A Importância dos Contos de Fada na Formação da Personalidade Infantil

1 1 1 1 1 Avaliações 0.00 (0 Avaliações)
(Tempo de leitura: 13 - 26 minutos)

Resumo: Desde os tempos mais remotos os contos de fadas exercem um grande fascínio nas crianças. São histórias que aguçam a imaginação e nos despertam para mundos extraordinários. Além do interesse pela leitura no processo escolar, auxiliam na formação da personalidade, pois a cada personagem apresentado surge a capacidade de se identificar e discernir entre o real e o imaginário. O presente estudo teve por objetivo apresentar uma pesquisa bibliográfica sobre os contos de fadas e a sua influência na formação da personalidade infantil numa visão psicanalista. Nesse sentido, buscou-se analisar como os contos de fadas podem influenciar na formação psíquica, moral e no imaginário da criança e de que forma estes contribuem na sua personalidade a partir da literatura investigada. Para o desenvolvimento foram analisados cinco artigos científicos indexados na base de dados Scielo, obedecendo-se os critérios de inclusão e exclusão pré-determinados. Os resultados encontrados foram todos de pesquisas bibliográficas que abordavam a importância dos contos de fadas na formação da personalidade da criança no que se refere à moral, superação de pequenos conflitos e no desenvolvimento psíquico, afetivo e social. Ainda constatou-se, que os contos de fadas atualizam ou reinterpretam questões universais como os conflitos de poder e a formação dos valores, numa combinação entre realidade e fantasia promovendo o desenvolvimento da personalidade. Assim, conclui-se que através dos contos de fadas, as crianças podem ser orientadas nas suas vivencias futuras. Considerando o número reduzido de artigos encontrados e a ausência de pesquisas empíricas, se faz necessário novos estudos acerca da importância, influência e contribuição dos contos de fadas na formação da personalidade infantil.

Palavras-chave: Contos de Fadas, personalidade, desenvolvimento infantil.

1. Introdução

Atualmente se tem discutido sobre a importância da leitura dos contos de fadas na educação infantil e sua influência na formação da personalidade. Sabe-se que os contos de fadas oferecem para a criança elementos para compreensão da realidade, bem como na sua formação psíquica, auxiliando-a na resolução de seus conflitos internos, contribuindo no desenvolvimento da imaginação, no emocional e ajudando-a no sentido de tornar-se mais sensível, esperançosa, otimista e confiante na vida.

Os contos de fadas conseguem deixar fluir o imaginário e levar a criança a ter curiosidade, que prontamente é respondida no transcorrer da leitura. É uma possibilidade de descobrir o mundo cheio de conflitos, dos impasses, das soluções que todos vivem e atravessam, de um jeito ou de outro, através dos problemas que vão sendo encarados ou não, resolvidos ou não, pelos personagens de cada história.

Conforme os estudos, a literatura infantil apareceu durante o século XVII, época em que houve mudanças na estrutura da sociedade desencadeando repercussões no âmbito artístico, que persistem até os dias atuais. O aparecimento da Literatura Infantil tem características próprias, pois decorre da ascensão da família burguesa, do novo “status” concedido à infância na sociedade e da reorganização da escola. Sua emergência deveu-se, antes de tudo, a sua associação com a pedagogia, já que as histórias eram elaboradas para se converter em instrumento dela.

Ainda de forma simbólica e prazerosa, os contos reproduzem as dificuldades, os complexos das crianças, de maneira que é possível elas se projetarem nessas narrativas, fortalecendo e solucionando suas experiências internas; além de contribuir para o exercício da imaginação, os contos exercem um grande fascínio nas crianças, são caminhos de descoberta e compreensão do mundo.

Segundo Bettlheim (1980), os contos de fadas atuam de maneira consoante ao caminho pelo qual uma criança pensa e experimenta o mundo, por esta razão são tão convincentes para elas. Os mesmos contribuem muito na formação da personalidade, ajudando-as a entenderem um pouco melhor o contexto no qual está inserida.

Dessa forma, a leitura dos contos de fadas se faz importante na formação da personalidade da criança, pois através deles poderão formar-se e informar-se sobre a vida e os ambientes que as cercam.

