(Tempo de leitura: 11 - 21 minutos)

Resumo: O presente estudo buscou problematizar a noção de transexualidade, assim como a pertinência de uma identidade transexual na perspectiva da psicanálise, utilizando-se para tanto as contribuições de Freud e de um autor contemporâneo da psicanálise americana, Robert Stoller. Colocando-os em diálogo, foram investigadas novas possibilidades de compreensão do fenômeno para além do campo da psicopatologia, abrindo espaço teórico e ético para as novas manifestações da sexualidade.

Palavras-chave: Transexualidade, Psicanálise, Stoller.

(Tempo de leitura: 8 - 15 minutos)

Resumo: A sexualidade faz parte das necessidades do ser humano, desenvolve-se por toda vida e não se reduz ao ato sexual, não desaparece com o avançar da idade. “A sexualidade é uma energia que nos motiva para encontrar amor, contato, ternura e intimidade; ela se integra no modo como sentimos, movemos, tocamos e somos tocados, é ser sensual e ao mesmo tempo ser sexual. A sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e, por isso, influencia também a nossa saúde física e mental”. O estudo teve como objetivo elaborar uma cartilha educativa sobre sexualidade na terceira idade, orientando-os sobre a promoção da saúde e qualidade de vida. É uma pesquisa do tipo metodológica, com intuito de elaborar um instrumento que facilite o entendimento do idoso a expressão de sua sexualidade. A cartilha é destinada aos idosos de todas as idades, independente de cor, raça, classe social, estado civil e religião.

Palavras-chave: Sexualidade, Idoso, Terceira idade, Cartilha educativa.

(Tempo de leitura: 18 - 36 minutos)

Resumo: A transexualidade é uma identidade de gênero alvo de diferentes debates que ora a associam a uma patologia psiquiátrica e em outros momentos a uma escolha legítima de existência. Diante dessa complexidade, o presente estudo buscou evidenciar algumas das problematizações que envolvem a transexualidade em interface com psicologia no país.  Para tanto, realizou-se uma pesquisa de revisão bibliográfica no banco de dados dos periódicos CAPES, com a palavra norteadora “transexualidade” com o objetivo de identificar o estado da arte das produções cientificas e sua relação com a psicologia, a partir do ano de 2004, momento em que foi criado o Programa Brasil sem Homofobia, marco político na garantia dos direitos humanos LGBT. A revisão mostrou esclarecimentos acerca da categorização da identidade de gênero transexual, referendando um processo atual de despatologização da transexualidade. Tais resultados imprimem um novo convite prático e teórico para o psicólogo que veio a integrar a equipe de saúde do Processo Transexualizador, por meio das Portarias do Ministério da Saúde de 2008, que definem como procedimento de alta complexidade a cirurgia de readequação sexual pelo SUS.

Palavras-chave: Gênero, Transexualidade e Psicologia

(Tempo de leitura: 9 - 18 minutos)

Resumo: O presente estudo tem como objetivo discorrer sobre o ciúme romântico na contemporaneidade como um aspecto emocional que infligem em sofrimentos, consequência da existência de um inimigo real ou imaginário presente na relação afetiva – romântica.  Para muitos o ciúme é considerado uma manifestação consciente de amor e carinho, porém essa manifestação dentro de um relacionamento passa a ser encarado pelo parceiro como sentimento de angústia doentia, muitas das vezes sem uma correlação logica com o presente relacionamento. Enfatizando o estudo, foram redigidas dez afirmações para vinte pessoas, dez masculinas e dez femininas nos quais deram suas afirmações sobre o presente tema. É de suma conhecer os sentimentos frequentes que embasam esse fenômeno não descartando as especificidades da personalidade de cada indivíduo.

Palavras-chave: Ciúme, Relações afetivas, Infidelidade, Superproteção.

(Tempo de leitura: 16 - 32 minutos)

Resumo: O trabalho aborda um caso de Sexualidade na Adolescência, atendido no Centro de Referência Especializada de Assistência Social- CREAS. Trata-se de uma adolescente que sofreu abusos sexuais, onde se apresentam fatos de que o abuso não está separado de sua história, e de como ela vem respondendo aos traumas deixados pelo Outro.  O conteúdo deste estudo abrange conceitos psicanalíticos ligados à sexualidade na adolescência. São apresentados fragmentos de um caso clínico visando facilitar as articulações entre teoria e prática psicanalítica.

Palavras-chave: Abuso, Adolescência, Sexualidade, Trauma.

