O Trabalho do Psicólogo: uma ação multifacetada

1 1 1 1 1 Avaliações 0.00 (0 Avaliações)
(Tempo de leitura: 4 - 7 minutos)

Considerações Iniciais

A psicologia é uma ciência que estuda através de um modelo científico o comportamento dos indivíduos e seus processos mentais. Nesse caso, é fundamental examinar o sujeito em uma perspectiva comportamental, individual e psicodinâmica acerca de sua história de vida e suas questões intrínsecas.

Porém, muitos ainda associam o trabalho do psicólogo somente ao modelo clínico, de consulta psicológica, em que existe um terapeuta e um paciente para ser ouvido e resolvido o seu problema. No entanto, a psicologia como profissão expandiu em relação a seu fazer e hoje encontra-se nas mais diversas instituições sociais.

O espaço na psicologia tem sido conquistado paulatinamente, mas garante assistência em diversos setores da sociedade, a psicologia se desmonta para adentrar nas áreas: comunitária, organizacional, hospitalar, escolar, jurídica, no esporte, etc.

No tocante às tarefas do psicólogo, é valido mencionar que cada fazer tem sua especificidade, seu público-alvo, seu modo de abordar o outro e sua finalidade peculiar, sobretudo, é realizado um trabalho pautado na ética profissional.

Nessa perspectiva, a psicologia deparou-se com muitos desafios ao longo de sua história, além de consolidar o viés clínico, teve que abrir espaço em diversos contextos que outrora não reconheciam seu trabalho e mostrar uma nova prática e serviço, tendo que explorar novos campos e searas desconhecidas.

É fundamental, nesse aspecto, que o profissional esteja cônscio de seu papel em cada setor, e o desenvolva de maneira assertiva e coerente com a proposta defendida, para que não ocorram problemas posteriores.

O que Torna a Psicologia Única

Para entender a singularidade e o caráter único da psicologia, é necessário avaliar a forma como a psicologia define o seu campo de trabalho e as metas que emprega em suas pesquisas e aplicações, ou seja, seu aspecto científico.

O aspecto científico da psicologia exige conclusões psicológicas baseadas em evidências coletadas de acordo com princípios do método cientifico. O método científico consiste em um conjunto de passos ordenados, utilizados para analisar e resolver problemas (GERRING, 2005).

O que torna a psicologia única é o entendimento de onde e como se formou o conhecimento da ciência psicológica e de como essa área se percebe enquanto ciência, que tem um objeto de estudo a ser investigado.

Nesse sentido, é fundamental que a psicologia se reconheça em sua especificidade, tendo em vista o caráter particular de cada área de atuação. Dentre os movimentos da psicologia cada um possui uma atividade específica. Desse modo, a psicologia social estuda os movimentos sociais, a psicologia hospitalar visa entender esse sujeito na situação de adoecimento, a psicologia clínica objetiva dar assistência psicológica e individual a esse sujeito em sofrimento psíquico, dentre outros.

Psicologia: uma Área Multifacetada

A partir de meados de 1962 até a atualidade, experimentou-se um grande crescimento a respeito do número de psicólogos graduados pelas instituições de ensino, que se seguem pelo conseqüente aumento no índice de inscrições nos Conselhos Regionais.

Embora a legislação que regulamenta a profissão não se refira à área de atuação, este conceito vem sendo largamente usado para descrever o conjunto de características que, de alguma forma, demarca o campo de trabalho do psicólogo e confere alguma identidade ao grupo de profissionais que se dedica àquelas atividades. Tradicionalmente, o conjunto de atividades e objetivos da atuação do psicólogo foi agrupado em quatro grandes áreas: clínica, escolar, industrial e docência (BASTOS, 1989).

Nos tempos atuais, essa atuação tem ganhando novas ampliações, bem como na  área comunitária, social, organizacional, jurídica, etc).

Vinte e três anos após a regulamentação, o Conselho Federal de Psicologia elaborou um documento para integrar o Catálogo Brasileiro de Ocupações do Ministério do Trabalho, onde se identificam as seguintes áreas de atuação: Psicólogo Clínico (onde já se vêem descrições de atividades típicas do que se vem denominando Psicologia Hospitalar ou Psicologia da Saúde), Psicólogo do Trabalho (e não mais portanto psicólogo industrial ou industrialista), Psicólogo do Trânsito, Psicólogo Educacional, Psicólogo Jurídico (ainda sem as atividades típicas do que se está denominando Psicologia Militar), Psicólogo do Esporte, Psicólogo Social e Professor de Psicologia (nível de segundo grau e nível superior).