2. Metodologia

O presente estudo trata-se de uma revisão bibliográfica sobre a importância dos contos de fadas na formação da personalidade infantil, numa visão psicanalítica. O objetivo do trabalho foi verificar como os contos podem influenciar na formação psíquica, moral e no imaginário e de que forma estes contribuem na personalidade da criança.

Para o desenvolvimento do tema em questão foram analisados quinze artigos científicos, com temas voltados para os contos e a influencia que os mesmos exercem na formação da personalidade da criança. Os critérios de inclusão utilizados para pesquisa foram trabalhos que abordassem, numa linguagem psicanalítica, sobre a formação da personalidade infantil em um contexto científico, analisando a influência que os contos exercem na formação da moral, desenvolvimento do imaginário e no auxilio dos conflitos internos.

Os descritores utilizados foram: contos de fadas, imaginário e formação da personalidade infantil. Destacam-se então, a personalidade, desenvolvimento infantil e ludicidade; contribuindo assim, para a ciência da psicologia do desenvolvimento e teoria da personalidade.

Para tanto fez se necessário buscar publicações na área da psicologia através do banco de dado: Biblioteca Virtual Scielo. Dos artigos encontrados foram selecionados para o presente trabalho apenas cinco, por abordarem o tema proposto. Os dez artigos excluídos não contemplavam de forma satisfatória sobre o tema, por tratarem dos contos, apenas em uma visão pedagógica, basicamente no favorecimento da leitura e escrita e alguns por trabalharem de forma restrita e explicativa a moral, por trás de um conto de fada específico.

Os artigos selecionados encontram-se em um período correspondente entre 2005 a 2013, sendo realizado levantamento bibliográfico com a finalidade de contextualizar a importância dos contos de fadas na formação da personalidade infantil, numa perspectiva psicanalítica.

Todas as obras foram analisadas seguindo as perspectivas da análise temática, através de leitura dos acervos pesquisados, utilizando processo de seleção e exclusão acerca do tema, onde se destacam o conceito de personalidade, surgimento dos contos de fadas, desenvolvimento infantil, apontando-se a importância da influência deste tipo de leitura para formação da psique infantil. As obras selecionadas para o trabalho estão organizadas conforme o quadro abaixo, com os respectivos temas, autores, ano de publicação e método de estudo.

Assim, organizou-se o estudo da seguinte forma: a primeira parte do trabalho refere-se à descrição dos artigos analisados como, objetivos e metodologia utilizada. Em seguida REM-se, a discussão dos artigos, com abordagens em relação às ideias em comum dos autores. Por fim, o fechamento com as considerações finais acerca do trabalho elaborado, ou seja, a importância dos contos de fadas na formação da personalidade infantil.

No quadro abaixo se encontra o acervo pesquisado com seus respectivos temas, autores e ano.

Quadro 1 - Caracterização do acervo de revisão, segundo autor, ano e metodologia adotada.

 

Tema

Autor

Ano

Tipo de estudo

01

A importância da leitura dos contos de fada na educação infantil.

Ana Maria da Silva.

2013

Pesquisa bibliográfica e quantitativa

02

Era uma vez: A influência dos contos de fada na infância

Luana Cury; Tiago Aquino da Costa e Silva; Kaoe Giro Ferraz Gonçalves.

2013

Pesquisa bibliografia

03

Os contos de fadas: Mediando a formação a personalidade infantil

Victor Hugo

2009

Pesquisa bibliográfica qualitativa.

04

A importância dos contos de fadas no desenvolvimento da imaginação

Juliana Boeira da Ressureição

2005

Pesquisa exploratória

05

A importância dos contos de fadas nos anos inicias do ensino fundamental.

Katyane Lima de Souza.

2010

Pesquisa bibliográfica qualitativa

Fonte: Scielo, 2014.

3. Apresentação das Obras Pesquisadas

O primeiro artigo:A importância da Leitura dos Contos de Fadas na Educação Infantil de (SILVA, 2013), aborda a importância da leitura deste tipo de gênero na educação das crianças, sobretudo por exercerem um grande fascínio, contribuindo não só pelo gosto à leitura, mas ajudando-as entenderem um pouco melhor sobre o mundo que as cercam. Neste artigo utilizou-se como método a pesquisa quantitativa, através de leituras e análises realizadas de vários autores que abordam ideias especificas sobre os contos de fadas para as crianças na educação infantil.