(Tempo de leitura: 16 - 31 minutos)

Resumo: Hoje vive-se um processo de envelhecimento, o qual trás alterações e impactos importantes para a vida social, cultural e política de qualquer país. No Brasil o crescimento demográfico da população idosa é uma realidade.  Estimativas apontam que no ano de 2025 o Brasil venha a se tornar a sexta maior população idosa. Na sociedade contemporânea ainda há uma concepção muito negativa do envelhecimento, onde a sexualidade é extinta desta faixa etária, sendo os idosos considerados seres assexuados, pessoas desprovidas de sexualidade. Assim, as falsas crenças e mistificações tornam difícil falar da sexualidade dos idosos e o estereótipo é que o prazer sexual esteja limitado somente ao período juvenil da vida. Para tanto, o presente estudo vem propor uma investigação bibliográfica acerca da temática da sexualidade na velhice, procurando entender como a mesma ocorre, produzindo conhecimento e lutando para desmistificar este tema. Buscou-se investigar os impactos das mudanças fisiológicas no idoso em sua sexualidade, e como esta se dá diante de tais mudanças e de tal fase da vida. Constatou-se que a sexualidade não deixa de ser exercida com o passar dos anos, que algumas alterações ocorrem devido às mudanças fisiológicas normais do processo de envelhecimento, mas que estas não influenciam nos relacionamentos. Nota-se que nesta fase novos acordos são realizados, onde o companheirismo, a afetividade, o amor e carinho, são mais valorizados. Portanto, conclui-se que a sexualidade nasce e morre conosco.

Palavras-chave: Sexualidade, Idosos, Envelhecimento, Mudanças Fisiológicas.

(Tempo de leitura: 26 - 51 minutos)

Resumo: A adolescência é uma etapa da vida na qual a personalidade está em fase final de estruturação e a sexualidade se insere nesse processo, sobretudo como um elemento estruturador da identidade do adolescente. Esta pesquisa tem o objetivo de estudar os motivos que levam os adolescentes meninos a terem sua iniciação sexual na adolescência média. Como eles já são considerados biológica e fisicamente preparados para ter uma vida sexual ativa, este trabalho tem como foco os aspectos (implicações, consequências,) psicológicos do início sexual nesta fase da vida. Nesse sentido, foram entrevistados quatro adolescentes com idade entre catorze a dezessete anos, que já tiveram relação sexual. O método utilizado para a interpretação dos dados foi o psicanalítico, que se originou na prática clínica, no qual as hipóteses foram formuladas a posteriori, a partir do próprio ato de pesquisar, baseado na transferência. Aprendemos desde criança a cultura em que estamos inseridos, portanto os adolescentes do sexo masculino também aprendem desde crianças que tem que ser os exemplos, tem que serem como a sociedade os molda. Por meio das entrevistas, constatou-se que os adolescentes ainda sofrem muita pressão social e familiar para dar início a sua vida sexual.

Palavras-chave: Adolescente, Iniciação sexual, Aspectos psicológicos.

(Tempo de leitura: 25 - 50 minutos)

Resumo: Com objetivo de descrever a reação dos pais quando ficam sabendo da homossexualidade dos filhos (as), assim como investigar como é a relação entre ambos, descrever o sentimento entre pais e filhos (as) antes e depois de saber da homossexualidade; verificar se ocorreu a aceitação dos pais e identificar se existe alguma mudança no sistema familiar, depois que estes pais souberam que tem um filho (a) homossexual, foram realizadas quatro entrevistas semi-estruturadas com três mães e um casal de pais que têm filhos homossexuais, residentes na região sul do Paraná e no planalto norte de Santa Catarina. Posteriormente, as informações foram reunidas e organizadas segundo os dados obtidos para cada questão, sendo constituída por blocos temáticos de acordo com os objetivos e com embasamento teórico da abordagem sistêmica. Com a presente pesquisa, foi possível verificar que o grau de escolaridade dos pais, e as diferentes épocas em que souberam da homossexualidade dos filhos(as), não influenciou no tipo de reação. Percebeu- se que as famílias conseguem conviver bem, sendo necessário sim fazer algumas mudanças para se adequar a esse novo sistema, e que as transformações acontecem quando todo sistema familiar contribui para isso.

Palavras-chave: pais, filhos, família, homossexual e reação.

Leia mais com Kindle

Tenha a melhor experiência de leitura com seus livros em um Kindle.

Curso online de

Sexualidade - Normal e Patológica

 Sexualidade - Normal e Patológica

Curso 100% online e com certificado de 60 Horas

Boletim por e-mail

Junte-se aos mais de 98.210 leitores que recebem nosso boletim eletrônico:


Parceiros

Portal Psicologia