De acordo com as atribuições profissionais que a psicologia tem se ocupado, pode fazer-nos concluir que essa prática vem consolidando-se e ganhando notoriedade com o passar dos anos. Ao passo que se construíram áreas “tradicionais”, situam-se agora, áreas emergentes, que são demandas que surgem naturalmente na sociedade.

Exercício Profissional

É exercício profissional, a prática ou a transmissão da prática que venha a ser considerada como privativa do Psicólogo. Sobre este assunto temos a regulamentação oficial contida na Lei No.4.119/62 (que estabelece o que é prerrogativa do psicólogo) e no seu Decreto No.53.464/64 (que regulamenta a Lei 4.119) que dispõem: "São funções psicológico;orientação e seleção profissional do psicólogo:1) Utilizar métodos e técnicas psicológicas com o objetivo de:  diagnóstico; orientação psicopedagógica; solução de problemas de ajustamento..." (HOLANDA, 1997).

A psicologia tem como objetivo estudar o comportamento humano e abrange inter-relação com várias áreas do conhecimento, bem como ciências humanas, ciências biológica e apresenta elementos comuns às ciências sociais.

Nesse aspecto, o exercício profissional do psicólogo abarca uma diversidade de abordagens bem como um grande de interdisciplinaridade entre as áreas de conhecimento. As áreas de atuação dos psicólogos se entendem em consultórios, empresas, escolas, comunidades, hospitais, creches, juizados de menores, penitenciárias, associações profissionais e esportivas, etc.

O profissional deve ser estimulado a ser um agente de mudança, e não apenas um reprodutor do conhecimento científico e técnico. Para tanto, é necessário que se amplie o conceito de ciência, superando o paradigma positivista e reinserindo profissional "expert" (Francisco & Bastos, 1992).

Considerações finais

Em suma, o trabalho do psicólogo se configura a partir de uma ação multifacetada, isto é, possui vários modelos de trabalho em uma única ciência, cada área com sua especificidade e seus objetivos particulares. Assim, a psicologia encontra-se nos mais diversos setores atendendo às demandas sociais “tradicionais” e “emergentes” que surgem no dia-a-dia. O diferencial da psicologia é seu caráter único, seu objeto de estudo e seu fazer que se desvela a partir de uma ótica ampliada frente às varias realidades que se apresentam no contexto contemporâneo. Nessa perspectiva, esse trabalho é relevante para esclarecer a amplitude do fazer psicológico e apontar as suas nuances e vicissitudes.

Sobre o Autor

Alex Barbosa Sobreira de Miranda - Departamento de Psicologia. Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Teresina, PI, Brasil, email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Referências:

BASTOS, Antônio Virgílio Bittencourt; GOMIDE, Paula Inez Cunha. O psicólogo brasileiro: sua atuação e formação profissional. Psicol. cienc. prof.,  Brasília,  v. 9,  n. 1,   1989 .   Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98931989000100003&lng=pt&nrm=iso.

CARVALHO, Maria Teresa de Melo; SAMPAIO, Jáder dos Reis. A formação do psicólogo e as áreas emergentes. Psicol. cienc. prof.,  Brasília,  v. 17,  n. 1,   1997 .   Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98931997000100003&lng=pt&nrm=iso.

FRANCISCO, A.L. & Bastos, A.V.B. (1992). "Conhecimento, Formação e Prática - o necessário caminho da integração", In Conselho Federal de Psicologia, Psicólogo Brasileiro. Construção de novos espaços, Campinas: Editora Átomo.

GERRING. R.J.  A psicologia e a vida. 16ª Ed. Porto Alegre, 2005.

HOLANDA, Adriano. Os conselhos de psicologia, a formação e o exercício profissional.Psicol. cienc. prof.,  Brasília,  v. 17,  n. 1,   1997 .   Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98931997000100002&lng=pt&nrm=iso.

Curso online de

Distúrbios do Sono e Qualidade de Vida

 Distúrbios do Sono e Qualidade de Vida

Aprofunde seus conhecimentos e melhore seu currículo

Carga horária:  100 Horas

Recém Revisados