Segundo Silva (2013), os contos de fadas atualizam ou reinterpretam questões universais como os conflitos de poder e a formação dos valores, numa combinação entre realidade e fantasia promovendo o desenvolvimento da personalidade.

A autora faz uma reflexão sobre a importância dos professores não somente para a escolha de uma leitura adequada, mas como intermediador entre o leitor e o individuo. Ressalta ainda que os pais devem desde muito cedo incentivar a criança o gosto pela literatura infantil, ou seja, começar no ambiente familiar e não esperar somente que a criança se envolva com esse tipo de leitura quando iniciar-se na educação infantil, desse modo conhecerá a realidade do mundo através da leitura dos contos de fada.

A mesma autora relata ainda que os contos de fadas contribuem muito na formação da personalidade, ajudando as crianças a pensar e experimentar o mundo facilitando sua compreensão, colaborando assim, para resolução de conflitos, valores, bem como um entendimento da sua realidade.

Afirma ainda que é importante que o professor promova leituras ao aluno, sendo uma leitura prazerosa e não apenas uma questão de obrigação escolar, só assim será possível formar leitores para a vida toda. Neste caso é necessário criar situações para que de fato ocorra à aprendizagem, enfatizando sempre a importância dos pais no incentivo desde muito cedo a leitura infantil. Desse modo, a criança conhecerá a realidade do mundo através dos contos.

No segundo artigo analisado; Era uma vez: A Influência dos Contos de Fada na Infância Cury; Silva; Gonçalves (2013) fazem uma breve reflexão sobre a influência dos contos de fadas na vida das crianças, abordando de forma ampla a importância no desenvolvimento infantil. O artigo foi elaborado através de uma pesquisa bibliográfica por meio de uma análise a partir do ponto de vista de alguns autores de forma qualitativa, favorecendo o entendimento e a reflexão acerca do tema.

Os contos de fadas são capazes de auxiliar as crianças a superarem certos medos, inseguranças e receios, pois o envolvimento simbólico com a proposta lúdica facilita o entendimento e “possíveis soluções” desses conflitos, propiciando o desenvolvimento psíquico, afetivo e social; isso eleva a autoestima das crianças, contribuindo para a formação da personalidade infantil, bem como na construção desta ao longo da vida. Cury, Silva e Gonçalves (2013).

Assim, foi possível perceber os contos de maneira positiva por possuírem uma estrutura narrativa que apresenta uma sucessão de fatos e acontecimentos organizados de forma coerente e significante, despertando nas crianças o prazer pela leitura e escrita, estimulando a criatividade, a imaginação e a superação dos seus problemas.

O artigo, “Os contos de fadas: Mediando a Formação a Personalidade Infantil” Hugo (2009), enfatiza sobre a importância dos contos de fadas na vida da criança, formação da personalidade e principalmente sobre o primeiro ciclo da infância, onde o ponto culminante está no período dos cinco anos. O autor fez uma pesquisa bibliográfica de natureza qualitativa para tanto analisou obras que contextualizavam a importância da leitura; narração; interação e participação da criança na dramatização, buscando assim saber se de fato os contos de fada tem a função como um mediador na formação da personalidade.

Assim, é perceptível que a leitura dos contos de fadas no meio ao qual a criança está inserida, exerce grande importância para o seu crescimento e aprendizado, facilitando o modo de adquirir conhecimento a respeito de valores, promovendo desse modo o seu desenvolvimento como um todo:

Apesar de a criança estar imersa em um mundo de fantasia, surge rudimentos da prova ou exame de realidade, processo pelo qual o sujeito distingue os estímulos procedentes do mundo exterior daqueles do mundo interior. Assim acredita-se que é na primeira infância o momento de começar a estimular a criança para futuramente com as experiências adquiridas poderão resolver seus problemas, levando em consideração a sua formação pessoal e social por meio desse tipo de influencia (GRIFA; MORENO, 2001, p.145).

 Os autores enfatizam quanto aos benefícios dos contos de fadas na formação da personalidade das crianças, tanto em casa quanto na escola, proporcionando ensinamentos para o crescimento e amadurecimento, favorecendo na criança o interesse em ler e ouvir um conto de sua escolha de forma natural, neste caso, considera-se também a importância do professor neste processo de despertar a sensibilidade, resgatando a imaginação perdida da criança.

