História da Psiquiatria no Piauí

(Tempo de leitura: 2 - 3 minutos)

O século XX começa ainda com a hegemonia dos miasmas, dos chás, das sanguessugas, das sangrias, conversões histéricas e outros. São fatores que vão se esvaindo aos poucos em virtude dos avanços técno-científicos acelerados do início do século passado. Contudo, nesse período, as epidemias ainda se alastram por falta de antibióticos, as clínicas particulares de internamento se difundem. As Santas Casas de Misericórdia ainda são muito comuns nesse período, mas já se encontram em processo de desligamento da filantropia ligada de forma indissociável na sua gênese.

Nesse período de grande progresso científico, as medidas higienistas também tomam grande impulso tendo lugar de destaque nas políticas públicas. Pode-se citar como exemplo as campanhas de vacinação empreendidas por Oswaldo Cruz no Rio de Janeiro que objetivavam “limpar” a cidade. Várias clínicas de “internamento de alienados” são abertas com o mesmo objetivo, proporcionar a salubridade da cidade.

No Piauí a primeira clínica médica data do ano de 1803, na cidade de Oeiras, então capital do estado. O Hospital de caridade da cidade só veio a partir de 1835, entretanto, com a transferência da capital para a atual cidade de Teresina, suas atividades foram encerradas. Em 17 de agosto de 1861 é oficialmente instalado o hospital de caridade da Santa Casa de Misericórdia cidade de Teresina dando início aos cuidados institucionais em saúde da região.

O vice-governador Areolino Antônio de Abreu ao assumir o mandato teve como uma de suas primeiras atitudes a construção do “Asilo de Alienados” com inauguração oficial em 24 de janeiro de 1907, batizado de “Asilo de Alienados Areolino de Abreu”. Tem como primeiro diretor Marcos Pereira de Araújo.

Em 1940, Clidenor Freitas dos Santos assume a direção do Asilo e tenta por em prática métodos em voga em outras instituições da época. Elabora um relatório de grande valor histórico a respeito das condições físicas do asilo que apesar das reformas já realizadas ainda eram precárias. Como relata Clidenor

“Com o tempo as condições higiênicas desses cômodos foram-se agravando, sobretudo, em virtude do pequeno esgoto – no qual os doentes deveriam fazer suas necessidades fisiológicas - sair do centro do próprio quarto e ser completamente aberto. O que não foi esquecido foi a colocação em todos os quartos, e até no pátio, nos troncos de cajueiros, de pesadíssimas correntes destinadas às pernas dos doentes”

Constam no relatório uma série de modificações que ao seu ver, favoreceriam hospital e doentes. Dentre as sugestões feitas está a alteração do nome do da instituição para “Hospital Psiquiátrico Areolino de Abreu”, novos métodos de tratamento, retirada das correntes. Introduz novas práticas como convulsoterapia cardiozólica de Von Meduna,Malarioterapia, insulinoterapia e a partir de 1947 eletroconvulsoterapia.

Constrói a partir de 1943 em um terreno de sua propriedade, então longe do perímetro urbano. O Sanatório Meduna foi inaugurado em 21 de abril de 1954. Fica no Meduna o primeiro aparelho de eletroconvulsoterapia construído no Brasil. Junto com o Hospital Areolino de Abreu são as duas instituições de referência da psiquiatria tradicional no Piauí.

Referências:

Extraído de:

GUIMARÃES, Humberto. Para uma Psiquiatria Piauiense – Pesquisa histórica. Comepi: Teresina, 1994.

Comentários (0)

Nenhum comentário foi feito ainda, seja o primeiro!