacerar ainda mais o sentimento de solidão e vazio, provoca sentimentos de rejeição pelo próprio isolamento em que as pessoas se viam lançadas”. 

Ainda em outra questão citada por Angerami-Camon(2006) sobre a realidade contemporânea:

“Outro fator que pode estar agravando a falta de relacionamento interpessoais na atualidade é a expectativa forjada de que o outro precisa ser solitário a mim no momento em que eu me encontrar sucumbido diante do isolamento imposto pela aparato tecnológico”. 

5. Considerações Finais

O presente artigo teve como proposta refletir sobre os avanços tecnológicos em nossa sociedade e o quanto isso pode influenciar de maneira positiva e negativa as pessoas que estão em contato diretamente com esse fenômeno mundial.

Assim como foi exposto no artigo, diante do avanço tecnológico, as crianças de hoje que já nascem nesse sistema, perderam a essência do que era o brincar, perdendo a oportunidade de desenvolverem uma atividade lúdica, importantíssima na fator criatividade, imaginação e desenvolvimento psicossocial. A questão da psicomotricidade também é grandemente diminuída no sentido das crianças que em nosso modelo social, já ganham celulares de altíssima geração e não desenvolvem todo processo psicomotor que consequentemente ficam “brincando” em um único tipo de movimento que é a movimentação dos dedos nas pequenas teclas dos celulares.

A partir do artigo, quero demonstrar que, a tecnologia é importantíssima e grande facilitadora dos meios sociais e culturais, porém, a questão principal é: Será que tanto avanço tecnológico em nossos parâmetros sociais com toda sua grandeza e dimensão, podem deixar as pessoas mais frias e distantes capazes de consequentemente desenvolverem elevados níveis de transtornos lotando as clinicas e hospitais?

É sugerido um estudo muito mais detalhado dos aspectos negativos e suas consequências no desenvolvimento humano para que sejam abordados de uma maneira influente nos meios acadêmicos e sociais.

Sobre o Autor:

Marcos Aurélio Alves Filho - Estudante de psicologia pela Universidade de Marília

Referências:

Angerami-Camon, As relações de amor em psicoterapia,2006, São Paulo, Ed. Pioneira

Ramos, Camila S.; Fernandes, Marcela M. A importância de desenvolver a psicomotricidade na infância. Disponível em < http://www.efdeportes.com/efd153/a-importancia-a-psicomotricidade-na-infancia.htm > acesso em 25\02\2014 ás 17:30

Sales, Flávia. O papel das atividades lúdicas no processo de desenvolvimento e aprendizagem. Disponível em < http://educador.brasilescola.com/trabalho-docente/o-papel-das-atividades-ludicas-no-processo-desenvolvimento-.htm > acesso em 25\02\2014 ás 17:00.

Leia mais com Kindle

Tenha a melhor experiência de leitura com seus livros em um Kindle.

Curso online de

Sexualidade - Normal e Patológica

 Sexualidade - Normal e Patológica

Curso 100% online e com certificado de 60 Horas

Boletim por e-mail

Junte-se aos mais de 98.210 leitores que recebem nosso boletim eletrônico:


Parceiros

Portal Psicologia