Hugo (2009) afirma que os contos de fadas na literatura infantil, abrem espaço para o raciocínio lógico, para os questionamentos e a reflexão, envolvendo o aguçar de sua inteligência, de sua sensibilidade artística e sonho com o real, numa forma natural, onde a criança irá se adequando no seu convívio social, escolar e familiar, dando  oportunidades à criança de encontrar significado para a vida sem perder a sua essência  de maneira prazerosa e descontraída.

No quarto artigo “A Importância dos Contos de Fadas no Desenvolvimento da Imaginação”, Ressureição (2005), buscou compreender como o professor percebe que os contos de fadas têm contribuído no desenvolvimento da imaginação infantil. Onde destaca-se a fantasia das historias infantis, o herói em desenvolvimento, os contos infantis e a educação. Este artigo foi elaborado a partir de uma pesquisa exploratória, tendo como foco principal a área da pedagogia, salientando a importância da literatura infantil como etapa criadora dentro do problema geral da imaginação, uma vez que, não se sabe bem em que idade nem em que forma ou circunstancia ela aparece na criança, assim, a fantasia facilita a compreensão das crianças, pois se aproxima mais da maneira como veem o mundo, já que ainda são incapazes de compreender respostas realistas.

que embora algumas escolas utilizem os contos para se trabalharem a alfabetização, outras desconsideram os contos de fadas como se esses só gerassem confusões quanto aos conceitos sólidos de realidade dependendo do modo de como é ensinado às crianças.

Outro ponto importante, afirma Ressureição (2005), é reconhecer o quanto uma leitura é capaz de aguçar a imaginação, mexer com os sentimentos mais íntimos e contribuir no desenvolvimento do indivíduo da fantasia e até mesmo da personalidade humana.

Lembra a psicanálise que a criança é condicionada a se identificar com o herói bom e belo, não devido a sua bondade e beleza, mais por sentir nele a própria personificação de seus problemas infantis: seu inconsciente desejo de bondade e beleza e, principalmente sua necessidade de segurança e proteção. Pode-se assim superar o medo que a inibe e enfrentar os perigos e ameaças que sente a sua volta, podendo alcançar gradativamente seu equilíbrio adulto (RESSUREIÇÃO, 2005).

Enfatiza ainda, que as crianças extraem das narrativas mesmo que inconscientemente, o que de melhor possa aproveitar para ser aplicado no seu dia a dia. Oportunamente pedem que seus pais contem novamente esta ou aquela história, quando revivem sentimentos que vão sendo trabalhados a cada repetição do drama, ampliando assim os significados aprendidos ou substituindo por outros mais eficientes, conforme suas necessidades do momento.

No quinto artigo “A Importância dos Contos de Fadas nos Anos Inicias do Ensino Fundamental”, Souza (2010) destaca-se a importância dos contos de fadas nos anos iniciais do ensino fundamental, apresentando sua origem, importância literária, a influência deste gênero como formação de identidade e personalidade da criança e sua percepção como eixo para um trabalho dentro de sala de aula, de modo a contribuir para as habilidades de leitura e escrita. A autora buscou como base para sua pesquisa fonte bibliográfica qualitativa.

No que diz Souza (2010) as crianças, desde a educação infantil são inseridas no mundo das narrativas dos contos de fadas. A partir dos conceitos referenciados por tais estórias, vão se criando modos de inferência no meio social e assimilando questões especificas da linguagem escrita.

 Souza (2010), ainda discorre acerca da funcionalidade dos contos de fada, como forma de mostrar o quão positivo pode ser esta abordagem para o desenvolvimento integral da criança e como a escola pode utilizar este gênero literário para que possa construir meios de desenvolver o letramento nos anos iniciais do ensino fundamental.

A leitura, tanto em casa como na escola pode ser realizada diariamente. Assim a consolidação de pessoas mais criativas, sensitivas e até mesmos criticas se tornam cada vez mais propensas e satisfatórias em uma sociedade mais humana e harmoniosa. Tornando fundamental o uso da literatura infantil dentro da escola e na família, já que as estórias são caminhos propícios de aproximar a criança à linguagem escrita para que aos poucos, possa interagir, de forma apropriada com os recursos da língua. Neste caso se fazem necessários textos didáticos preparados especificamente para o desenvolvimento das habilidades de leitura e escrita (SOUZA, 2010).

