Tipos de Apego

(Tempo de leitura: 1 - 2 minutos)

Para a Teoria do Apego as pessoas desenvolvem um dos quatro estilos de apego, que são padrões relativamente duradouros, baseados na experiência inicial com um cuidador.

Tipo Seguro

O estilo de apego seguro demonstra angustiados quando o cuidador sai, porém recebem o cuidador de volta e reconhecem que suas necessidades serão satisfeitas. Essas crianças tendem a se tornar adultas mais estáveis e seguras de que suas necessidades serão satisfeitas e geralmente confiam em novos adultos também. Demonstram uma maior tolerância à separação das figuras por quem sentem apego.

Tipo Resistente

O estilo de apego resistente ou ambivalente ocorre quando a criança apresentam comportamentos imaturos, ficando bastante incomodadas ao se aproximar de outras pessoas. São criança que demonstram medo de se desviar dos pais e continuam a exibir um comportamento ansioso quando estes voltam. Na fase adulta podem se tornar pessoas que se utilizam de ardis e chantagens emocionais para ter de volta as figuras por quem sentem apego.

Tipo Evitativo

O apego Evitativo ou ansioso denota uma criança que reagem de maneira bastante calma à separação de um dos pais, mostram-se um pouco inibidas na presença de outros, e ao se aproximar de seus cuidadores demonstram pouca necessidade de atenção, se mantendo distantes e não os procurando para obter conforto. Neste padrão de apego a pessoa tende a se tornar um adulto que apresenta maior facilidade em lidar com as separações, mantendo um equilíbrio emocional mais estável, apesar do sofrimento que sentem.

Tipo Desorganizado

O estilo de apego Desorganizado ou Desorientado representa um comportamento atípico durante a separação, não se une a uma das três formas primárias de apego. Este padrão de apego pode ser resultado de experiências negativas relacionadas às situações de separação ou de um trauma. Tendem a se tornar adultos que apresentam dificuldades nos rompimentos de laços afetivos. Geralmente tem forte dependência afetiva, porém podem demonstrar essa necessidade de estar com o outro de forma agressiva e ambivalente.

O estilo de apego pode persistir até muito tempo na idade adulta e ajudam a moldar futuros relacionamentos sociais e, especialmente, os românticos.