(Tempo de leitura: 17 - 33 minutos)

Resumo: Nesse artigo aborda-se a concepção de policiais militares acerca do estresse, na perspectiva da saúde mental. Procurou-se analisar qualitativamente, através da Análise do Discurso, a fala dos sujeitos da pesquisa, sendo três policiais militares – um soldado feminino, um masculino e um sargento. Os resultados apontam para um policial consciente da importância do buscar e da promoção dos serviços e cuidados de saúde mental; no entanto, percebe-se que não os fazem atribuindo a vários fatores, como a precariedade destes serviços prestados pela instituição. Percebe-se, portanto, a possibilidade do adoecimento psicossocial dessa categoria profissional, negando-se a possibilidade desse sofrimento, o qual diz de um sintoma, do subjetivo; diferente dos sinais, os quais se inscrevem no fisiológico. A pesquisa traz apontamentos da fragilidade desses serviços dentro da Instituição Policial Militar, pontuadas pelos próprios policiais; sinalizando para a importância de outras pesquisas dentro desse tema, para uma melhor compreensão dos dados emergidos e de quais implicações esse “não buscar e não promover” dos serviços e cuidados de saúde mental, possam ter sobre esses policiais, suas famílias, a instituição e a sociedade. Portanto, abri-se a possibilidade de novos olhares e fazeres na promoção e cuidados em saúde mental, para o policial militar e consequentemente, para toda sociedade.

Palavras-chave: Estresse. Saúde Mental. Policial Militar.

(Tempo de leitura: 15 - 30 minutos)

Resumo: Este artigo objetiva discutir, a partir de algumas reflexões presentes na obra “O Pequeno príncipe”, alguns aspectos da condição humana. Autores como Rollo May (1973) e José Antonio Zago (2011) contribuem com o argumento de autoridade o que legitima nossa reflexão. A linha de raciocínio para a redação do presente artigo foi definida seguindo duas questões centrais: o vazio existencial e as raízes dos conflitos psicológicos.

Palavras-chave: Condição humana, vazio existencial e conflitos psicológicos.

(Tempo de leitura: 17 - 33 minutos)

Resumo: Este trabalho pretende abordar, por intermédio de uma revisão bibliográfica, o suicídio na adolescência a partir de uma visão da psicanálise, valendo-se principalmente das elaborações de Sigmund Freud e Jacques Lacan. É pertinente, porém, enfatizar que não pretende esgotar a discussão e pesquisa referente ao suicídio na adolescência, mas sim trazer a luz da reflexão sobre a temática supracitada. Percebe-se que o referido tema é pouco discutido no universo bibliográfico, devido à complexidade de tal contexto de objetivo de pesquisa, bem como se tratar de um assunto polêmico de poucas explicações científicas. Diante desta vertente faz-se necessário utilizar-se de metodologias já existentes com base em autores que produzem uma leitura sobre o suicídio na adolescência e suas nuances.

Palavras-chave: Suicídio, Adolescente, Psicanálise.

(Tempo de leitura: 14 - 27 minutos)

Resumo: Esse trabalho de revisão bibliográfica buscou identificar possíveis relações entre solidão e consumo de álcool entre mulheres no Brasil. É possível encontrar estudos envolvendo álcool e mulheres constatados em Vargas (2006), Bauer (l982), Blume apud Zilberman (2005), Cortaza (2007), Hernández (2007).  Além disso, a abordagem sobre solidão aparece como um tema transversal em estudos como o de Angerami-Camon (1999), ao abordar sobre a questão do suicídio afirmando esse autor que a solidão está tão distante das nossas reflexões, tornando-se apenas realidade quando da experiência, vivência e emoção desesperadora. A solidão por si abarca todas as contradições que envolvem a conceituação dos fenômenos humanos. Como resultado foi constatado que o consumo de álcool é um dos fatores que podem ensejar a solidão e que este hábito vem crescendo entre mulheres com possíveis implicações nas relações sociais.

Palavras-chave: Álcool, Solidão, Mulheres, Saúde Mental.