Diante disso, a autora conclui que o educador deve estar preparado para usar de maneira positiva, toda a literatura clássica que faz parte da cultura mundial e que, reconhecidamente, traz subsídios importantíssimos para o engrandecimento da criança como ser humano pensante e atuante dentro de um mundo não ficcional que se cria a partir do conhecimento do seu próprio ser.

Hugo (2009) retrata que os contos de fadas exercem uma influencia muito benéfica na formação da personalidade; através da assimilação dos conteúdos da estória, as crianças aprendem que é possível vencer obstáculos e saírem vitoriosos.

 O autor ressalta que a personalidade é um meio de crescimento e desenvolvimento de todo o sistema psicológico de um indivíduo, um determinante para o ajustamento do mesmo ao meio em que vive. Pode se ainda dizer que os contos de fadas, na versão literária, atualizam ou reinterpretam em suas variantes questões universais, como conflitos do poder e a formação dos valores misturando realidade com a fantasia.

Como aborda os autores sobre o primeiro ciclo da infância que corresponde à idade dos cinco anos, encontramos nas crianças interesses concreto-objetivos que surge na idade do “por quê”, junto com interesses lúdicos acompanhados de uma atitude onipotente e cativados por pessoas, objetos e ações mágicas, Grifa e Moreno (2001, p. 145).

Os mesmos autores abordam de forma ampla a importância dos contos no desenvolvimento infantil não apenas no que se referem ao desenvolvimento físico, orgânico, como também no desenvolvimento mental que é uma construção contínua que se caracteriza pelo aparecimento gradativo de estruturas mentais.

 Estas são formas de organização da atividade mental que se vão aperfeiçoando e solidificando até o momento em que todas elas estão plenamente desenvolvidas, caracterizando um estado de equilíbrio superior quanto aos aspectos da inteligência, vida afetiva e relações sociais, isso significa que através dos contos de fadas as crianças poderão desenvolver-se, construindo assim seu próprio conhecimento.

4. Discussão

Diante dos artigos analisados, pode se perceber semelhanças em termos de vantagens e contribuições dos contos de fadas na formação da personalidade da criança. Os mesmos enfatizam sobre a questão pedagógica quando se trabalham dentro deste contexto com as crianças que, certamente vão influenciar na personalidade infantil destas; dentre os autores pesquisados os que apresentaram ideias em comuns estão, Silva (2013); Ressureição (2005) e Souza (2010).

A autora Silva (2013) destaca a importância da leitura dos contos de fadas na educação infantil, pois é por meio desta prática que vai estimulando a criatividade, a imaginação contribuindo para formação da personalidade. A criança encontrará, ao chegar à escola, um mundo mágico, habitado por seres incríveis e que chamam a atenção dela. Desse modo nota-se que a leitura poderá ser um meio para o processo educacional eficiente, proporcionando assim a formação integral de cada individuo.

Segundo Ressureição (2005), a imaginação é a faculdade soberana e a forma mais elevada do desenvolvimento significativo para as crianças, na literatura infantil encontra-se o espaço privilegiado para estimular o sujeito como elemento gerador das hipóteses mágicas.

 Neste caso nota-se a importância do professor no processo de mediação à leitura dos contos de fadas contribuindo assim, no desenvolvimento da imaginação infantil sendo relevante reconhecer o quanto a leitura é capaz de explorar a imaginação, mexer com os sentimentos mais íntimos contribuindo para desenvolvimento da criação e fantasia. Essa dinâmica proporciona momentos para a construção do conhecimento do aluno, já que cada um é sujeito da sua própria aprendizagem (RESSUREIÇÃO, 2005).

Os estudos mostram que as crianças, desde a educação infantil, são inseridas em um mundo das narrativas dos contos de fadas. A partir dos conceitos referenciados por tais estórias, vão criando modos de participação no meio social e assimilando questões especificas da linguagem escrita. Quando ingressam no ensino fundamental, todos os parâmetros de sistematização da aprendizagem podem ser permeados através desta base literária (HUGO, 2009; RESUREIÇÃO, 2005; SOUZA, 2010).

Neste sentido, observou-se que todos os autores enfatizam a importância da literatura infantil dos contos de fadas na vida da criança desde muito cedo. Argumentam que este tipo de leitura contribui para a formação da personalidade da criança, promovendo seu desenvolvimento cognitivo, ajudando-as lidarem com os seus “problemas” e experiências do cotidiano, facilitando o aprendizado destas no mundo escolar. Desenvolvendo ainda um relacionamento positivo das habilidades sociais e consequentemente ajudando a superar as suas dificuldades.

Embora os estudos abordem o tema sob diferentes perspectivas, todos chegaram a uma conclusão de que estes tipos de leitura são fundamentais para formação da personalidade infantil. Os contos oferecem à criança uma lição de vida onde elas podem se identificar com os personagens. Dessa forma, cabem aos pais e educadores mediarem o encontro da criança em relação a este mundo de fantasia, possibilitando-a um discernimento de fato do que é real daquilo que poderá ser fantasioso.

 As obras analisadas contemplam as ideias centrais do tema proposto, deixando claro que não tem como obter um processo de formação de personalidade sem inserir e, ou promover no indivíduo o contato com mundo da imaginação, tendo esta como uma possibilidade para que o mesmo crie estruturas próprias de desenvolver suas conclusões e através delas reiterar-se do que é real, propiciando assim o desenvolvimento da capacidade de construção da criança dentro de um processo de aprendizagem.

Todas as informações pesquisadas tiveram ideias embasadas na escrita de Bruno Bettelheim (1980), onde ele observa que a tarefa mais importante e também a mais difícil na formação de uma criança é ajudá-la a encontrar significado na vida. Muitas experiências são necessárias para se chegar a esse ponto. Para que uma historia realmente prenda a atenção da criança, deve entretê-la e despertar nesta a sua imaginação. Neste caso, os contos infantis ajudam a desenvolver o intelecto tornando clara a emoção da criança, deixando-a harmonizada com suas ansiedades e aspirações, reconhecendo suas limitações e ao mesmo tempo buscando soluções para os problemas que possivelmente tornam-se perturbadores.

 Bettehleim é citado como referencia principal no que se refere a contos de fadas numa vertente psicanalítica, onde as leituras dos mesmos contribuem para formar a personalidade da criança sem nunca menosprezar o conhecimento já adquirido, valorizando o que ela trás consigo, promovendo assim sua confiança e sua projeção quanto ao futuro.

A partir do estudo sobre a temática, pode se constatar que este tipo de literatura fornece a criança, encorajamento e superação em termos de valores morais e amadurecimento na vida. É importante observar que os contos de fadas oferecem um apoio por meio do imaginário, criando possibilidades e condições para resolverem pequenas e grandes problemáticas e apoio numa determinada situação.

Conforme Bettelheim (1980), a criança através da estória poderá identificar se com um dos seus protagonistas, não só recebendo esperanças, uma vez que, é informado a ela que através do seu desenvolvimento e inteligência poderá sair se vitoriosa de alguma situação ou vivências, mesmo havendo um oponente muito mais forte. Os contos de fadas direcionam a criança para a descoberta de sua identidade e comunicação, sugerindo as experiências que são necessárias para desenvolver ainda mais o seu caráter.

É possível notar que na maioria dos casos, as crianças se interessam em ouvir contos de fadas, para tanto cabem aos pais e educadores não permitir que as mesmas fiquem alienadas a esse mundo de fantasia. De acordo com Corso e Corso (2006), é necessário que haja incentivo e estímulo à curiosidade, criatividade e capacidade para questionar. Ressaltando-se a importância do educador e da família no incentivo, desde muito cedo, na vida do indivíduo.

Atualmente as crianças conhecem os contos de fadas de forma amesquinhas e simplificadas, que amortecem os significados e roubam-nas de todo o significado mais profundo, versões como as dos filmes e espetáculos de TV, onde os contos de fadas são transformados em diversão vazia (BETTELHEIM, 1980, p. 32).

5. Considerações Finais

O objetivo deste estudo foi analisar as publicações sobre a importância dos contos de fadas na formação da personalidade da criança. Sabemos que os contos, assim como a brincadeira, é uma poderosa válvula de escape para que a criança possa enfrentar as dificuldades que ela nem sabe nomear. Através dos mesmos a criança da um contorno para o seu conflito, superando-o.