(Tempo de leitura: 19 - 38 minutos)

Resumo: O alvo para a pesquisa foi o Centro de Atenção Psicossocial para tratamento de usuários de álcool e outras drogas (CAPS ad) na Zona norte de Natal/RN, pois trabalha com a produção do cuidado em liberdade, objetivou-se a analisar a implicação do usuário no seu tratamento. Com base em experiências vividas em estágio extracurricular no CAPS Ad Norte e no CAPSi, surgiu à ideia de ser feita uma pesquisa com os usuários de crack no CAPS Ad Norte no município de Natal. O crack foi escolhido para ser o foco desse estudo, por causa da disseminação e destruição causada no seu usuário, assim como a sua evidência na sociedade. Como metodologia utilizou-se a abordagem qualitativa através de entrevista semiestruturada, onde foram entrevistados quatro usuários, assim como participação/observação e registros do grupo terapêutico durante os meses de junho a agosto de 2012. De acordo com os resultados buscou-se analisar a implicação do usuário em suas reflexões feitas em grupo e individuais durante as entrevistas realizadas. Os dados resultaram em categorias temáticas: comunidade terapêutica – CAPS – grupo terapêutico - estratégias de cuidado de si – relação e representação dos usuários com a droga – liberdade. Percebeu-se a implicação do usuário em seu tratamento através de estratégias de cuidado consigo, utilizadas pelos mesmos, nesse sentido nota-se o trabalho realizado em função da redução de danos.  A realização do grupo terapêutico como novo dispositivo da reforma psiquiátrica vem facilitar a reinserção e promover estratégias para melhora do estado biopsicossocial dos usuários.

Palavras chaves: Centro de Atenção Psicossocial, Implicação, Cuidado de si, Reforma Psiquiátrica.

(Tempo de leitura: 3 - 5 minutos)

Vivemos na era da ansiedade, nunca se ouviu falar tanto dela. É bem provável que você conheça alguém que sofra ou já sofreu com seus sintomas. A ansiedade é uma reação normal do organismo a estímulos que são percebidos como perigosos. Reações emocionais e fisiológicas como medo, palpitação, sudorese, calafrios entre outros são comuns quando estamos ansiosos, a questão é: quando essas sensações ultrapassam a normalidade e se tornam patológicas?

(Tempo de leitura: 16 - 31 minutos)

Resumo: A infância e a adolescência tal como a conhecemos hoje são uma produção muito recente, até o século XVI acreditava-se que se tratava de um mini-adulto e estes participavam “sem problemas” do universo adulto. Sabe-se que só surgiu na sociedade moderna, pós-industrial, engendrando discursos de cuidados, desde a mais tenra infância como apregoado no Brasil pela Liga Brasileira de Higiene Mental no Rio de Janeiro, sob uma ótica biologicista, médico-pedagógica. Hoje a visão é mais ampla, mas os dados em saúde mental na área da infância e adolescência revelam que uma prevalência de transtornos mentais entre crianças e adolescentes gira em torno de 10 a 15% podendo chegar até 21% se considerada a população de jovens com mais idade. Dessa maneira novas propostas como a desinstitucionalização tem se colocado como formas de enfrentar a questão, articuladas aos novos dispositivos em saúde mental na infância e adolescência levando em consideração a emergência do sujeito, apagado em meio de tantos discursos sobre o humano, principalmente as crianças e adolescentes, com papel fundamental na manutenção da esperança para esses sujeitos que também sofrem.

Palavras-chave: Infância, Adolescência, Saúde mental.

(Tempo de leitura: 7 - 13 minutos)

Resumo: A adolescência é um período delimitado por transformações que podem acarretar grandes dificuldades de adaptação e conflitos que veem acompanhados de problemas emocionais. O presente artigo teve como objetivo estudar as variáveis sexo, idade e motivação nas tentativas de autoextermínio de adolescentes de 10 a 18 anos, acolhidos no CAPSi de Itabira-MG, no período entre janeiro de 2010 e abril de 2011. Os resultados alcançados comprovaram que houve maior prevalência em adolescentes do sexo feminino, sendo a idade mais atingida dezesseis anos. No quesito motivação, o índice mais alto deveu-se a ambiente familiar conflituoso. Os resultados alertam para a necessidade de desenvolvimento e implementação de políticas públicas preventivas, no sentido de dedicar maior atenção a esses jovens, assistindo-os dentro de seu contexto socioambiental.

Palavras-chave: Tentativa de Autoextermínio, Adolescente, CAPSi, Cidade de Itabira, Minas Gerais.

Curso online de

Transtornos de Ansiedade

 Transtornos de Ansiedade

Aprofunde seus conhecimentos e melhore seu currículo

Carga horária:  60 Horas

Recém Revisados