 Diante dos estudos realizados, observa-se que não há necessidade de esperar pela educação infantil formal para que as crianças se envolvam com a leitura dos contos de fadas; cabem aos pais promover esse tipo de leitura ainda no contexto familiar, pois esta experiência proporcionará à criança, com o passar do tempo, o interesse e o prazer pela leitura de modo a contribuir tanto para a aprendizagem quanto e, principalmente, para a formação de sua personalidade.

Em relação às dificuldades encontradas na elaboração do trabalho, percebe-se que existem poucas obras com a temática sobre os contos de fadas e sua influência na formação da personalidade infantil. Esse tipo de literatura, na maioria das vezes, está direcionado basicamente para área pedagógica como forte influenciador no aprendizado da leitura e escrita em um contexto escolar. Assim, Verificou-se a necessidade de mais escritas numa vertente psicanalítica acerca de contos de fadas, em termos contributivos para a personalidade infantil.

 Outra dificuldade encontrada está no fato de que, poucos artigos pesquisados discorrem de maneira específica quanto à questão da formação da personalidade infantil. A maioria dos artigos encontrados comenta sobre esse assunto, porém numa visão pedagógica.

Diante disso, nota-se que há necessidade de desenvolver mais estudos sobre o tema em discussão; pois, existem poucos pesquisadores que tiveram seus trabalhos/publicações elaborados num contexto da psicanálise; dessa forma se faz necessário o desenvolvimento de novas pesquisas em torno do tema com um “olhar” direcionado à psicanálise infantil.

 Esta pesquisa proporcionou conhecimento e crescimento na área pessoal e acadêmica, dando possibilidades na busca do entendimento sobre as consequências que os contos têm no processo de formação e contribuição na personalidade da criança.

Através deste estudo, foi possível fazer uma reflexão geral acerca da importância, influência e contribuição que os contos exercem na formação da personalidade infantil. O trabalho permitiu às acadêmicas a compreensão, através dos contos, do desenvolvimento da imaginação da criança; contribuindo no conhecimento da realidade infantil de forma prazerosa e mais confiante. Através dos contos, as crianças podem ser orientadas nas suas vivencias futuras, encontrando suas próprias verdades assim como na época do “era uma vez”.

Sobre os Autores:

Eraldo Carlos Batista - Professor Orientador do Departamento de Psicologia da Faculdade de Rolim de Moura - FAROL.

Jane Gonçalves Reis - Psicopedagoga Clinica/Neuropsicologia, graduanda em psicologia pela Faculdade de Rolim de Moura FAROL.

Mariley Ribeiro de Souza - Orientadora Educacional, graduanda em Psicologia pela Faculdade de Rolim de Moura -FAROL.

Referências:

BETTELHEM, B. A psicanálise dos contos de fadas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980.

CORSO, D. L.; CORSO M.. Fadas no divã: psicanálise nas histórias infantis Mario. Porto Alegre: Artmed, 2006.

CURY, L.; SILVA, T., A. C.; GONÇALVES, K. G. F. Era uma vez: a influência dos contos de fada na infância, 2010. Disponível em: <http://www.abrerecreadores.com/acadêmico/>. Acesso em: 04 abr. 2014.

GRIFA, M. C.; MORENO, J. E. Chaves para a psicologia do desenvolvimento: vida pré-natal, etapas da infância. São Paulo: Paulinas, 2001.

HUGO, V. Os contos de fadas: Mediando a formação da personalidade infantil. 2009. Disponível em: < http://www.Artigo.com/educação/>. Acesso em: 30 mar. 2014.

SOUZA, K. L. A importância dos contos de fadas nos anos iniciais do ensino fundamental. 2010. Disponível em: <http://caosfilosófico.blogspot.com.br/artigo/>. Acesso em: 15 abr. 2014.

SILVA, Ana Maria. A importância da leitura dos contos de fada na educação infantil, 2013. Disponível em: <http://caosfilosófico.blogspot.com.br/artigo/>. Acesso em: 10 abr. 2014.

RESSUREIÇÃO, J. B.. A importância dos contos de fadas no desenvolvimento da imaginação. 2005. Disponível em: <http://www.Artigo.com/educação/>. Acesso em: 30 abr. 2014.

Curso online de

Psicomotricidade e Desenvolvimento Humano

 Psicomotricidade e Desenvolvimento Humano

Aprofunde seus conhecimentos e melhore seu currículo

Carga horária:  80 Horas

Recém Revisados